segunda-feira, 1 de julho de 2013

A Entrada da Croácia na UE: Um Erro Crasso

Um protestante croata numa manifestação contra a entrada da Croácia na UE.




A Croácia entrou hoje na União Europeia, da qual passa a ser o 28º estado-membro.

Em Zagreb e um pouco por toda a Croácia, o povo cujo cérebro já terá sido ardilosamente lavado pela imprensa, pensará que isto é uma grande vitória para o seu país - nada poderia ser mais errado.

A Croácia acabou de entrar numa organização internacionalista e Orwelliana que tem como objectivo diluir as nações da Europa na massa amorfa que dá pelo nome de União Europeia e cujas consequências ninguém ainda conhece muito bem.

A partir de hoje, o povo croata começará gradualmente a perder soberania e a ver o seu país a ser lenta mas seguramente pilhado pelos senhores de Bruxelas.

A União Europeia é hoje a ponta de lança da ofensiva internacionalista promovida por entidades como o Clube Bilderberg e a Maçonaria.

Dentro de pouco tempo, todos os sectores da economia croata começarão a ser condicionados pelos diktates de Bruxelas, aprovados à margem de qualquer vontade popular e quase em segredo.

Muitos na Croácia não o saberão, mas a partir de hoje, o seu Presidente é o bastante desprezado e mal conhecido Herman van Rompuy, que já foi descrito pelo eurodeputado independentista Nigel Farage como sendo uma pessoa que tem o "carisma de um trapo molhado".








Assim como muitos croatas não sabem quem é Herman van Rompuy, a maioria também não sabe quem são os techno-burocrátas que irão arquitectar os diktates de Bruxelas para impôr ao povo croata.

Em Portugal podemos agradecer à União Europeia por nos ter arrasado a economia nacional e reduzido Portugal a um Estado falhado cujo futuro é cada vez mais incerto e dificíl.

Também em Portugal muitos celebraram com a nossa entrada no "clube europeu" (eu prefiro chamar-lhe o "clube dos horrores") e hoje, muitos desses que celebraram, mudaram radicalmente de opinião, pois já perceberam a dimensão do seu erro. 

O povo croata não terá noção, mas é bom que fique a saber que a partir de hoje quem governa o seu país não são os políticos croatas, mas sim os techno-burocrátas de Bruxelas.

A democracia na Croácia acabou. Na União Europeia não há democracia, tal como na União Soviética nunca existiu democracia e mesmo assim esta nunca se cansou de apregoar para o mundo que era muito "democrata" tal como a União Europeia hoje faz. Os tais "padrões europeus" que a União Europeia estabelece para um país poder entrar na mesma, são apenas processos através dos quais a União Europeia garante que um determinado país e a sua classe política já foram suficientemente bem minados e não passam de meras marionetas de Bruxelas. 

Só podem entrar no "clube europeu" os "meninos" obedientes, pois claro...

Na União Europeia não pode haver verdadeira dissidência. Apenas é tolerada uma forma suave de dissidência. A dissidência que não coloque o establishment em risco. A dissidência dos impotentes.

O povo e a nação croata ainda não têm noção de onde se foram meter ao aderir à União Europeia. A única certeza que podem ter é que o seu pesadelo está apenas a começar.

Da minha parte, resta-me apenas enviar as minhas condolências à nação croata e esperar para que não haja mais países europeus a quererem entrar nesta loucura megalomaníaca gerida por control freaks e internacionalistas sem escrúpulos.




João José Horta Nobre
Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
1 de Julho de 2013








Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...