sábado, 11 de junho de 2016

As Coisas Que Irritam o "Amigo de Israel"



"De facto, durante a década de 1930 não houve mais nenhuma Nação que fizesse tanto pelo aprofundamento dos interesses Judeus/Sionistas do que a Alemanha de Hitler." - Mark Weber in «Zionism and The Third Reich», The Journal of Historical Reveiw, July-August 1993 (Vol. 13, No. 4)
 
Os rapazes (judeus?) por detrás da operação de propaganda sionista que dá pelo nome Amigo de Israel, ficaram muito chateados comigo há uns dias atrás, apenas porque eu tive a ousadia de lhes colocar algumas perguntas incómodas, perguntas essas que eu nunca cheguei a especificar publicamente quais foram e que despoletaram toda a fúria dos extremistas religiosos do Amigo de Israel contra a minha pessoa, que não tardou a ser rotulada de "nazi" e "anti-semita" pelos mesmos. (A violência do "embate" foi de tal ordem, que até me perguntaram se eu também queria colar uma estrela amarela em todos os judeus...)

Então que questões tão incómodas foram essas que eu fiz? Pois bem, trataram-se apenas de duas perguntas muito simples. Em primeiro lugar, perguntei-lhes o que tinham a dizer sobre esta afirmação de David Ben-Gurion:

“With the exception of the USSR as a federated Eurasian state, all other continents will become united in a world alliance, at whose disposal will be an international police force. All armies will be abolished, and there will be no more wars. In Jerusalem, the United Nations (a truly United Nations) will build a shrine of the Prophets to serve the federated union of all continents; this will be the scene of the Supreme Court of Mankind, to settle all controversies among the federated continents, as prophesied by Isaiah.” (David Ben-Gurion and Amram Duchovny. David Ben-Gurion, In His Own Words [1]. Fleet Press Corp., 1969, p. 116; also quoted in Look Magazine, January 16, 1962, p. 20 [2]) / [1] Fonte 1; [2] Fonte 2

A segunda coisa que perguntei ao senhor Oliveira da Figueira (pseudónimo utilizado pelos sionistas que escrevem no Amigo de Israel), foi o que é que este tinha a dizer sobre os plutocratas de Wall Street que financiaram Hitler e o regime Nazi? Tema este que já foi amplamente estudado a fundo pelo historiador Antony C. Sutton, na obra Wall Street and The Rise of Hitler. (Curiosamente, quando se ensina história nas escolas, fala-se muito de como Hitler levantou a economia alemã da miséria e reconstruiu as Forças Armadas Alemãs, mas ninguém explica de onde veio o dinheiro para isso tudo, talvez porque não convenha que se saiba...)

Presumo que o que enervou tanto o Amigo de Israel quando eu lhe perguntei o que está explicitado acima, foi o facto de estar bem provado e documentado que o movimento sionista manteve amplas e frutíferas relações com o Terceiro Reich durante praticamente toda a década de 1930. Os rapazes do Amigo de Israel sabem que isto tudo é verdade, sabem-no ainda melhor do que eu, no entanto e como é característico dos extremistas, reagem com raiva e intolerância a quem lhes aponta as verdades incómodas Não é assim senhor Oliveira da Figueira?

É realmente triste que mais de setenta anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, muitos sionistas ainda não sejam capazes de confrontar o passado por inteiro, preferindo escolher apenas as partes da história que mais lhes convêm e partindo para o insulto e a difamação quando alguém os chama à atenção nesse sentido. Sinceramente, esperava mais inteligência e capacidade de argumentação por parte dos agentes da propaganda sionista. Os serviços de recrutamento da Mossad não devem de andar a funcionar bem com certeza...

João José Horta Nobre
11 de Junho de 2016

"Marching to Zion", um documentário que até deve fazer os rapazes do "Amigo de Israel" treparem pelas paredes...

3 comentários:

  1. A POLITICA DO REICH ERA COMPLEXA MAS NUNCA DUVIDEI QUE PELO TOM AMISTOSO DOS ARQUIVOS DE MOSCOU FRENTE A HITLER E SENDO MOSCOU CONTROLADA POR JUDEUS QUE ALI TINHA

    ResponderEliminar
  2. HITLER ERA VISTO POR ESSES ARQUIVOS COMO AQUELE DEUS HINDU QUE LIMPA O CENARIO PARA VIR OUTRO

    ResponderEliminar
  3. A economia alemã propositalmente foi boicotada como uma serie de sençoes e restritoçoes , tal ato foi imposta pelos vencedores da primeira grande guerra como uma forma de punir a naçao Alemã.
    Hitler logo que chegou ao poder interrompeu tais politicas economicas punitivas e em seu lugar implementou uma serie de reformas trabalhistas e economicas vizando criar empregos e acabar com o sistema de especulaçao financeira.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...