terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Helena Matos Não Leu Marx



"O Governo do Estado moderno é apenas um comité para gerir os negócios comuns de toda a burguesia." - Karl Marx (1818 - 1883) in «Manifesto do Partido Comunista», 1848

Helena Matos não leu Marx e se leu, então leu mal e precisa de reler, pois não admissível que alguém com a sua experiência profissional diga que o "modelo socialista" dos países comunistas "foi concebido para redistribuir a riqueza e não para a produzir". Isto é mentira, digo-o sem rodeios, é uma mentira descarada e vou explicar porquê.

O "modelo socialista", ou o "Socialismo Científico" de Karl Marx, tem muitos defeitos e isso ficou patente no falhanço das economias socialistas, mas esse falhanço não se deveu à incapacidade de produzir riqueza por parte desse sistema económico, mas sim, à incapacidade do mesmo calcular adequadamente os preços devido à ausência de um mercado livre.

A direita burguesa gosta de tentar fazer de Karl Marx um estúpido e isso demonstra apenas a estupidez da própria direita burguesa. Karl Marx sabia perfeitamente bem que só pode haver redistribuição de riqueza, mediante a produção dessa mesma riqueza e por isso mesmo é que ele advoga a que o proletariado confisque os meios de produção (fábricas, oficinas, etc...) à burguesia, precisamente para que passe a ser o próprio proletariado a produzir riqueza e a deter a mesma, em lugar de ser a burguesia, que como se sabe, utiliza a força de trabalho do proletariado em benefício próprio, mas nunca remunera este de acordo com o valor real da riqueza produzida pelo mesmo.

O erro de Marx, aliás, ele deu vários erros, mas o maior de todos foi a sua incapacidade em perceber a importância de um mercado livre para calcular os preços dos bens produzidos. Na ausência de um mercado livre, uma economia socialista é obrigada a fixar artificialmente os preços e isso é sempre uma receita para o desastre, pois a fixação artificial de preços nunca consegue acompanhar a realidade e o resultado acaba por ser a total desregulação económica. Precisamente por este motivo é que por vezes nos países socialistas havia trigo nos campos, mas não havia pão nas padarias, ou vice-versa. A desorganização económica era maciça e não seria de esperar outra coisa, pois a economia é algo demasiado complexo para que se possa deixar a mesma totalmente nas mãos do Estado. O teórico do Liberalismo, Ludwig von Mises (1881 - 1973), abordou bem esta questão na sua obra Socialism, publicada pela primeira vez em 1922.

Mas volto a frisar o que disse no início deste texto: é mentira que o modelo socialista tenha sido concebido apenas para redistribuir riqueza. Quem diz uma asneira assim só demonstra um desconhecimento total sobre economia marxista, pois Karl Marx queria, de facto, redistribuir a riqueza produzida, mas também escreveu muito sobre como se produz essa mesma riqueza e foi com esse fim que ele advogou que o proletariado se unisse, de forma a confiscar os meios de produção à burguesia, precisamente para que passasse a ser o próprio proletariado a gerir a produção e posterior redistribuição dessa mesma riqueza.

Helena Matos apenas volta a confirmar o que eu ando a dizer há anos, ou seja, que a direita burguesa recusa-se a aprender seja o que for com Marx, ainda troçam do mesmo e um dia vai acabar por sair-lhes a "sorte grande", em consequência do desespero tresloucado e das neuras que o Capitalismo gera na sociedade. Pois não se esqueçam, o Marxismo é realmente um sistema económico incompetente, mas quando sabemos que hoje no Mundo capitalista, apenas 1% da população, tem mais riqueza que os restantes 99%, vão-me dizer o quê? Que isto é a prova da "competência" do Capitalismo? Não, isto demonstra apenas a total loucura e insustentabilidade de um sistema económico assim e foi o próprio Karl Marx, esse economista tão odiado e temido pela direita burguesa, que disse que esta concentração extrema de riqueza, aliada posteriormente às crises cíclicas do Capitalismo, resultantes da queda da taxa de lucro, - uma tendência gravada no código genético do modo de produção capitalista - irá resultar inevitavelmente em guerra e revolução armada. A direita burguesa que espere que logo vai ver a surpresa que lhe vai sair no próximo "ovo Kinder" revolucionário e olhem que da maneira que isto vai, cheira-me que já não faltam muitos anos. Depois só não se queixem e não digam que não foram avisados...

João José Horta Nobre
2 de Fevereiro de 2016

3 comentários:

  1. E por falar em pigmeus intelectuas do observador da "direitinha"... o Professor já leu esta "obra-prima"?

    http://observador.pt/opiniao/grandeza-um-pais/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já e deixei um link para esse apurado exercício de demência aqui:

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/02/a-democracia-moda-da-merkel-ii.html

      Eliminar
    2. Aqui tem mais um exercício de demência aplicada, típico da "direitinha do copinho de leite":

      http://observador.pt/opiniao/europa-historia-medo/

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...