terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Há Menos um Genocida em Portugal


Já perto do fim e semi-senil, não hesitou em colocar-se em defesa do maior corrupto e doente mental que alguma vez esteve hospedado na penitenciária de Évora.


Parece que finalmente se finou um dos principais responsáveis pela limpeza étnica a que os portugueses brancos foram sujeitos em África.


A única coisa que lamento é este energúmeno e outros como ele, nunca terem sido levados a julgamento por tudo aquilo que fizerem. Esta era a tal malta "humanista" que antes da Abrilada de 1974, andava a falar de "direitos humanos" e dos crimes do "faxismo", mas que assim que se apanharam no poder, trataram de levar a cabo uma limpeza étnica no ultramar português.

Também sempre muito preocupada com os "human rights", a comunidade internacional nunca se preocupou em levar esta gente a julgamento, talvez porque as suas vítimas não foram judeus, caso contrário e por bastante menos, já teriam todos há muito tempo um mandado internacional de captura em cima do lombo...
 
Vale a pena destacar que a maioria das vítimas destes animais, nem sequer foram portugueses brancos, mas sim, os próprios indígenas africanos que após a "descolonização exemplar", foram massacrados às centenas de milhares e que até hoje continuam a ser espezinhados de toda a forma pela tralha "libertadora" que assumiu o poder por aquelas bandas.

Mentiroso e manhoso como quase todo o maçon, desprovido de qualquer tipo de honra e trabalhando dia e noite como um lacaio em prol dos seus amos internacionalistas, o traidor Almeida Santos morreu sem nunca ter mostrado uma pinga de arrependimento por tudo aquilo que fez a milhões de portugueses.

Que Lúcifer na sua sapiência maléfica lhe guarde a alma e faça da sua nova besta dos infernos um bom uso.

Ámen.

João José Horta Nobre
19 de Janeiro de 2016
 

5 comentários:

  1. O que mete mais nojo é o Mário Soares. Porra, o gajo é eterno.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. "Porra, o gajo é eterno."


      Caro FireHead


      Isso era o que se dizia do Barreirinhas.

      Mas quero aqui realçar que a morte não resolve o problema do esquerdismo (apesar de ser muito purificante); em 1973 houve um limpeza no Chile e passados uns anos já a esquerda voltava ao poder.

      Eu continuo a insistir, é preciso desmantelar as bases de sustentação da esquerda.

      Aí vai a lista actualizada:

      Abolição do salário mínimo
      Liberalização dos despedimentos
      Abolição dos descontos
      Pagamento do verdadeiro custo da água e energia pelo utilizador
      Pagamento do verdadeiro custo de educação e saúde pelo utilizador
      Liberalização (facilitação, desregulamentação) do acesso às profissões liberais
      Sujeição a IRC a todas as pessoas colectivas
      Simplificação do IRS com sujeição individual, taxa única, sem deduções e abatimentos
      Taxa única no Iva
      Desmantelar o sistema escolar com o e-learning
      Varrer a função pública
      Extinção das juntas de freguesia
      ...
      ...
      ...
      ...

      Eliminar
  2. O país ficou ligeiramente mais saudável.
    Carlos

    ResponderEliminar

  3. http://www.cmjornal.xl.pt/mais_cm/obituario/detalhe/jose_sousa_gomes_1940_2016.html

    ResponderEliminar
  4. Ver desaparecer um tal traidor é pouco consolo já que como disse muito bem, não foi devidamente julgado e condenado pelos crimes que cometeu contra Portugal... ou sequer denunciado ampla e publicamente !

    Que a terra lhe seja pesada, e a História futura o coloque no seu devido lugar: no de escarro abaixo dos cães vadios !

    Cumprimentos,
    PL

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...