quinta-feira, 26 de maio de 2016

E Eu Que Pensava Que as Fraudes Eleitorais só Aconteciam na Rússia...

Fraude nas eleições austríacas: Houve localidades em que o número de votos contados foi muito superior ao número de eleitores que estão registados nessas mesmas localidades. Há inclusive, uma localidade em que o número de votos contados foi quase cinco vezes superior ao número de habitantes registados! Estamos perante mais um exemplo (de quantos mais é que precisam?...) daquilo em que realmente consiste a "democracia" que nos é impingida pelas elites da UE, que são na prática, uma autêntica máfia muito bem organizada, financiada e determinada em levar adiante os seus intentos maquiavélicos, independentemente da vontade dos cidadãos. 



Desde o primeiro momento em que soube dos resultados das últimas eleições presidenciais na Áustria, que eu desconfiei logo de que estávamos perante uma fraude eleitoral maquinada pelas elites globalistas. Tudo o que se passou é muito estranho, pois o candidato do FPÖ, Norbert Hofer, nos dias que antecederam as eleições, estava a liderar em praticamente todas as sondagens e a votação nas urnas confirmou isso mesmo, onde ele conseguiu manter uma vantagem de três pontos percentuais sobre o candidato da superclasse mundialista, o lacaio Alexander Van der Bellen. Ora, à última da hora e do nada surgiram uns tais votos por correspondência, que inverteram os resultados e deram a vitória ao candidato que as elites europeias e a superclasse mundialista queriam que vencesse as eleições. 

Podem ter a certeza de que se acontecesse uma situação destas na Rússia, já teríamos toda a imprensa ocidental a fazer a choradeira do costume e a falar em "fraude eleitoral na Rússia", tudo muito provavelmente acompanhado pelas condenações verbais a que já nos habituaram, tanto da parte dos líderes da UE, como por parte do Obama e da seita que o rodeia. 

O que aconteceu na Áustria já se tornou óbvio: estamos perante uma fraude eleitoral engendrada pela superclasse mundialista. Esta gente está a tentar impedir a todo o custo que cheguem ao poder na Europa líderes políticos que coloquem em causa o projecto europeu, que não passa de um protótipo para o futuro governo mundial totalitário que os lunáticos da superclasse mundialista estão a preparar. 

Norbert Hofer não é, nem nunca foi um "neonazi" como a imprensa ao serviço das elites o tenta pintar. Isso é tudo mentira sem qualquer fundamento. Norbert Hofer é, isso sim, um patriota que quer salvar o seu País das garras da tirania global que os mundialistas lhe querem impingir a ele e à sua Pátria. Reparem como a imprensa mundialista nem sequer hesitou em chamar "neonazi" a Hofer, mas trata Barack Obama com todo o respeitinho. Quem é Barack Obama? Pois trata-se "apenas" do senhor que possui um Prémio Nobel da Paz e que a mando da superclasse mundialista, já destruiu dois países (Líbia e Síria) e é responsável directo pela morte de mais de 200 000 pessoas com todas as guerras que tem arranjado no Médio Oriente e mesmo assim, este psicopata, este assassino de mulheres e crianças, continua a ser recebido de braços abertos na UE e a receber os maiores louvores da parte da imprensa internacional e das elites ao serviço do projecto globalista totalitário.

Isto é Totalistarismo 2.0. A capacidade que a superclasse mundialista tem para controlar a imprensa e os acontecimentos, sem que muitos cidadãos se apercebem de nada do que realmente se está a passar, é verdadeiramente assustadora. Estamos claramente perante uma forma aperfeiçoada de Totalitarismo. Desta vez os novos totalitaristas já não andam de bota cardada e fazem discursos megalómanos aos berros como faziam os parolos fascistas e nazis das décadas de 1920 e 1930. Os novos totalitaristas evoluíram na metodologia, são mais discretos e funcionam com base na manipulação discreta da imprensa, dos mercados (uma autêntica arma de guerra), dos tribunais e agora também das eleições como acabou de acontecer na Áustria. Nunca como hoje estivemos tão perigosamente próximos do Mundo profetizado por George Orwell em 1984.

João José Horta Nobre
26 de Maio de 2016
 

4 comentários:

  1. Tal como em França, na Áustria os vários partidos "democráticos" juntaram-se e deram o apoio ao candidato ecologista de esquerda, a presidência do país. 50.3% contra 49.7%. Diziam eles que seria "o primeiro presidente declaradamente xenófobo a tomar o poder na Europa depois da 2a Guerra Mundial". Tal co mo nas regionais francesas em que foram precisos 5 partidos juntos para a derrotar a Frente Nacional em duas das regiões francesas (e conseguiram por pouco) não tenho dúvidas assim, que mais ano menos ano, os nacionalistas tomarão o poder na Europa. A bem dela própria.

    ResponderEliminar
  2. Por cá, já terá havido situações semelhantes em relação ao PNR. Conheço pessoas que me garantem ter votado no partido em freguesias onde o partido não obteve nenhum voto. Claro que essas pessoas podem estar a mentir, mas há outros camaradas com histórias como a minha, o que faz com que isso seja improvável.

    Isto ilustra uma realidade que é preciso perceber: os partidos nacionalistas têm de ter gente nas mesas de voto. Em TODAS as mesas de voto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso que o Afonso me conta não em espanta nada. Também já me tinham dito isso e até lhe digo mais: já ouvi rumores de que quando alguns meninos e meninas dos partidos do "arco do poder" (BE, PCP, PSD, CDS-PP, PS) se apanham sozinhos nas mesas de voto, riscam os votos das pessoas que votaram nos pequenos partidos sem representação parlamentar, de forma a torná-los nulos.

      Mas lá está, isto é a "democracia" como eles dizem e nós é que somos os "faxistas"...

      Eliminar
  3. Norbert Hofer não é, nem nunca foi um "neonazi" como a imprensa ao serviço das elites o tenta pintar. Isso é tudo mentira sem qualquer fundamento. Norbert Hofer é, isso sim, um patriota que quer salvar o seu País das garras da tirania global que os mundialistas lhe querem impingir a ele e à sua Pátria. Reparem como a imprensa mundialista nem sequer hesitou em chamar "neonazi" a Hofer, mas trata Barack Obama com todo o respeitinho. Quem é Barack Obama? Pois trata-se "apenas" do senhor que possui um Prémio Nobel da Paz e que a mando da superclasse mundialista, já destruiu dois países (Líbia e Síria) e é responsável directo pela morte de mais de 200 000 pessoas com todas as guerras que tem arranjado no Médio Oriente e mesmo assim, este psicopata, este assassino de mulheres e crianças, continua a ser recebido de braços abertos na UE e a receber os maiores louvores da parte da imprensa internacional e das elites ao serviço do projecto globalista totalitário.(do post acima)--------------Ora nem mais.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...