quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Dois Olhos e Um Cérebro: Uma Premonição de Mário Soares Sobre Putin




"A Rússia não negoceia com terroristas. Ela destrói-os." - Vladimir Putin

A actual crise na Ucrânia fez-me recordar uma premonição que o "dinossauro" Mário Soares fez sobre Putin numa palestra sobre política internacional a que assisti, salvo erro, em Novembro de 2006 na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. O ex-Presidente da III República Portuguesa falou e falou. Disse umas baboseiras ideologicamente motivadas, mandou umas opiniões sobre a Guerra do Afeganistão, que hoje posso dizer que estavam certas, nomeadamente em relação à impossibilidade da NATO em conseguir obter uma vitória militar no conflito e por fim, começou a falar do Putin.

Já não me recordo de tudo o que Mário Soares falou sobre Putin, pois infelizmente a minha memória não dá para tanto, mas recordo-me de Mário Soares ter caracterizado Putin com uma célebre frase que para mim foi o momento alto da palestra e que eu nunca mais vou esquecer:

"O Putin tem dois olhos pequenos e frios, mas por detrás daqueles dois olhos pequenos e frios, existe um cérebro que funciona!"

O que Mário Soares queria dizer com esta frase (que possivelmente até foi a coisa mais acertada que disse em toda a sua vida...) é que o Ocidente e acima de tudo os Estados Unidos e a União Europeia não podem, nem devem tomar o Putin por idiota. Bem pelo contrário, o Presidente Putin já deu mostras no passado de possuir uma frieza racional imbatível. Trata-se de um líder político oriundo da velha escola soviética do KGB, treinado para sobreviver contra tudo e contra todos.

Se os Estados Unidos e a União Europeia julgam que podem fazer farinha com Putin, então estão redondamente enganados. Nos últimos anos, a União Europeia e os Estados Unidos têm literalmente tentado montar um cerco à Rússia, aliciando e conquistando para o seu lado os países que pertencem ao "espaço vital" russo. Primeiro foram os países e territórios recém-independentes que outrora fizeram parte da antiga Cortina de Ferro, a República Checa, a Polónia, a Hungria, a Alemanha de Leste, a Eslováquia, a Roménia, a Lituânia, a Letónia, o Kosovo, a Bulgária, o Montenegro, a Croácia, a Bósnia-Herzegovina, a Macedonia e a Eslovénia. A Sérvia do Milosevic como não se curvou perante o Imperialismo dos Estados Unidos e da União Europeia, acabou bombardeada pela NATO e Milosevic deportado para Haia com acusações de genocídio, uma história que ainda está muito mal explicada e para a qual existem mais perguntas do que respostas...

Depois desta "primeira ofensiva" que só foi possível graças à queda da União Soviética, seguiu-se o "aperto do cerco" através da Revolução Rosa na Geórgia em 2003 e a falhada Revolução Laranja na Ucrânia em 2004. Em relação à Geórgia, Putin tratou da situação logo em 2008 com a derrota militar que infligiu à pequena e mal armada Geórgia e que terminou com a anexação da Ossétia do Sul e da Abkhazia por parte da Rússia.

A vingança dos Estados Unidos concretizou-se na assim-chamada "Primavera Árabe" que começou em 2010 e que ninguém ainda sabe quando e como vai terminar, nem quais as consequências que daí poderão advir para o mundo. O que sabemos é que já caiu um dos melhores amigos e compradores de armamento que a Rússia tinha no Mundo: a Líbia de Muammar Gaddafi. Seguiu-se a Síria, país onde o Presidente Bashar al-Assad ainda só se consegue manter no poder graças ao incondicional apoio russo que lhe tem sustentado o regime com armas e capital. O objectivo seguinte é o Irão (outro grande cliente e aliado russo...), mas sem caír o regime de Bashar al-Assad, os Estados Unidos não vão intervir contra os persas, pois tal seria abrir uma nova frente de guerra que lhes poderia sair fora de controle (já bastam os radicais islâmicos na Síria e a Guerra no Afeganistão).

Vendo que não conseguiam levar avante a sua vontade na Síria, os Estados Unidos e a União Europeia viraram-se novamente para a Ucrânia e a célebre frase "Fuck the EU" recentemente proferida por uma diplomata americana em relação à Euromaidan, diz-nos tudo sobre a política dos Estados Unidos em relação a esse país...

Putin não é nenhum idiota e muito enganado estará aquele que o tome como tal. Do ponto de vista geo-estratégico, é impensável que Putin deixe a Ucrânia escapar da órbita russa e a presente situação apenas o deixa perante três hipóteses possíveis:

1º - Tentar inverter a actual situação na Ucrânia através do assim-chamdo soft power, tal como fez em 2004 e voltar a tomar o controlo da situação.

2º - Cortar todas as relações económicas com a Ucrânia, incluindo o abastecimento energético e desgastar assim lentamente a oposição anti-russa na Ucrânia até esta colapsar sobre si mesma.

3º - Levar a cabo uma intervenção militar na Ucrânia e anexar a Crimeia e possivelmente até mais alguns territórios.

A primeira hipótese parece ser neste momento pouco provável, pois a situação na Ucrânia já foi longe demais. Restam por isso a 2ª e a 3ª hipóteses, o futuro dirá em que ficamos...


João José Horta Nobre
Fevereiro de 2014







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...