domingo, 21 de fevereiro de 2016

Isto é o Que Acontece Quando um País é Governado Por Traidores e Incompetentes Durante Demasiado Tempo

Um documentário produzido pela Força Aérea Portuguesa (FAP), sobre o lendário Alouette III. Apesar da excelência técnica e científica demonstrada pela durabilidade e capacidades do aparelho, as máquinas - tal como as pessoas - têm os seus limites físicos e por isso, até 2018 em princípio, a FAP deixará de operar estes helicópteros. Qual o problema? É que não há dinheiro para comprar novas máquinas para os substituir...


“Nesses anos, quando um soldado português desembarcava de um dos barcos da sua Nação para servir num forte em Moçambique, ou em Malaca, ou nos estreitos de Java, já previa, durante o seu tempo de serviço, três cercos, durante os quais comeria erva e beberia urina. Estes defensores portugueses contribuíram para uma das mais corajosas resistências da história do mundo.” - James Michener (escritor americano), sobre a moral portuguesa antes de o País passar a ser governado por traidores e incompetentes

"Pilotos recebem instrução em aviões da Guerra Colonial. Helicópteros Alouette já operavam na década de 1960. Os Alpha-Jet, de instrução de pilotos para os caças F-16, têm mais de 40 anos."

Por aqui podem ver o estado de absoluta miséria a que chegou a Força Aérea Portuguesa. Sem dinheiro, quase sem aviões e qualquer dia sem combustível sequer para as poucas engenhocas voadoras que ainda lhe restam...

Faz agora dez anos que eu visitei a base aérea de Beja. Na altura, fiquei surpreendido com o mau estado do equipamento em geral (eu já sabia que a situação era má, mas não tinha noção do quão mal as coisas estavam mesmo...), especialmente dos helicópteros, um deles, um velhinho Alouette III, até tinha peças seguradas por adesivos no cockpit e isto juro que vi com os meus próprios olhos. Aquilo  a que eu assisti em Beja, bastou-me para perceber a realidade da situação militar e isto já foi há dez anos, ou seja, antes da crise de 2008, agora imagino que deve estar ainda pior...

Se eu fosse um espião ao serviço de outra potência, a minha conclusão no relatório teria sido óbvia: Portugal não passa de um pequeno tigre de papel, na realidade, um gatinho de papel e as paradas militares escondem a realidade de uma situação militar muito precária e carente de toda a espécie de equipamento. Os portugueses não reúnem as condições mínimas para aguentar sequer uma guerra de autodefesa do próprio território continental, porque simplesmente não possuem equipamento para combater e o pouco material bélico que existe ou está totalmente obsoleto, ou então está disponível em demasiado pouca quantidade para fazer qualquer diferença num conflito a sério.


João José Horta Nobre
21 de Fevereiro de 2016

2 comentários:

  1. E, com a pregação internacionalista destes 41 anos, duvido que mesmo com bom equipamento tenham moral para combater.
    Portugal mudou. A CML até já subiu a bandeira nacional de pernas para o ar, só para desfeitear o PR por este não pertencer aos bandos de esquerda que controlam o discurso e o pensamento das multidões.

    ResponderEliminar

  2. "até 2018 em princípio, a FAP deixará de operar estes helicópteros. Qual o problema? É que não há dinheiro para comprar novas máquinas para os substituir..."


    Caro JJHN


    Esta notícia é excelente, pois irá obrigar a que se invista na modernização militar, ou seja, haverá gastos financeiros e havendo gastos financeiros aqui é preciso ajustar noutras sítios.

    Quando não há vontade política de implementar reformas estruturais (que irão contribuir para destruir as bases de sustentação da esquerda), só nos resta a pressão financeira.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...