sábado, 23 de abril de 2016

O Que os Políticos "Portugueses" Estão a Fazer é Genocídio Contra o Povo Português



«No jobs for Portuguese so they leave, Premier wants to replace them with Arabs and Africans»


Quando temos uma classe política que propositadamente inferniza a vida à população autóctone e empurra a mesma para um desespero tal, que a leva a emigrar, enquanto simultaneamente prepara a substituição dessa mesma população por alógenos oriundos do Terceiro Mundo, que nome é que se dá a isto?...

Para mim e digo-o sem rodeios, trata-se pura e simplesmente de um genocídio. Sim, porque há várias formas de se exterminar uma dada população e nem todas implicam a utilização de métodos violentos. O que se está a fazer actualmente é a levar a cabo uma substituição populacional nas nações que compõem a União Europeia e onde a Superclasse Mundialista, por via dos lacaios ao seu serviço, já detém o controlo quase total da situação. 

O esquema da Superclasse Mundialista, no fundo, choca pela sua simplicidade: Primeiro provocam uma crise económica e agravam-na de propósito, de forma a empurrar os autóctones para o exílio forçado (chamam-lhe "emigração"), enquanto em simultâneo arranjam guerras que vão originar milhões de refugiados, guerras essas, que apenas por mera "coincidência" (vejam bem!), são criadas logo aqui ao lado da Europa, de forma a facilitar a chegada de hordas de alógenos em massa. 

Pensem um pouco e verão como tudo isto encaixa na perfeição e é por demais evidente que se trata de um plano de extermínio urdido pelas elites contra nós. Em 2008, a Superclasse Mundialista fabricou uma crise económica para rebentar com as economias dos países europeus. De seguida, fomentaram a tal "primavera árabe" de maneira a desestabilizar todo o Médio Oriente e criar as tais hordas de milhões de refugiados. Agora, com tudo isto a funcionar no seu pleno, é só irem fazendo propaganda em prol da "abertura de fronteiras" e do "acolhimento de refugiados", de forma a manterem as massas europeias anestesiadas e o genocídio pouco a pouco vai avançando. 

No meio de toda esta tragédia, eventualmente salvar-se-á a Europa de Leste e não deixa de ser curioso notar que até Hitler nos dias finais da Segunda Guerra Mundial, quando já estava totalmente cercado por eslavos no seu bunker em Berlim, previu e com provável razão que os únicos europeus capazes de resistirem com eficácia a estes planos da Superclasse Mundialista, eram exactamente os povos eslavos (a cena até aparece retratada no filme Der Untergang). De facto, é o que se constata na actualidade, pois ao colapso da Europa Ocidental perante as exigências e os planos de extermínio da Superclasse Mundialista, contrapõe-se a resistência patriótica de praticamente toda a Europa de Leste.

Quem conhece a história sabe do historial de brutal resistência que os eslavos tiverem no passado contra os avanços do Império Otomano, resistência essa, que os vacinou bem vacinados contra o terror que há-de vir. Nós, portugueses e ibéricos, também devíamos de estar vacinados, pois já bastaram mais de 500 anos de ocupação islâmica na Ibéria, mas em lugar disso, o que temos é um povo completamente apático e direi mesmo que em processo de estupidificação absoluta.

Os portugueses, à semelhança de toda a restante Europa Ocidental, irão ser física e culturalmente exterminados dentro de um século ou talvez até menos do que isso, se os agentes da Superclasse Mundialista que estão actualmente aos comandos da nossa Pátria, não forem corridos do poder a bem ou a mal. Nada irá restar de Portugal e os poucos portugueses que sobreviverem, só o conseguirão mediante a procura de refúgio na Europa de Leste, Ásia ou América Latina. Caso contrário, terão de se sujeitar a converter-se ao Islão ou a serem uma minoria étnica numa futura Ibéria Islâmica com tudo o que isso implica...

Para a história e para quem se quiser no futuro dar ao extremo trabalho de escrever a mesma, deverá constar que tudo isto aconteceu por via das traições da Igreja, dos militares, da classe política e das elites académicas. Este bando de trafulhas e vendidos foram quem nos condenou a todos à morte. 

Os eslavos, devem também de já agora olhar para a Europa Ocidental e tomar-nos como exemplo daquilo que NÃO se deve fazer, nem imitar em circunstância alguma.

João José Horta Nobre
23 de Abril de 2016



7 comentários:

  1. A gente bem sabe que só existe genocídio quando os que morrem não são brancos ou cristãos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então, mas meu caro FireHead, desde quando é que um branco seja ele cristão ou não, tem direito à identidade???

      Isso era só o que faltava!

      Fosse isto com alguns índios da América Latina e já teríamos aí o Movimento dos Sem Terra a guinchar e a esquerda toda em polvorosa a dizer que temos de "preservar a tribo X, porque está em perigo de extinção!"

      Eliminar
    2. Não é preciso ser branco, basta até ser cristão. Então e a chacina anticristã que está a haver no Médio Oriente? Não me diga que é como certas pessoas que dizem que os médio-orientais também são europeus por serem indo-arianos e estas coisas todas?

      Eliminar
    3. Mas não são só os cristãos FireHead, no Mundo Islâmico, qualquer não-muçulmano corre um sério risco de ser perseguido, veja o caso dos yazidis. Ateus, budistas, cristãos, pagãos, zoroastras, tudo o que não seja muçulmano é perseguido no Médio Oriente.

      «Não me diga que é como certas pessoas que dizem que os médio-orientais também são europeus por serem indo-arianos e estas coisas todas?»

      Cultural e espiritualmente os médio-orientais não são europeus. Do ponto de vista racial, são considerados caucasianos e basta ver como muitos são brancos e têm traços faciais em tudo iguais aos europeus. Esta moça árabe é disso um bom exemplo:

      https://www.youtube.com/watch?v=Oc3tasHrOPk

      Eliminar
    4. Vá lá, neste aspecto está melhor que muitos dos ditos racialistas brancos... :)

      Eliminar
  2. A jornalista saudita Nadine Al-Budair, que reside no Qatar, escreveu um artigo no jornal diário Al-Rai do Koweit em que questiona como reagiriam os muçulmanos se cristãos se tivessem feito explodir no meio deles ou tentado impor-lhes a sua fé. Ela apelou ao Mundo Muçulmano para que olhasse para si próprio e implementasse reformas, em vez de condenar as atitudes do Ocidente perante ele.(nota minha: claro que eles não vão seguir tal conselho pois primam pela irracionalidade geral e pelo fanatismo,tal como aliás certos grupos ideológicos dentro da própria Europa)- See more at: http://perigoislamico.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Caro JJHN


    Insisto, a solução passa pelo desmantelamento das bases de sustentação da esquerda e isso apenas depende da vontade política.

    Aí vai a lista actualizada:


    Abolição do salário mínimo
    Liberalização dos despedimentos
    Abolição dos descontos
    Pagamento do verdadeiro custo da água e energia pelo utilizador
    Pagamento do verdadeiro custo de educação e saúde pelo utilizador
    Liberalização (facilitação, desregulamentação) do acesso às profissões liberais
    Liberalização das rendas
    Sujeição a IRC a todas as pessoas colectivas
    Simplificação do IRS com sujeição individual, taxa única, sem deduções e abatimentos
    Taxa única no Iva
    Desmantelar o sistema escolar com o e-learning
    Varrer a função pública
    Extinção das juntas de freguesia
    Redução do número de deputados
    ...
    ...
    ...

    ...

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...