segunda-feira, 6 de junho de 2016

A Quem Interessa o Movimento Pela Abolição dos Matadouros?



Parece que temos por aí à solta um novo grupo de maluquinhos intitulado Movimento Pela Abolição dos Matadouros (MPAM) que se declaram como inimigos jurados "da carne, do sexismo e do Capitalismo". Preparem-se para render todas as chouriças que têm guardadas no frigorífico, pois esta malta promete luta a sério e nem esconde ao vem. O MPAM quer reduzir a "população humana no planeta, através do incentivo do Estado ao aborto e do fomento do casamento gay que não procria". Gostaram?

Estes novos e bravos "guerreiros da justiça social" parece que querem rivalizar com o Hamas, pois declaram-se não só como sendo contra o Sexismo, o Capitalismo, o Cissexismo, o Especismo e o Imperialismo, mas também dizem ser contra o Sionismo! Lá está, os nacionalistas é que pagam sempre as favas, quando não são os nacionalistas europeus ou americanos a ser os culpados por todos os males do Mundo, são os nacionalistas judeus a levar com as culpas em cima. 

A mim, porém, interessa-me saber uma coisa que ninguém ainda questionou: quem financia isto? Quem é que está por detrás deste tal Movimento Pela Abolição dos Matadouros? A quem pode interessar um movimento que assumidamente quer reduzir a "população humana no planeta, através do incentivo do Estado ao aborto e do fomento do casamento gay que não procria"

Liguem os pontos, pois isto trata-se de uma questão de lógica. Estas "causas fracturantes" apenas interessam à Superclasse Mundialista que vê nas mesmas uma forma de dividir e enfraquecer as sociedades, o que por sua vez leva ao enfraquecimento das nações, abrindo assim o caminho para o Internacionalismo. Tudo o que a Superclasse Mundialista faz, tudo o que a mesma financia e todas as peças de xadrez que a mesma move, visam apenas fazer um cheque-mate às nações, de forma a conseguir colocar em prática um governo mundial totalitário.

Este "inocente" Movimento Pela Abolição dos Matadouros, não tem nada a ver com a defesa dos direitos dos animais, mas sim, com a defesa da Nova Ordem Mundial. Eu próprio sou um defensor dos direitos dos animais, tenho uma Pastora Alemã que estimo muito, sou anti-touradas e por isso naturalmente que não quero que os animais sofram ou sejam mal-tratados nos matadouros da forma que podem ver aqui.

Mas ir ao ponto de abolir os matadouros?!? Bem, isso parece-me surreal para dizer o mínimo. Quem defende uma coisa assim, basicamente quer ilegalizar o consumo de carne por completo e meter a população toda a comer salsichas de soja. Mas da perspectiva da Superclasse Mundialista e tendo em conta que a mesma almeja a redução da população mundial, isto faz todo o sentido: a "carneirada" que se alimente de soja geneticamente modificada (uma possível arma de redução populacional), ao passo que as elites ficam a alimentar-se de comida exclusivamente produzida só para as mesmas em quintas criadas para esse efeito. 

Cada vez há mais estudos que apontam para os perigos do consumo de produtos à base de soja geneticamente modificada e reparem que um dos problemas de saúde que estes produtos provocam, só por mera "coincidência" é a infertilidade. Tal como decerto foi só por mera "coincidência" que a Monsanto proibiu o consumo de organismos geneticamente modificados numa das suas próprias cantinas.

Querer acabar com o consumo de carne e meter a população toda a alimentar-se de organismos geneticamente modificados, que provocam toda a espécie de problemas de saúde. Será que ninguém consegue ver o óbvio nisto tudo?...

João José Horta Nobre
6 de Junho de 2016

8 comentários:

  1. O Mestre Nobre sempre a partir a loiça toda!

    Força nisso!

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Caro JJHN

    Deve-se combater a esquerda e não se deve dispersar atenções.

    Combater a esquerda é simples, fácil e só depende da vontade política, passa pela implementação de reformas estruturais que desmantelem as bases de sustentação da esquerda.

    Aí vai a lista actualizada:


    Abolição do salário mínimo
    Liberalização dos despedimentos
    Abolição dos descontos
    Pagamento do verdadeiro custo da água e energia pelo utilizador
    Pagamento do verdadeiro custo de educação e saúde pelo utilizador
    Liberalização (facilitação, desregulamentação) do acesso às profissões liberais
    Liberalização das rendas
    Sujeição a IRC a todas as pessoas colectivas
    Simplificação do IRS com sujeição individual, taxa única, sem deduções e abatimentos
    Taxa única no Iva
    Desmantelar o sistema escolar com o e-learning
    Varrer a função pública
    Extinção das juntas de freguesia
    Redução do número de deputados
    ...
    ...
    ...

    ...

    ResponderEliminar
  3. Excelente análise, como sempre! Este MPAM não apareceu justamente agora por acaso... seria de facto muito interessante averiguar exactamente quem o criou e quem o financiou. Escrevo "seria" porque já sei que ninguém o vai fazer, sobretudo entre aqueles a quem mais compete - os mé(r)dia.

    A nós, blogueiros nacionalistas, só nos resta continuar a denunciar estes "guerreiros da justiça social" com os poucos meios que (ainda) temos à nossa disposição...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «A nós, blogueiros nacionalistas, só nos resta continuar a denunciar estes "guerreiros da justiça social" com os poucos meios que (ainda) temos à nossa disposição...»

      Pois, "ainda"...

      Eliminar
  4. "Liguem os pontos, pois isto trata-se de uma questão de lógica. Estas "causas fracturantes" apenas interessam à Superclasse Mundialista que vê nas mesmas uma forma de dividir e enfraquecer as sociedades, o que por sua vez leva ao enfraquecimento das nações, abrindo assim o caminho para o Internacionalismo. Tudo o que a Superclasse Mundialista faz, tudo o que a mesma financia e todas as peças de xadrez que a mesma move, visam apenas fazer um cheque-mate às nações, de forma a conseguir colocar em prática um governo mundial totalitário."(mais uma vez na mouche.Acontece que os supercapitalistas globalistas são os mesmos que fomentam e financiam certos Estados,com o Estado zionista à cabeça)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se a superclasse mundialista não for travada, Israel também vai acabar por cair. O que explica um maior proteccionismo em relação a Israel é o facto de haver muita gente na alta finança que é apoiante da causa sionista e o lobby sionista nos Estados Unidos também funciona muito bem.

      Mas a Superclasse mundialista não é sionista, aliás, basta ver como a esmagadora maioria da esquerda é toda anti-Israel e pró-Palestina...

      Eliminar
  5. Por outro lado todos estes ataques(fomentados por toda uma vaga de organizações neomarxistas)só se fazem na Europa e contra as sociedades europeias,ou acham que os africanos e os islamicos vão nessa cantiga??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «Por outro lado todos estes ataques(fomentados por toda uma vaga de organizações neomarxistas)só se fazem na Europa e contra as sociedades europeias,ou acham que os africanos e os islamicos vão nessa cantiga?»

      No Médio Oriente e em África a estratégia dos mundialistas é outra. Eles aí fazem desestabilização e levam a cabe operações de "regime change" como já fizeram no Iraque, na Líbia e estão a tentar fazer na Síria. Não Europa também já tentaram fomentar uma guerra civil na Ucrânia, mas o Putin cortou-lhes logo as voltas.

      http://www.strategic-culture.org/news/2015/09/24/soros-cia-plan-to-destabilize-europe.html

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...