sábado, 10 de dezembro de 2016

Será Que os Católicos Portugueses Estão Realmente Interessados em Defender Portugal?



Não creio...

Sei certamente que os católicos portugueses estão muito preocupados em poder salvar a sua alma da ira do tresloucado Deus judaico em que eles acreditam[1]. Porém, começo a duvidar seriamente das "boas intenções" de muitos católicos portugueses que se dizem patriotas, mas simultaneamente vêem um farol de luz iluminadora na doutrina de um judeu que deu problemas por todo o lado onde passou e por isso mesmo acabou justamente condenado e morto pelo Império Romano. 
 
Pior ainda do que isto é o facto de muitos destes católicos darem ouvidos a um soberano estrangeiro que de acordo com a própria doutrina da Igreja Católica será "infalível". Não esqueço que foi esta mesma criatura que no meio de toda a sua "infalibilidade papal", ainda recentemente veio admitir aquilo que eu próprio digo há muito, ou seja, que os comunistas "pensam como os cristãos".  Não foi uma, nem duas, nem três vezes que eu já referi que há uma linha comum entre o Comunismo e o Cristianismo, ideologias que foram não apenas as duas fundadas por judeus, mas que são igualmente internacionalistas e buscam a criação de utopias imaginárias, cada uma à sua maneira.

Não será certamente mera coincidência o facto de tanto Jesus como Karl Marx terem sido judeus e eu pessoalmente confesso sem problemas que tenho pavor a toda e qualquer doutrina ideológica que tenha atrás de si a mão judaica. Aliás, a minha guerra com o Cristianismo tem sido sempre motivada exactamente por eu me recusar a aceitar uma religião fundada por um judeu.

Aqueles que no passado me acusaram e ainda acusam de pactuar com doutrinas judaicas, deviam de pensar duas vezes no que dizem, pois se há pessoa que sempre se bateu contra TODAS, repito, TODAS, as doutrinas de origem semita, fui eu. E tenho-lo feito porque não quero ver o meu País regido por ideologias estrangeiras, em tudo contrárias ao nosso interesse colectivo e porque eu sei o terrível mal que se oculta por detrás de todos estes "ismos" de raiz judaica. 

A mão invisível do Supremacismo Judaico está sempre escondida na sombra e serve-se da inocência dos goyim para os manipular a seu belo prazer. O Cristianismo não foge a esta regra. Bem sei que os católicos o negam e insistem em dizer o contrário, mas por todo o lado onde eu vejo a presença do Cristianismo, eu vejo mais tarde ou mais cedo o alastramento da fraqueza, da cobardia, da rendição, da decadência e da tolerância militante. Ora, só os supremacistas judeus podem ter interesse nisto. Só aos internacionalistas é que interessa enfraquecer as nações por via de delírios ideológicos como o Comunismo e o Cristianismo.

Há outra questão ainda que me levanta graves suspeitas. Isto é, quantos são e quem são os informadores que o Vaticano tem infiltrados na sociedade portuguesa?!  É sabido desde há muito que o Vaticano tem agentes secretos espalhados por todo o Mundo, que à margem da legalidade instituída e que como qualquer outra agência do mesmo tipo, visam obter informações classificadas que posteriormente são enviadas para o Vaticano. 

É provável que os católicos portugueses que são espiões do Vaticano não sejam em grande número. Provavelmente serão apenas algumas dezenas. No entanto, seria bom que o povo português tivesse consciência de mais esta patifaria que a Igreja leva a cabo contra o nosso País e que é mais uma prova de como a Igreja não só é nossa inimiga directa, como é também um inimigo que joga feio, porco e extremamente sujo para atingir os seus objetivos diabólicos.

Eu jamais me cansarei de o repetir: a Igreja não é nossa amiga, não é nossa aliada e de tudo tem feito para sabotar a acção de todos os patriotas tanto dentro como fora de Portugal. Basta ver a relação altamente confortável que o clero mantém com o "sistema" e os partidos que fazem parte do assim-chamado "arco do poder". A Igreja sabe que esta gente é podre e vil, sabe que eles intentam o desmantelamento progressivo de Portugal pelas costas do povo português, mas mantém-se silenciosa com isto tudo e recusa-se a denunciar seja o que for. 

Repare-se como a Igreja Católica Portuguesa nem hesitou há alguns meses atrás em meter as suas "tropas" na rua para defender os seus interesses corporativos, aquando da polémica em torno dos contratos de associação com colégios privados. Nunca me lembro de ter visto os católicos saírem à rua assim em defesa fosse do que fosse e muito menos em defesa do nosso interesse nacional. 

A Igreja fartou-se de chiar contra o Comunismo durante o PREC e até houve um célebre cónego que andou a espalhar bombas, mas foi só porque a Igreja como instituição se sentiu então ameaçada. Hoje, porém, é com total claridade que eu vejo que a Igreja sempre se esteve nas tintas para Portugal, sendo que a si interessa-lhe apenas garantir a sua sobrevivência independentemente do regime que estiver no poder.  A prova disto é a actual relação extremamente confortável que a Igreja mantém com a extrema-esquerda, algo que me perturba profundamente e que eu vejo como sendo o cúmulo de todas as traições da Igreja.

Salazar cometeu um erro gravíssimo em dar apoio à Igreja e a meu ver, ele devia era de ter terminando com aquilo que os republicanos iniciaram em 1910, ou seja, desmantelar de uma vez por todas a Igreja Portuguesa e tratar os cristãos da mesma forma que o Estado Novo tratou os comunistas. Como é mais do que óbvio, Salazar cuja cabeça tinha sido lavada pela propaganda católica desde tenra idade, insistiu em manter-se fiel à Igreja e aquando do início da Guerra do Ultramar, o Vaticano retribuiu-lhe este favor enfiando-lhe prontamente uma "navalha nas costas" e tomando o lado do terrorismo que atacava a massacrava compatriotas nossos em África

Salazar não aprendeu e os monárquicos portugueses também não aprenderam aquilo que eu já percebei há muito, ou seja, que nunca, mas nunca se pode confiar em instituições de origem judaica como é o caso da Igreja Católica. Tudo o que tenha a mão sinistra do supremacismo judaico por detrás, mais tarde ou mais cedo, acabará por vos trazer a desgraça e a miséria. O Cristianismo, religião integralmente fundada por um judeu, não foge a esta regra. 

A Igreja católica e basicamente todas as igrejas protestantes estão implicadas até ao pescoço no actual plano internacionalista para destruir as nações. Esta gente, em conjunto com os seus correligionários semitas, declararam guerra aos povos da Europa e não descansarão enquanto não nos exterminarem por completo. Sim, eu aponto o dedo ao Vaticano e acuso-o de estar consciente e voluntariamente implicado num complô internacionalista para destruir não apenas Portugal, mas todo o Ocidente e em última análise, aniquilar a própria Civilização da face da Terra.  

Se os católicos portugueses estivessem realmente interessados em defender Portugal, eles denunciariam prontamente e sem freios na língua, a própria Igreja a que pertencem e aquela que é hoje uma das principais inimigas do nosso País. Mas não o fazem porque estão cegos, ou melhor, foram cegados por toda a propaganda semita que lhes foi sendo martelada à força para dentro da cabeça ao longo dos anos. É triste dizê-lo, mas acredito que muitos já não têm recuperação possível, sendo que assim eles hão-de morrer, cegos, alucinados a crer num Deus sádico que só existe na sua imaginação e crentes de que um judeu que viveu há 2000 anos é o "Messias" pelo qual os judeus ainda aguardam e com razão, pois não há absolutamente nada que prove ou demonstre factualmente que Jesus foi efectivamente o Messias prometido. 

É interessante e tenho de dizer isto, já que se trata de algo no qual tenho vindo a pensar desde há algum tempo a esta parte, que as ideologias de origem semita têm uma capacidade fenomenal para sequestrarem por completo a mente dos goyim e levá-los ao fanatismo mais extremo. Os judeus sempre foram um povo muito hábil a produzir ilusões e não será mera coincidência como até no cinema isto fica patente, pois foram judeus que praticamente criaram de raiz e fizeram florescer aquela máquina de sonhos chamada Hollywood. Desde a religião, à política, passando pela cultura, o judeu sabe como manipular os goyim através de mil e um truques. O Cristianismo, é apenas mais um desses truques e quando o Cristianismo deixar de ser útil para os supremacistas judeus, estes nem hesitarão em substituí-lo por outra coisa qualquer de que entretanto se lembrem de inventar. 

____________________________________________
 
Notas:
[1] A concepção monoteísta dos cristãos é de origem judaica, este facto inegável é reconhecido até pela própria Igreja Católica. 

João José Horta Nobre
10 de Novembro de 2016

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Isto Não se Faz



Cruzei-me novamente com ele há poucos dias atrás. Costuma vaguear sempre na mesma zona, de olhos cinzentos e tristes, mas conformados, barba branca e o aspecto daquilo que se pode designar como sendo o de um autêntico "vencido da vida". Anda sempre acompanhado de um saco cheia de coisas que vai encontrando abandonadas nas ruas e nos caixotes de lixo onde esgravata dia e noite, faça chuva ou faça sol. Não sei como se chama, nem de onde é natural, nem sei como foi parar à rua. Só sei que é mais um dos muitos sem-abrigos que temos em Portugal.

Há algumas semanas atrás e quando eu estava a chegar a casa do trabalho quase às duas da manhã, dei por ele a dormir na entrada do meu prédio. Fiquei parado a olhar para o sujeito que estava ali esticado à minha frente, a dormir enrolado numa velha manta cinzenta. A rua estava absolutamente deserta. Como eu não sou propriamente pequeno do ponto de vista físico, medindo 181cm de altura e pesando 85kg, imagino o susto que lhe devo ter pregado, pois assim que ele se apercebeu da minha presença colocou os braços à frente da cara julgando que eu o ía agredir a pontapé. Nada disso, eu só queria passar por cima dele para entrar no meu prédio e ir para casa em paz.

Passei cuidadosamente por cima do pobre desgraçado que ali estava, subi no elevador, entrei em casa e comecei a pensar no assunto. Eu sabia que as regras do prédio proíbem a presença de sem-abrigos na entrada do mesmo. Sabia também que era meu dever, por motivos de segurança, expulsar aquele desgraçado dali para fora e chamar a polícia se ele se recusasse a sair. Mas como podia eu fazer uma coisa dessas? Ia eu agora descer agasalhado nas minhas roupas confortáveis e bem lavadas, para expulsar à força do prédio um pobre coitado que tem idade para ser meu pai e que só se está a abrigar do frio? É que eu até posso ser bastante mau quando quero e preciso de o ser, mas há limites para tudo.

Acabei por descer, não tive outro remédio, desci e levei comigo um saco onde meti todo o pão e todas as conservas de peixe, queijos e enchidos que tinha em casa. Assim que cheguei à entrada do prédio, estendi o braço e disse "toma, é para ti". Ele, deitado no chão e enrolado na manta suja que o cobria, olhou para mim de ar surpreendido e hesitou, talvez pensasse que eu estava ali para lhe fazer alguma maldade, tive de insistir novamente subindo o tom da voz: "toma, é comida, é tudo para ti"! Por fim, devagarinho e com cuidado ele lá acabou por pegar no saco cheio de comida que eu lhe estava a oferecer. Voltei para o elevador, subi e entrei em casa sabendo que tinha acabado de quebrar todas as regras de segurança do prédio e que poderia vir mesmo a ter chatices com o administrador por causa daquilo que tinha acabado de fazer. Tinha não só permitido que um estranho ficasse a passar a noite na entrada do prédio, como ainda lhe fui oferecer comida, incentivando assim a estadia. 

Eu não poderia ter agido de outra forma. Eu sei que se naquela noite tivesse feito as coisas ao contrário, provavelmente não teria conseguido dormir descansado durante várias noites seguidas e a minha consciência não me largaria durante muito tempo.

Hoje e como é meu hábito, quando estava a beber o primeiro café do dia, meti-me a navegar pelas páginas de alguns jornais portugueses de maior referência, de forma a inteirar-me da propaganda do "sistema" e no website do DN encontrei uma notícia onde se diz que Portugal recebeu até agora 720 "migrantes" recolocados a partir da Grecia e da Itália. Depois de ter soltado meia-dúzia de impropérios em frente ao computador que até abanou com a fúria expelida por mim, lembrei-me do pobre sem-abrigo de que eu acima falei. Este nosso compatriota que, volto a repetir, não sei como se chama, continua a dormir na rua onde calha a encontrar abrigo ao acaso e vive do que encontra e do que por piedade lhe oferecem. Nunca o vi a mendigar. No entanto, é tratado abaixo de cão pelo Estado português, o mesmo Estado que simultaneamente importa centenas de "migrantes" aos quais oferece casa, água, comida, electricidade, roupa lavada e formação profissional, tudo de graça. 

É inadmissível que estas benesses sejam atribuídas a estrangeiros que nunca descontaram um cêntimo sequer para o Estado português, enquanto ao mesmo tempo muitos portugueses que já trabalharam e descontaram no passado, se vêem votados ao mais absoluto abandono como se fossem animais. Isto não se faz. Ponto. Quem faz isto é um canalha. Portugal está a ser governado por canalhas e traidores ao povo e à Pátria. Bandidos que escudados por tribunais controlados pela maçonaria e militares comprados pelo regime, roubam e humilham o povo português, enquanto simultaneamente consentem que a União Europeia envie estrangeiros para o nosso País, que passam a viver num luxo escandaloso em comparação com os sem-abrigos nacionais, cujo único "luxo" de que usufruem à noite é muitas vezes a calçada da rua. A sério, isto mete nojo, é revoltante e demonstra bem o grau de imoralidade a que chegou a sociedade portuguesa em geral.

João José Horta Nobre
8 de Dezembro de 2016
 

Novas Regras Nas Caixas de Comentários



A partir de hoje e como eu já tinha previamente anunciado, haverá novas regras nas caixas de comentários do História Maximus. Esta mudança deve-se essencialmente ao facto de eu já estar farto que gente mal intencionada e em conluio com as forças do mal, tente usar o meu blog para efeitos de propaganda. Tal como está escrito na coluna que podem ler à direita, "este é um espaço livre e independente, desligado de qualquer seita, loja, templo ou partido". 

Assim sendo:

Está total e terminantemente proibida qualquer forma de propaganda a ideologias semitas, nomeadamente o Judaísmo, o Cristianismo e o Islão.

Está total e terminantemente proibido qualquer insulto a movimentos, organizações, partidos ou políticos nacionalistas. 

Está total e terminantemente proibido qualquer forma de propaganda à maçonaria, ao Comunismo, ao Socialismo, ao Anarquismo e ao Liberalismo.  

Comentários que não obedeçam às regras acima expostas, serão eliminados. 

Estas regras têm efeitos retroactivos, sendo que poderão ser eliminados comentários antigos que não estejam em linha com as mesmas.

João José Horta Nobre
8 de Dezembro de 2016

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

A Choradeira em Torno dos Cristãos da China Não me Comove

Uma cruz é removida por ordens do governo chinês na província de Zhejiang. 

«Um Natal triste para milhões de cristãos oprimidos pelo comunismo»


Diz o jornal Diabo que o Natal deste ano vai ser muito triste para os cristãos da China. Paciência. Há muitas coisas tristes neste Mundo. Não tenho qualquer pena dos cristãos da China e em boa verdade, estou-me nas tintas para o facto do regime comunista por aquelas bandas os perseguir. Tudo o que a doutrina cristã ensina, é maligno para a seiva vital de qualquer Nação. A "tolerância", a "piedade", e o "perdão" na forma militante, tudo isto são fraquezas de espírito que só aos supremacistas judeus é que interessa disseminar. O semita tem todo o interesse em espalhar esta autêntica receita de fraqueza entre os goyim, precisamente para assim mais facilmente nos poder dominar e posteriormente destruir. Só um cego não vê uma coisa tão óbvia...

O governo comunista chinês faz muito bem em perseguir os cristãos, aliás, isto até talvez seja a única coisa verdadeiramente decente que o governo comunista chinês tem feito sistematicamente desde que a comunalha chegou ao poder por aquelas bandas. Os chineses que olhem para a Europa, é precisamente graças à "piedade" e "tolerância" cristã que eu hoje vejo a Europa de cu aberto rendida ao Islão e a todo o restante lixo semita. Os europeus foram transformados em crianças indefesas por esta ideologia religiosa médio-oriental e do Médio Oriente todos sabemos que nunca nada de bom nos veio, só a desgraça, a morte e o terror. 

O lugar da doutrina do judeu de Nazaré é no caixote do lixo. Fizeram muito bem os nossos antepassados romanos em crucificá-lo, aliás, deviam era de o voltar a crucificar uma vez por cada vítima da Inquisição, da padralhada pedófila e de todos os restantes crimes da Igreja.

Depois do odioso e vil tratamento que eu tenho visto a Igreja a dar aos movimentos nacionalistas por toda a Europa, chegando ao ponto até de fazer alianças com a esquerda e as forças da maçonaria para nos combater e sujar o nosso nome perante a opinião pública, confesso que tenho de me conter para não escarrar em cima de todo o padre ou freira com quem me cruzo na rua. 

João José Horta Nobre
6 de Novembro de 2016

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Esta Gente Recusa-se a Reconhecer Que Está Acabada e é Exactamente Isso Que me Preocupa...





É mais do que óbvio que a actual elite do dito "centrão", em conjunto com a extrema-esquerda islamófila está acabada, só falta mesmo agora é enfiar-lhe o último prego no caixão e enterrá-la de uma vez por todas, algo que eu acredito que os nacionalistas europeus, se não meterem os pés pelas mãos, têm capacidade suficiente para fazer algures dentro dos próximos dez a quinze anos. Como bem disse recentemente João Pais do Amaral numa abordagem ao muito peculiar caso português, O regime comporta-se como um criminoso de delito comum. Tem consciência dos crimes cometidos ao longo dos anos contra a população portuguesa, mas revela uma incapacidade enorme de os assumir, preferindo a criminosa “fuga para a frente”, negando-os como se não os tivesse praticado. Ele próprio sabe que a corrida não poderá ser eterna, pelo que demonstra bastante cansaço, estando «ferido de morte».

Mas no meio disto tudo, desta autêntica "espiral da morte" em que os regimes demo-liberais europeus estão a entrar, o que me preocupa mais é exactamente o facto de a elite que está agarrada ao poder, se recusar a reconhecer que o seu fim está próximo e já ter dado sinais de que é capaz de jogar muito feio, porco e sujo para se manter nas rédeas do poder. Já aqui falei uma vez do verdadeiro perigo que pode constituir uma elite quando a mesma sente que está encurralada, não tem para onde fugir e sabe que o seu fim está próximo. É exactamente aqui que todo o político, seja ele democrata ou ditador, se torna perigoso. No caso dos "democratas", em nome da tal "preservação da Liberdade" e dos "direitos civis" de que eles gostam muito de falar (um mantra repetido sempre que dá jeito...), eu não tenho dúvidas de que os mesmos não hesitarão em tentar transformar as actuais "democracias" que na prática nunca o foram, em regimes autoritários disfarçados de "democracias". Aliás, já se fazem sentir os primeiros sinais disto no Mundo virtual, onde empresas como a Google estão a sofrer cada vez mais pressão por parte da elite reinante para apertar na censura e expulsar das suas plataformas aqueles que não se conformam com o pensamento politicamente correcto

O verdadeiro perigo em todas as épocas e circunstâncias sempre foi uma elite encurralada a um canto e disposta a lutar com tudo o que tem para se manter no poder. O perigo aumenta se essa mesma elite já tiver perdido por completo a noção da realidade. O perigo aumenta ainda mais se a elite tiver armas nucleares ao seu dispor e os militares e as forças policiais estiverem do seu lado. Aqui então temos a receita perfeita para um autêntico banho de sangue, algo que eu não duvido que a actual elite é capaz de cometer quando chegar a hora de "atravessar o Rubicão". Não quero ser alarmista, mas aconselho todos os patriotas a manterem-se vigilantes, fisicamente aptos (nunca se sabe o dia de amanhã...) e a não darem sequer um minuto de tréguas ao actual regime, atacando-o sempre em todas as frentes e por todos os meios possíveis, desde que dentro da legalidade vigente, pois um homem na prisão não serve para nada

Portugal está em guerra civil desde pelo menos 1828, com um interregno forçado pelos militares que durou de 1926 a 1974. Se os nacionalistas portugueses seguirem o seu coração e não capitularem perante as tentações materialistas que inevitavelmente irão surgir no caminho, tenho a certeza de que iremos sair vencedores desta guerra e não só sairemos vencedores, como poderemos terminar de uma vez por todas com este conflito que já vai velho de quase duzentos anos.

João José Horta Nobre
5 de Novembro de 2016


Be Careful What You Wish For Because You Just Might Get it...



Desde que Fidel Castro "bateu a bota" há dez dias atrás, que eu tenho visto por aí muita simpatia da parte dos jornalistas da nossa praça, para com a ditadura cubana. Duvido é de que esta gente tenha sequer parado para pensar por um momento, que ao defenderem a ditadura cubana e um ditador do calibre de Fidel Castro, estejam simultaneamente a legitimar a anti-democracia, a repressão política, o assassinato de opositores políticos e a censura a todos os níveis.

Os jornalistas e a esquerda portuguesa deviam de ter mais cuidado com o que desejam, é que no futuro o seu desejo pode mesmo vir a concretizar-se. Be careful what you wish for because you just might get it...


João José Horta Nobre 
5 de Novembro de 2016
 

domingo, 4 de dezembro de 2016

Pois é, os "Fascistas" Avisaram Que Isto Inevitavelmente Acabaria Por Acontecer...







Pois é, parece que um dos tais "refugiados coitadinhos" que foram importados para dentro de Portugal pelo governo de traição nacional liderado por António Costa, decidiu começar a espalhar "paz e amor" no nosso País violando uma pobre sem-abrigo de 67 anos. Não sei quem é a senhora em questão, mas gostaria de lhe deixar aqui a minha sincera solidariedade. Entretanto, não posso deixar de realçar o estranho silêncio da parte das tais "instituições de solidariedade social" (algumas delas cristãs...) que andaram muito hiperactivas nos últimos meses a esbanjar dinheiro com "refugiados", enquanto simultaneamente cidadãos portugueses dormem nas ruas do seu próprio Pais como se fossem cães.

Eu avisei, TODAS as forças nacionalistas dentro e fora de Portugal avisaram, mas alguém neste triste País dominado por tarados de esquerda, liberais de pacotilha e mais uns merdas que não passam de oportunistas sem honra, nos deu ouvidos? "Racistas", "xenófobos", "fascistas", "nazis", é só isto que os papagaios "democratas" do regime sabem repetir. Faço minhas as palavras do combativo e patriótico blogger Afonso de Portugal: 

«Ouço frequentemente o "argumento" de que não devemos temer os "refugiados" porque Portugal "tem recebido poucos". Ora, como esta triste notícia ilustra, não é a quantidade que está em causa, é a qualidade. Regra geral, os "refugiados" são oriundos de culturas islâmicas atrasadas onde a misoginia é activamente incentivada e recompensada. E tendem a atacar precisamente aqueles que são ou estão mais vulneráveis: os idosos, as mulheres, os sem-abrigo, as crianças.

A única solução é não importar refugiados, sobretudo homens que, como este parasita violador, deviam estar era a combater ou a trabalhar pelo seu país. Refugiados são os velhos, as mulheres e as crianças. Os homens em idade de trabalhar não são refugiados, são INVASORES, sem apelo nem agravo.» 


Não é apenas o eritreu violador que merece ser julgado e condenado pelo que fez. Toda a classe política colaboracionista, incluindo o actual governo criminoso e traidor que abriu as portas da nossa Pátria a estes animais terceiro-mundistas, precisa de ser devidamente julgada e exemplarmente punida por toda a pulhice que tem praticado. Este bando de lacaios das forças obscuras por detrás do Internacionalismo militante, em conluio com a Igreja Católica, abriram as portas da nossa sagrada terra a uma autêntica invasão islamo-africana que tem como fim último o desmantelamento definitivo de Portugal e a escravização do povo português.

Isto não irá ficar assim, podem ter a certeza disso, todos os servos do actual regime que sequestrou Portugal podem ter a certeza de que as coisas vão mudar um destes dias e nessa altura a justiça será devidamente servida a todos os traidores, custe o que custar e doa a quem doer! 

João José Horta Nobre
4 de Dezembro de 2016


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...