quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Kumquat

O kumquat
 
Hoje provei uma coisa "nova", chama-se kumquat, também conhecido como Citrus japonica e "tangerina de ouro", entre muitas outras denominações que lhe atribuem. Como todo o bom algarvio, sou um viciado em citrinos, sejam eles laranjas, limões, tangerinas, clementinas, limas ou esta coisa "nova" chamada kumquat, que a partir de agora passo a acrescentar à minha já longa lista de vícios cítricos.

Já tinha observado esta pequena iguaria da natureza em inúmeras ocasiões, mas faltou-me sempre ou a coragem, ou a oportunidade para a provar, seja como for, mais vale tarde do que nunca. Para quem nunca tenha experimentado, o kumquat inicialmente é esquisito, mas como dizia Fernando Pessoa: "primeiro estranha-se, depois entranha-se"...

O kumquat distingue-se de todos os outros citrinos por ser muito pequeno, ou seja, pouco maior do que uma azeitona e tanto quanto eu sei, é o único citrino em que a casca é doce e a polpa é amarga, exactamente ao contrário dos outros citrinos comuns. A forma mais adequada de se comer o fruto é cortando o mesmo ao comprido e já está. Come-se o fruto todo in natura, incluindo obviamente a casca doce, que é de resto, o que lhe confere um agradável sabor agridoce resultante da mistura do sabor amargo da polpa, com o sabor doce da casca.

Aparentemente, o kumquat parece que tem as suas origens biológicas na Ásia, mais propriamente na região da Ásia-Pacífico e o fruto já há muito tempo que faz parte da tradição gastronómica e alimentar da China, Japão e todo o sudoeste asiático em geral. Curiosamente e como já seria de esperar, terão sido muito provavelmente os portugueses os primeiros europeus a entrarem em contacto com o kumquat, pois o fruto já aparece descrito por missionários portugueses na China, em registos que remontam ao século XVII.

O único ponto negativo deste fruto, por enquanto, é o preço proibitivo que oscila entre os 10 a 15 euros por cada quilo adquirido, sendo por isso um fruto inacessível à maioria da população num País de rendimentos baixos como Portugal. No entanto, este facto é compensado pela facilidade com que a árvore que dá o kumquat pode ser cultivada e Portugal possui neste aspecto um clima favorável ao cultivo do mesmo, especialmente no sul do País.

João José Horta Nobre
14 de Janeiro de 2016

1 comentário:

  1. João,
    A Tailândia produz muita fruta dessa a preço razoável. Tenho uma pessoa de familia (minha mulher)que produz isso e manda cá para casa de quando em quando uns ramos das douradas!!
    Abraço
    JM

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...