quarta-feira, 20 de abril de 2016

O Marcelinho Sempre do Lado Certo da História



Há poucos dias atrás, Marcelo Rebelo de Sousa deslocou-se a Coimbra para homenagear os estudantes que provocaram a crise académica de 1969 e "dar a palavra aos mesmos". Parece que, no entanto, ninguém se lembrou de lhe perguntar que regime é que ele andava a apoiar nos idos de 1969...

Marcelo Rebelo de Sousa tem pavor de ser conotado como um ex-apoiante da dita "direita radical" ou nacionalista. Por este motivo, ele tenta fugir continuamente ao seu passado "faxista" que só deixou de ser "faxista" por mero oportunismo político. Vejamos, "em 1969, o aluno da faculdade de Direito de Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa, furou a greve aos exames decretada por solidariedade com os estudantes de Coimbra e foi manifestar o seu apoio ao presidente do Conselho de Ministros de então, Marcello Caetano."
 
Então? "Faxisto"?!?

Não deixa de ser no mínimo estranho, que um tipo que andou abertamente a apoiar o regime marcelista durante a crise académica de 1969, venha agora ao estilo "no pasa nada" dirigir-se aos estudantes de Coimbra e arvorado em grande democrata. A isto eu chamo um hipócrita oportunista, nada mais.

O Marcelinho sempre foi isto e nunca passou disto: um "artista" que quer subir na vida a todo o custo e por isso está disposto a colocar-se sempre do lado certo da história, isto é, o lado politicamente correcto dos acontecimentos. Não tenham a mínima dúvida, se o 25 de Abril não tivesse ocorrido, muito provavelmente o Marcelo Rebelo de Sousa diria hoje exactamente o contrário daquilo que anda a pregar aos sete ventos nos seus discursos. Os oportunistas são assim, o que lhes interessa é subir na vida, custe o que custar e independentemente das consequências. Nem que tenha de vender a alma ao próprio Diabo, gente como o Marcelinho não olha a meios para atingir os seus fins. O que interessa é apenas subir, subir, subir e conquistar poder e mais poder. Tudo o resto é relativo. Isto no fundo, para além de demonstrar uma tremenda falta de carácter, pode até possivelmente ser considerado como sendo uma doença do foro mental.

Se alguém ainda tem dúvidas sobre a falsidade da personagem aqui em causa, leiam esta carta que o "menino Marcelinho" escreveu ao professor Salazar em 1960 e tirem as vossas próprias conclusões:
Senhor Presidente do Conselho Excelência Venho agradecer a Vossa Excelência a amabilidade que teve para comigo ao enviar-me, por intermédio da Senhora D. Jenmy, alguns dos livros de Vossa autoria e por Vossa Excelência rubricados. Eu, como simples aluno do primeiro ano liceal, acho que é demasiado valiosa para mim a oferta de Vossa Excelência, pois o dever do aluno e filiado da M. P. é tentar melhorar-se e educar-se a si próprio por sucessivas vitórias da vontade. E para certificar a afirmação feita bastam os versos de Fernando Pessoa: "Deus quer, o homem sonha, a obra nasce". E Senhor Presidente, para terminar esta pequena e modesta carta, desejo a Vossa Excelência muitos anos de vida, para bem da Nação Portuguesa e de todos nós. Com o mais profundo respeito e a mais sentida gratidão, subscreve-se o vosso humilde servo. Marcelo Nuno Duarte Rebelo de Sousa Lisboa, 7 de Abril de 1960

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/politica/detalhe/menino-marcelo-escreveu-a-oliveira-salazar.html

Então? "Faxisto"?!?  

João José Horta Nobre
20 de Abril de 2016


Uma canção dedicada ao Marcelinho e apropriadamente intitulada de "Schizophrenia", pois será esse o estado mental a que a maioria dos portugueses estarão reduzidos quando o actual regime, "coroando a longa resistência do povo português", terminar a sua obra de libertação do "pavoroso faxismo":

10 comentários:

  1. Caro João José Horta Nobre
    Eu adorooooo o Marcelinho , tem-me perseguido a vida toda.
    Tmbém tenho um blog e estou no facebook.
    A seu tenpo este seu post vai para o meu mural.
    Cunprimentos
    Karocha Diaz-Béerrio

    ResponderEliminar
  2. Estou para ver o que este invertebrado, que em menino teve um orgasmo ao receber os livros de Salazar e que em adulto desfilou contra o casamento homossexual, irá fazer se tiver que promulgar a Lei das Barrigas de Aluguer...

    http://corta-fitas.blogs.sapo.pt/a-parada-fraturante-6331944

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo isso depende das circunstâncias do momento meu caro. Se o marcelinho achar que ganha mais popularidade promulgando, então com certeza que promulgará. O marcelinho não age por convicções ou ideologia, age por popularidade, limita-se a deixar-se levar pelo sentimento do momento, nada mais.

      Eliminar
  3. Ontem, durante o jantar com uns antigos colegas da faculdade, um deles confessava arrependimento por ter votado no Marcelinho. Eu perguntei-lhe: "Mas porque é que votaste neste carreirista?" E ele respondeu, muito rapidamente "Em que é que havia de votar? O Marcelo era o único com experiência."

    E assim que o nosso povo, mesmo as classes mais instruídas, vota. Pela "experiência", ou pela "elonquência" ou por outra treta irrelevante qualquer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até a minha própria mãe gosta do Marcelinho. Há umas semanas atrás mandei uma crítica ao Marcelinho ao pé dela e levei logo um sermão em troca: "Ai, eu gosto muito do Marcelo! Sempre gostei muito de o ouvir a falar na televisão!"

      Assim vai a mentalidade deste povo. Eles não olham para as coisas em profundidade, limitam-se a ver a superfície e escolhem os políticos por aí. Depois é o que se vê...

      Eliminar
  4. http://www.cmjornal.xl.pt/opiniao/colunistas/joao_pereira_coutinho/detalhe/fazer_poupancas.html se o poder está em Bruxelas para quê um presidente em Belém pergunta o Coutinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós já deixámos de ter qualquer governo ou liderança séria em Portugal desde 1974. O que temos na política são lacaios da superclasse mundialista, nada mais do que isso.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...