segunda-feira, 21 de março de 2016

Da Legitimidade Política do Calão


O video dispensa comentários...


Há momentos na vida em que ser "polido" e "correcto" no que concerne ao uso da linguagem, serve mais os interesses do inimigo, do que os nossos. Foi assim que a esquerda venceu nos últimos cinquenta anos, à custa do beatismo da direita e da sua incapacidade paralítica em perceber que só radicalizando os seus métodos de comunicação (algo que a esquerda já fez há 150 anos atrás...), é que poderá derrotar a esquerda.

A esquerda é mestre no que diz respeito ao emprego da linguagem. Sabe fazer propaganda e domina na perfeição a arte da retórica. A direita, pelo contrário, sempre foi débil neste aspecto e por isso mesmo é que perdeu a guerra cultural contra a esquerda. Perdeu exactamente onde era essencial vencer, pois quem perde a guerra cultural, vai inevitavelmente perder também a guerra nos outros campos de batalha.

Quem me conhece pessoalmente e acompanha o que eu escrevo, sabe que eu não tenho problemas em fazer uso dos "alhos e bugalhos" quando necessário. Faço-o, porque tal como diz o filósofo brasileiro, Olavo de Carvalho, há momentos na vida em que a única resposta possível é o famoso "vai tomar no cu". Isto acontece especialmente quando se trata de comunicar com o esquerdalho, nesses deliciosos momentos, há que levar toda a "artilharia pesada" atrás e estar disposto a disparar tudo o que houver para disparar, caso contrário, perdem.

Digo-vos isto com base em anos de experiência pessoal a aturar os caramelos esquerdóides (atenção, não confundir com espermatozoides...) e porque sei muito bem o que a casa gasta com esse tipo de gente. A esquerda basicamente utiliza truques que são característicos de "filhos de putas refinados". São especialistas em ofender sem ofender. Percebem? Dão a facada, mas depois fazem de conta que eles é que foram vítimas da facada. Quem parte para um duelo contra a esquerda munido de preceitos beatos e "croquetes" à moda das tias de Cascais, é melhor que se prepare para ser derrotado em toda a linha pela esquerda. Aliás, é precisamente isso que a esquerda quer, porque o beatismo conservador e "correcto" da direita, para a esquerda sempre foi interpretado como um sinal de fraqueza.

Quem já tinha percebido tudo isto muito bem há quase um século atrás, foi Benito Mussolini. Tanto que o percebeu, que em poucos anos arrasou a esquerda italiana e obrigou os beatos da direita a terem de ir comer-lhe da mão para sobreviverem. Diga-se já agora de passagem, que esses eram os mesmos beatos incompetentes, que foram os principais responsáveis pela grave situação social em que a Itália se encontrava nas vésperas da Marcha sobre Roma em 1922. Aquilo que Mussolini e o Fascismo Italiano nos ensinam, é que no que concerne ao campo da linguagem, só é possível derrotar a esquerda, recorrendo ao mesmo tipo de violência verbal e retórica belicista de que a esquerda faz uso no seu dia a dia.


João José Horta Nobre
21 de Março de 2016


Olavo de Carvalho sendo muito modesto...

3 comentários:

  1. João,
    No primeiro vídeo ele refuta toda argumentação que usa para justificar o uso da torpeza linguística. Primeiro reclama, vociferando palavrões, a ideia do governo em fomentar o uso do palavrão no meio infantil.
    Fala sério!!! não é muita contradição?
    Ou seja, o homem que não tem consciência de sua própria capacidade, pode até acertar em alguns pontos, mais corre o risco de renegar a si próprio.

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida. Comunas e xuxas são basicamente desonestos. O Olavo diz isso há anos.
    Por cá, os que se intitulam de direita, em geral são um bando de trapalhões à procura de migalhas. É a direita que a esquerda escolheu e consentiu depois da abrilada. Os restantes foram saneados, perseguidos e ostracizados. Atiram-lhes com o "fassista" para cima e eles encolhem-se com medo de perder o empreguinho, a avença, o subsídio, etc. As palavras são armas na boca dos esquerdistas.

    ResponderEliminar
  3. Caro JJHN


    Acho que ainda não percebeu, a esquerda está derrotada a todos os níveis, tanto a nível moral, político, social, económico e cultural, falta-lhes dar o golpe de misericórdia.


    Aí vai a lista actualizada de reformas urgentes e necessárias:

    Aí vai a lista actualizada:

    Abolição do salário mínimo
    Liberalização dos despedimentos
    Abolição dos descontos
    Pagamento do verdadeiro custo da água e energia pelo utilizador
    Pagamento do verdadeiro custo de educação e saúde pelo utilizador
    Liberalização (facilitação, desregulamentação) do acesso às profissões liberais
    Liberalização das rendas
    Sujeição a IRC a todas as pessoas colectivas
    Simplificação do IRS com sujeição individual, taxa única, sem deduções e abatimentos
    Taxa única no Iva
    Desmantelar o sistema escolar com o e-learning
    Varrer a função pública
    Extinção das juntas de freguesia
    Redução do número de deputados
    ...
    ...
    ...

    ...



    Trata-se apenas de uma questão de vontade política, senão lá teremos de esperar pelo aumento da pressão financeira para nosvos ajustamentos ou dos nossos financiadores abrirem a pestana e deixarem de nos financiar.

    Enquanto isso não for efectuado lá teremos que nos aguentar com eleições sucessivas com muitos votos à esquerda, com debates e pseudo-debates na comunicação social, com a criação de leis aberrantes, com artigos de opinião, com o mediatismo político de cada situação informativa.

    Tudo isto são meras tretas.


    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...