quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Que Mal Fizeram os Ucranianos a Boaventura de Sousa Santos?



"Existem imbecis superficiais e imbecis profundos." - Karl Kraus (1874 - 1936)

O professor Boaventura de Sousa Santos escreveu recentemente num artigo publicado na Carta Maior e intitulado A Terceira Guerra Mundial?[1] que a actual agressão em curso por parte da Rússia contra o povo da Ucrânia é uma "mentira". Muito sinceramente, confesso que tive de ler várias vezes a frase escrita por Boaventura de Sousa Santos para ter a certeza de que o que eu estava a ler era mesmo aquilo.

"Mentira"! Assim define Boaventura de Sousa Santos a agressão russa contra o Estado da Ucrânia. Por esta lógica, resta-me perguntar ao professor de Coimbra (com o qual raramente estou em acordo...) se por acaso o Holodomor também é uma "mentira"? E os gulags? Será que alguma vez existiram gulags na União Soviética? Câmaras de tortura? O KGB nunca utilizou câmaras de tortura? Nem a Stasi? E Estaline? Será que Estaline matou alguém ou foi apenas um inocente georgiano que tem sido maltratado pela historiografia "fascista"? 

Há realmente muita coisa que eu gostaria de perguntar a Boaventura de Sousa Santos, mas uma pergunta destaca-se entre todas as outras: o Presidente Putin paga-lhe alguma coisa pela propaganda pró-Kremlin que anda a fazer ou o professor fá-la apenas por amizade ao ex-agente do KGB?

Que ninguém julgue por um momento que eu não tenho conhecimento daquilo que os Estados Unidos pretendem fazer na pobre Ucrânia. Os Estados Unidos nunca ajudaram, nem ajudam ninguém, sem ser por interesse próprio. O Imperialismo estado-unidense pretende reduzir a Ucrânia a um Estado vassalo dos interesses da Nova Ordem Mundial e membro da NATO. Por este motivo, a Ucrânia nunca deveria de se ter aproximado tanto, nem da máfia da União Europeia sediada em Bruxelas, nem do FMI, nem dos Estados Unidos. Desta vil gente só poderá escorrer maldade e horror que recairão implacavelmente sobre o povo ucraniano.

Mas a Rússia também não tem o direito de invadir, agredir e literalmente anexar partes do território ucraniano. E já agora aproveito para referir que é absolutamente revoltante ver e ouvir nacionalistas como a senhora Marine Le Pen a apoiar e justificar abertamente as acções de Vladimir Putin!

Nenhum nacionalista é digno de tal etiqueta quando simultâneamente defende agressões absolutamente injustificadas contra nações de terceiros. Por este mesmo motivo é hoje um dever para todos os patriotas bradarem alto e bom som contra a agressão russa na Ucrânia, da mesma forma que também gostariam que os ucranianos bradassem alto e bom som em seu apoio, caso fosse o seu próprio País a ser injustamente atacado. E também devem de se insurgir igualmente contra as ingerências estado-unidenses na política europeia e a "mão invisível" da escumalha da alta finança que é quem realmente está por detrás da cortina a coordenar o banho de sangue em curso ao incentivar os Estados Unidos a provocar desnecessariamente a Rússia.

Para se ser nacionalista é preciso saber-se respeitar um código de honra muito simples que assenta na base do respeito pelos outros e o culto da boa vizinhança. Um "nacionalista" que não compreenda isto, não é um nacionalista, mas sim, um bárbaro rebarbado e troglodita. 

O problema é que na actual Europa o conceito de honra parece ter-se diluído na amálgama de loucura que entretanto tomou conta do Continente. Perdeu-se o respeito por tudo e por todos e muitos "nacionalistas" infelizmente não fogem a esta regra.

Boaventura de Sousa Santos nunca irá compreender nada disto do alto da sua arrogância catedrática. Da mesma forma que não compreende ou não quer compreender o que se passa na Ucrânia e por isso define a agressão russa contra um Estado soberano como sendo simplesmente uma "mentira".

Vejamos então em que consiste a tal "mentira" que é difundida por "fascistas pavorosos" como eu.

Desde o início do conflito na Ucrânia já morreram 4,317 pessoas e registaram-se 9,921 feridos. Entretanto, 466, 829 pessoas foram deslocadas internamente.[2] Para além destes números que já de si são pesados, os combatentes pró-russos (a esmagadora maioria enviada, armada e apoiada por Putin...) têm cometido toda a espécie de abusos contra as populações civis da Ucrânia nas áreas em que operam. Raptos, violações, tortura, prisões arbitrárias e execuções sumárias têm sido praticadas com regularidade, algo que segundo Boaventura de Sousa Santos não passa de uma "mentira".

Os leitores atentem que Boaventura de Sousa Santos é uma luminária cujas opiniões são atentamente escutadas, lidas e reverenciadas pela maioria da esquerda portuguesa. É esta gente que passa a vida a querer dar lições de moral aos outros sobre civilidade e afins. Pois por aqui se vê a "civilidade", da mesma forma que se viu a "civilidade" nos gulags soviéticos, durante a Revolução Cultural chinesa e nos massacres de civis comandados por Lenine e Trotsky durante a Guerra Civil Russa.

Mas é tudo "mentira", claro está...  

___________________________________________________

Notas:
[1] SANTOS, Boaventura de Sousa - A Terceira Guerra Mundial? Carta Maior, 22 de Dezembro de 2014. Link: http://cartamaior.com.br/?/Coluna/A-Terceira-Guerra-Mundial-/32494
[2]  BBC NEWS - Almost 1,000 dead since east Ukraine truce - UN. BBC, 20 de Novembro de 2014. Link: http://www.bbc.com/news/world-europe-30126207

João José Horta Nobre
Dezembro de 2014

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...