segunda-feira, 16 de maio de 2016

A Igreja Abre o Caminho

 O Papa João Paulo II a beijar o livro inventado pelo pedófilo semita Maomé. Entretanto, quantos líderes islâmicos de grande destaque é que vocês já viram a beijar uma Bíblia?... Pois é, eu não vi nenhum e o Papa também parece que não se preocupou muito com isso, pois há que dar sempre a "outra face" ao inimigo, não é assim?



Torna-se evidente que a penetração do Internacionalismo em terras de Leste, está neste momento a ser feito pela Igreja. Neste momento ainda não se nota, mas com o tempo e se não for travada a tempo, a doutrina de desarmamento psicológico propagada pela Igreja, acabará por produzir os resultados desejados. A coisa funciona por várias fases, primeiro quebram-se as defesas psicológicas dos europeus com as cantigas cristãs do "amor" e do "universalismo" (palavra cristã para Internacionalismo). Quando as massas já estão suficientemente enfraquecidas e "amolecidas" pelo "amor cristão", os mundialistas colocam em prática a segunda fase da operação e viram-se contra a própria Igreja, destruindo-a por completo e substituindo-a pelo hedonismo. O Cristianismo, é apenas um meio para se atingir um fim.

A Europa de Leste em termos gerais, ainda é demasiado nacionalista para os mundialistas darem início a uma ofensiva como a que já estão neste momento a levar a cabo no Ocidente. Por isso, a abertura do caminho faz-se pela mão da Igreja e num longo processo que poderá durar até meio-século ou mais. O objectivo é "amolecer" os polacos com o "amor cristão" e transformá-los em cordeirinhos mansos como já ocorreu na Europa Ocidental. Apenas depois de estar concluída esta fase, é que os mundialistas se vão atirar contra a Igreja na Europa de Leste e arrasá-la, da mesma forma que já a arrasaram na Europa Ocidental. Isto porque e como eu já disse, o Cristianismo não passa de um meio para se atingir um fim. 

O problema é que por vezes o feitiço vira-se contra o feiticeiro e da mesma forma que no século XX, os mundialistas perderam o controlo sobre a União Soviética nos anos de Estaline (um feroz nacionalista eslavo), assim também os mundialistas perderam o controlo sobre o Cristianismo durante a Idade Média, que acabou por nessa época fomentar até uma espécie de ultra-nacionalismo na Europa. Entretanto, os mundialistas resolveram o problema com a Revolução Francesa e actualmente o Cristianismo já está novamente bem domesticado e controlado, de forma a poder servir o fim para o qual foi inventado, ou seja, criar gado submisso para abate, gado que perante a mais evidente ofensiva do inimigo, caminhará alegremente para o seu próprio fim, da mesma forma que muitos cristãos alucinados, em lugar de lutarem, íam felizes para o Coliseu Romano na hora de serem dados de comer aos leões. Se isto só por si não serve de evidência sobre o grau de desarmamento psicológico a que o Cristianismo pode conduzir quem o segue, então não sei de que mais provas precisam.

Os romanos perceberam muito bem no que ía resultar a seita cristã e por isso mesmo é que a combateram enquanto conseguiram. Eles perceberam isto tudo muito bem, ou não fossem eles os antigos pagãos "atrasados" que sem máquinas a vapor, antibióticos ou motores de combustão, conseguiram criar e manter um Império durante doze séculos, deixando obra que ainda hoje está aí de pé e bem à vista de todos.

Eram também estes mesmos romanos pagãos e "atrasados" que costumavam dizer que arbor bona fructus bonos facit, ou seja, que "a boa árvore dá bons frutos". Uma árvore como o Cristianismo, que só serve é para criar homens fracos, isto é, fruta podre e incapaz de se defender do bicho que a ataca, não pode ser uma boa árvore. A conclusão parece-me óbvia.

João José Horta Nobre
16 de Maio de 2016

4 comentários:

  1. Mestre Nobre, o Cristianismo é mais uma das invenções dos judeus, feita para "domesticar" o gado, isto é, domesticar os goyim e prepará-los para a servidão que há-de vir.

    Dar a outra face, amar o próximo, dar o cu ao inimigo, isto encaixa tudo na perfeição. O Cristianismo é uma seita de submissão total ao inimigo. Agora finalmente começa a ficar tudo claro e a descoberto. Veja-se aquela ratazana imunda do Bergoglio sentado com o cu dele fedorento no Vaticano, a servir a Nova Ordem Mundial. Esse animal vaticanista é tão ruim que nem quer saber dos próprios seguidores da sua seita cristã. Vai ao Médio Oriente buscar invasores islâmicos e os cristãos de lá ficam a chuchar no dedo.

    O Bergoglio que enfie mas é um crucifixo no cu! Filho da puta e traidor de merda. Ele e todos os vendidos da Igreja, são todos uns filhos da puta e lacaios dos semitas.

    ResponderEliminar
  2. O bergoglio precisa é de levar com picha islâmica no cu e o resto é conversa. Aposto que o santo Papa até ía gostar de experimentar essa nova sensação!

    ResponderEliminar
  3. Resta saber o que passou pela cabeça do imperador Constantino(temos algumas teorias)para tornar tal religião(a qual foi formada sobre as cinzas de outras formas de cristianismo que não aceitavam os dogmas de Pedro e Paulo)a religião oficial do Império Romano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele e a elite romana possivelmente viram no Cristianismo uma forma de controlar as massas.

      Aquela conversa cristã sobre as "virtudes da pobreza" e do "mais facilmente passa um camelo pelo buraco de uma agulha, do que um rico entra no Reino dos Céus", é muito útil para controlar a população. Especialmente quando estamos a falar de uma população pobre e por vezes faminta quando estalavam as crises alimentares.

      O Cristianismo no fundo, é uma espectacular arma psicológica de controlo social.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...