quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Já Nem Com os Nacionalistas, Outrora Fiéis Aliados, a Igreja Pode Contar

Uma Cruz Celta algures na Irlanda.


Já nem com os nacionalistas, outrora fiéis aliados, a Igreja pode contar. O motivo para isto é simples, a Igreja parece ter-se rendido ao internacionalismo, não combate, nem sequer verbalmente, os seus inimigos ideológico-políticos e está claramente enfraquecida em todos os aspectos.

A crescente popularidade do Neopaganismo europeu, que está directamente associada à actual crise identitária europeia, é outro motivo para o afastamento de inúmeros nacionalistas do Cristianismo que muitos vêem como uma religião de origem judaica, não-europeia e implantada à força na Europa pela mão do Império Romano que se cristianizou por via da decisão do Imperador Constantino de substituir o Paganismo Romano pelo Cristianismo após vencer a Batalha da Ponte Mílvia.

É caso para se perguntar, se o Imperador Constantino tivesse optado por adoptar o Budismo, em lugar do Cristianismo, será que hoje seríamos todos budistas?

Ou imagine-se que o Imperador Constantino optava por continuar a professar as divindades pagãs, será que hoje o Paganismo Romano ainda seria a religião predominante?

E mais, o que diriam os nossos antepassados Lusitanos que tinham a sua própria religião, se nos vissem hoje a professar uma religião como o Cristianismo que nada tinha a ver com a sua identidade ou tradições?

Tudo isto dá muito que pensar...

João José Horta Nobre
Novembro de 2015

3 comentários:

  1. «(....)imagine-se que o Imperador Constantino optava por continuar a professar as divindades pagãs, será que hoje o Paganismo Romano ainda seria a religião predominante?»

    Sobre isso, eu tenho uma opinião bastante polémica no meio nacionalista, tanto que ainda não conheci mais ninguém que a partilhe, pelo menos aqui em Portugal.

    Eu não acredito no regresso ao paganismo por um motivo muito simples: a concentração do poder divino numa única entidade que, ainda por cima, é invisível, omnipotente e omnisciente, constitui um "upgrade"que não dá quaisquer hipóteses às divindades antropomórficas do paganismo. É como comparar um pelotão de infantaria a um grupo de tanques de guerra.

    O Cristianismo e o Islamismo não triunfaram apenas pela força, triunfaram porque foram concebidos para criar terror nos seus seguidores de uma forma muito mais eficaz do que as religiões que os precederam.

    Javé e Alá são muito mais incontestáveis do que Apolo, Zeus ou Bandua. Nem sequer os vemos, mas sabemos que são capazes de tudo! E que criaram o lugar mais terrível do universo -o Inferno- de propósito para as pessoas que não lhes obedecem sofrerem... por toda a eternidade!

    Em suma, o paganismo é o homo erectus da evolução das religiões, enquanto as religiões abraâmicas são o homo sapiens.

    ResponderEliminar
  2. Os Nacionalistas é que não podem contar com a igreja católica. A igreja católica hoje revela-se inimiga das Nações Europeias. Se continuar no corrente caminho, ela será combatida.

    ResponderEliminar
  3. Parece que os polacos crêem numa Igreja Católica diferente, não é assim? :O

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...