sábado, 23 de janeiro de 2016

Um Vira-Casacas Chamado Marcelo Rebelo de Sousa



Foi desta forma que o vira-casacas Marcelo Rebelo de Sousa reagiu, aquando de uma polémica em 1996, a propósito de um sketch de humor com a temática da Última Ceia, que Herman José fez na rubrica televisiva Herman Zap (RTP1) e que provocou na altura bastante indignação junto de alguns sectores católicos, incluindo a ala mais conservadora do PSD: 

"Vejo com preocupação que num canal com serviço público se encontrem mensagens que podem ser consideradas ofensivas de valores partilhados pela maioria dos portugueses e também ofensivas de instituições particularmente relevantes como a Igreja Católica."

Dezanove anos depois, em 2015, foi desta forma que o vira-casacas Marcelo Rebelo de Sousa reagiu em consequência do Massacre do Charlie Hebdo: 

"São fortes as caricaturas, mas em democracia há métodos para lidar com esta realidade que não são nem a bomba nem o homicídio. Quer dizer, as pessoas que se sentem ofendidas ou que não gostam, escolhem outra coisa."

Exactamente! 

Em lugar de se ter armado em moralista da tanga rota, como fez em 1996, por causa de um simples sketch de humor absolutamente inofensivo, o vira-casacas Marcelo Rebelo de Sousa podia simplesmente ter escolhido outra coisa. Mas esta postura de dizer branco hoje e preto amanhã, não deve surpreender ninguém que esteja ao corrente daquilo que sempre foi o Marcelinho, o bétinho criado a sopas da ditadura, que agora quer ser Comandante Supremo das Forças Armadas (será que ele sabe sequer como operar uma espingarda de pressão?...). 
  
Quem não o conheça que o compre...

João José Horta Nobre
23 de Janeiro de 2016

1 comentário:

  1. Toda a gente, mais tarde ou mais cedo,muda!é por isso que se diz (Nunca digas desta água não beberei) há oito anos atrás, eu pessoalmente pensava de uma maneira e agora penso de outra!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...