sábado, 28 de novembro de 2015

É à Plutocracia Internacional Que Interessa Hoje Uma Guerra Civil na Europa

Uma fábrica de armamento algures nos Estados Unidos da América, durante a Segunda Guerra Mundial. A rápida conversão da sua indústria civil, numa indústria bélica, permitiu não apenas aos aliados vencer a guerra, mas acima de tudo salvar o Capitalismo e a plutocracia internacional de si própria.

 
"Onde quer que tenha chegado ao poder, a burguesia destruiu todas as relações feudais, patriarcais, idílicas. Estilhaçou, sem piedade, os variados laços feudais que subordinavam o homem aos seus superiores naturais, e não deixou subsistir entre os homens outro laço senão o interesse nu e cru, senão o frio 'dinheiro vivo'." - Karl Marx (1818 - 1883), «Manifesto do Partido Comunista», 1848.

É à plutocracia internacional e aos mercenários de guerra, que vivem do sofrimento, da destruição e do horror alheio, que interessa hoje uma guerra civil na Europa entre os muçulmanos e os não-muçulmanos, ou entre a Rússia e a Europa da NATO. É a esta gente sem os mínimos escrúpulos, que vive na maior opulência enquanto espalha a morte a partir dos seus escritórios artificialmente climatizados, que interessa criar e fomentar o ódio e a destruição onde estes anteriormente não existiam.

Não é apenas o abate das nações (começando pelas europeias, o resto do Mundo vai a seguir...) que interessa à plutocracia internacional e internacionalista. Por ora, interessa-lhe muito mais uma guerra na Europa, de preferência longa e altamente destrutiva, de forma a manter o seu nível de vida absolutamente escandaloso e "renovar" o modo de produção capitalista que visivelmente se atolou num pântano de onde só conseguirá sair através de mais morte, mais destruição e mais sofrimento.

É assim que funciona o Capitalismo desde os seus primórdios. Karl Marx já tinha alertado para este problema quando teorizou a "queda tendencial da taxa de lucro", que é sem dúvida a causa de praticamente todas as crises cíclicas do Capitalismo. Mas a direita, uma certa direita "conservadora" e totalmente míope, recusa-se a aprender seja o que for com Marx e insiste em prosseguir com a fórmula económica falhada que substituiu o Feudalismo medieval e tem produzido guerra atrás de guerra na eterna busca por lucro, precisamente para evitar ou reverter aquela tal "queda tendencial da taxa de lucro" de que Marx nos falou há quase dois séculos atrás e que talvez tenha até sido a única previsão que Marx alguma vez conseguiu acertar em toda a sua vida.

Basicamente, a causa da "queda tendencial da taxa de lucro", deve-se à progressiva substituição do homem pela máquina, algo que permite ao capitalista aumentar os seus lucros, pois diminui os salários que tem de pagar, mas simultâneamente reduz o número de postos de trabalho disponíveis no mercado, consequentemente aumentando o desemprego. Com o aumento do desemprego, dá-se uma óbvia contracção do consumo, algo que leva à tal "queda tendencial da taxa de lucro", que só pode ser invertida de duas formas: ou procurando novos mercados para onde o capitalista possa exportar os seus produtos, ou então, através da guerra, que permite a conversão da economia civil, numa economia de guerra, reabsorvendo a população desempregada e fazendo consequentemente disparar os lucros dos capitalistas que passam a fabricar armas e munições, em lugar de automóveis e brinquedos que poucos têm dinheiro para comprar num País em crise económica séria. Foi precisamente isto que aconteceu nos Estados Unidos da América logo após a entrada destes na Segunda Guerra Mundial em 1941, a terrível crise da década de 1930, foi quase como que eclipsada a partir de 1941, precisamente devido à economia bélica e posteriormente devido às necessidades de reconstrução da Europa após 1945.

Percebendo esta estratégia maquiavélica que é continuamente colocada em prática pela plutocracia internacional, de forma a salvar o próprio pescoço, não é difícil de perceber também que estes se preparam já hoje para tentar repetir a destruição da Europa através da guerra, fomentando ódios irracionais, chauvinismos idiotas e choques de civilizações. 

Cabe a todos os patriotas europeus de hoje, saber reagir a isto tudo de forma adequada e racional, combatendo o inimigo em comum e não se deixando cair em chauvinismos rivais que são fomentados pela plutocracia internacional, precisamente para nos dividir e atirar uns contra os outros novamente em lutas fratricidas, da mesma forma que já o fizeram na trágica guerra de 1939-1945.

João José Horta Nobre
28 de Novembro de 2015
 

1 comentário:

  1. A elite da finança e das corporações está apostada em destruir a Nações.
    Armadilhou o sul da Europa pelo endividamento, quer com a colaboração de políticos medíocres, quer fazendo os estados resgatar com o seu dinheiro a corrupção financeira. Eles querem destruir as soberanias... dividir/dissolver as Identidades para reinar... tudo para criarem uma "massa amorfa" de gente inerte, pobre e escravizada e assim melhor estabelecerem a Nova Ordem Mundial: uma nova ordem a seguir ao caos – uma ORDEM MERCENÁRIA (um Neofeudalismo)... ou seja, a 'Ordem Natural' que emerge de um 'barril de pólvora' (leia-se, o caos organizado pela alta finança).
    {nota: andam por aí muitas marionetas... cujo trabalhinho é 'cozinhar' as condições que são do interesse da superclasse - alta finança, capital global}

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...