quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Portugal Não é o Bordel da Merkel

Merkel demonstra as suas capacidades de "garganta funda" com um pickle de arenque.


Segundo consta, a Merkel pretende enviar dois mil ditos "refugiados" para Portugal e tem como intenção pagar-lhes as respectivas propinas. O esquerdalho baba-se tanto de alegria com este tipo de coisas, que até o Ferreira Fernandes do Diário de Notícias, já veio descrever isto como sendo "boa política".

Uma pequena nota para o Ferreira Fernandes: Portugal não é o bordel da Merkel e a nossa honra não está à venda. Se está desejoso de vender algo, experimente vender o seu próprio ânus e depois escreva uma crónica no Diário de Notícias, para relatar o que achou da nova experiência.

Temos em Portugal milhares de alunos portugueses, que são obrigados a desistir do ensino superior português todos os anos por causa de "carências económicas". Ao abrigo da lei e enquanto Portugal for membro da União Europeia (oxalá que não por muito mais!), os portugueses também são cidadãos da União Europeia. Onde é que andou a "humanitária" Merkel nos últimos anos, enquanto fomos e continuamos a ser esmagados por austeridade, atrás de austeridade e mais austeridade?

Onde é que andaram todos estes pseudo-humanistas da causa perdida dos "refugiados" nos últimos cinco anos?

Não há dinheiro para apoiar estudantes portugueses que desistem dos estudos por "carências económicas", mas já há dinheiro para esbanjar com "refugiados" que nem sequer são cidadãos da União Europeia?!
 
Com quem é que esta tralha pensa que anda a gozar???

Portugal deve recusar liminarmente, receber qualquer tipo de refugiado enquanto houver um único português a dormir na rua ou um único estudante a desistir dos estudos por "carências económicas". Se não há para os nossos, também não pode haver para os outros, ponto final. 

Como é que os cretinos da classe política pensam poder justificar isto às centenas de milhares de portugueses, que foram empurrados para o estrangeiro nos últimos anos? Vão-lhes dizer o quê? "Olhem, desculpem lá, para vocês que estavam no vosso próprio País não havia apoios, mas agora para os refugiados já há dinheiro a rodos!" Acham que isto é coisa que se faça?!?

O que a actual classe política "portuguesa" (que de portuguesa não tem nada...) está a fazer, configura não só uma traição aos portugueses, como constitui também um atentado à nossa honra colectiva. A Merkel que fique lá com os seus "refugiados" e ela que se vá mas é preparando para ser levada a julgamento por traição pelo próprio povo alemão, quando o actual circo político que tomou conta da Europa terminar - algo que vos garanto que já não está tão longe como muitos pensam.    

João José Horta Nobre
11 de Fevereiro de 2016
 

6 comentários:

  1. Pior do que isso. A mando dos alemães, andam o fisco e os nossos bancos a confiscarem a casa a famílias portuguesas que não conseguem pagar hipotecas ou impostos. Para oferecer alojamento de mão beijada aos que nunca contribuiram com nada. Só falta, para cúmulo, alojá-los nas casas arrestadas aos portugueses.

    ResponderEliminar
  2. Pior do que isso. A mando dos alemães, andam o fisco e os nossos bancos a confiscarem a casa a famílias portuguesas que não conseguem pagar hipotecas ou impostos. Para oferecer alojamento de mão beijada aos que nunca contribuiram com nada. Só falta, para cúmulo, alojá-los nas casas arrestadas aos portugueses.

    ResponderEliminar

  3. "...nos últimos anos, enquanto fomos e continuamos a ser esmagados por austeridade, atrás de austeridade e mais austeridade?"



    Caro JJHN


    Não há nenhum esmagamento, os ajustamentos são mínimos, praticamente está tudo na mesma, o Estado continua a gastar muito mais do que recebe.

    É preciso vontade política para largar os minúsculos ajustamentos e passar às reformas estruturais. Enquanto houver financiamento irá continuar o engonhamento, quando não houver haverá mais ajustamentos sob vigilância de quem nos financia.

    ResponderEliminar

  4. "Portugal Não é o Bordel da Merkel"


    Claro que não, Portugal é o bordel que os eleitores escolheram livre e conscientemente e a pressão aumenta novamente.

    http://www.jornaldenegocios.pt/mercados/taxas_de_juro/detalhe/juro_a_dez_anos_ultrapassa_a_fasquia_de_4.html

    Há uns anos 7% foi o limite que levou o Pinócrates a sair pelo seu próprio pé.

    ResponderEliminar
  5. De facto é repugnante (a oferta das 2000 vagas ... mas já agora também a imagem dessa gorda!). Mas aparentemente ninguém parece querer reagir em telejornais, programas de comentário político, parlamento ...
    Tratam-se os Portugueses como se fossem lixo!

    Cumprimentos.
    PL

    ResponderEliminar
  6. Reagir, caro Paulo Lopes? Como é que eles haviam de reagir se no fundo querem todos o mesmo, mais e mais imigrantes?

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...