quinta-feira, 16 de junho de 2016

Portugal Não é um País Livre



«Hotel que não admitia "lésbicas e gays" obrigado a apagar aviso»



Eu ando a avisar há muito sobre como a pouco e pouco nós estamos a caminhar para um novo tipo de Totalitarismo, principalmente promovido e incentivado pela esquerda e que gradualmente se o processo não for travado, acabará por desembocar numa ditadura que fará a do antigo regime caído em desgraça a 25 de Abril de 1974, parecer uma mera brincadeira de crianças em comparação.

O hotel aqui em causa é um negócio privado, logo, o seu dono deve poder ter o direito a escolher quem admite ou não na sua propriedade. Se ele não quer gays e lésbicas no seu hotel, numa sociedade verdadeiramente livre, esse deve ser o seu direito. Da mesma forma que na nossa própria casa, precisamente por ser um espaço privado, por princípio só entra quem nós queremos. Numa sociedade verdadeiramente livre, um negócio privado deve ter sempre todo o direito a poder escolher os seus clientes de acordo com a raça, religião, ou orientação sexual dos mesmos. 

Eu se fosse o dono do hotel faria neste momento uma coisa muito simples: Fechava o negócio, pegava no meu dinheiro todo e deslocava-me para outro País onde pudesse ser livre de escolher como quero gerir o meu estabelecimento. O Estado português que ficasse a chuchar no dedo e fosse depois pedir ao Bloco de Esquerda e à ILGA Portugal que sejam eles a pagar impostos e a criar empregos...

Mais uma vez fica patente o perigo que o Estado representa para os cidadãos e o porquê dos poderes do mesmo deverem ser restringidos ao máximo. O Estadismo, por norma e princípio, serve sempre e antes de mais aqueles que estão instalados no próprio aparelho de Estado e que utilizam os instrumentos ao dispor do mesmo, como uma força de assalto e repressão. 

Neste aspecto, a esquerda é e será sempre o principal inimigo a combater. Isto porque a mesma nunca foi amiga da Liberdade e acredito mesmo que ela odeia a Liberdade, apenas falando da mesma por motivos de mera retórica, nada mais. Eu pessoalmente, se fosse dono de um hotel, não teria problemas em admitir clientes da comunidade LGBT, desde que estes não arranjassem problemas. Porém, o que está aqui em causa não são as preferências em termos de clientela, mas sim, o direito que qualquer patrão deve ter para escolher os seus clientes, algo que só é possível de se fazer numa sociedade verdadeiramente livre e algo que Portugal neste momento não é de certeza absoluta.

Faria bem à esquerda portuguesa ler Ayn Rand, sempre podia ser que aprendessem alguma coisa, começando logo pela própria definição de "Liberdade"...

João José Horta Nobre
16 de Junho de 2016
 

16 comentários:

  1. Se o dono do hotel não quer gritinhos no hall nem merdum nos lencóis acho ser uma opção que devemos respeitar...

    ResponderEliminar
  2. O problema com muitos dos gay´s é que não se contentam em levar as suas "amplas liberdades" em privado(eles não querem direitos iguais,querem é direitos "mais iguais" que os outros e promover o gaysismo como se de uma nova "religião" se tratasse).Quanto ao resto já nem comento,já disse aqui em outros posts que este regime(seja ele mais liberal ou mais neomarxista)tem todo o potencial para ser Social-fascista.

    ResponderEliminar
  3. CARO João José Horta Nobre

    DEIXA ELES ...... QUANDO OS 10 MIL MUÇUMANOS ESTIVEREM INSTALADOS AQUI EM PORTUGAL ( GRAÇAS AO MONHÉ COSTA BOSTA ), É QUE EU QUERO VER !!!.
    DEIXA COMEÇAR AS VIOLOÇÕES DE MULHERES EM GRUPO, DEIXA COMEÇAR OS CASOS DE PEDOFILIA.

    TOLERÂNCIA ZERO PARA ESTES ANORMAIS !!!!!
    EU ANDO COM UMA BARRA DE FERRO SEMPRE A MÃO NO CARRO ........
    É PARA AJUDAR A TROCAR O PNEU DO CARRO .... HUMMMMMMM

    ABRAÇOS A TODOS.

    RAMIRO LOPES ANDRADE

    ResponderEliminar
  4. “Na verdade, embora em parte desvalorizada pelos historiadores, existe grande quantidade de provas que confirmam que a construção do homem fascista como efeminado ou homossexual circulou sem interrupção na cultura ocidental desde a década de 1930” – Mark Meyers

    Sobre esta citação podemos consultar o tópico “…Fascismo e homossexualidade no imaginário da esquerda…” no link da Wikipédia abaixo referido.

    Link: https://pt.wikipedia.org/wiki/Socialismo_e_direitos_gays#Fascismo_e_homossexualidade_no_imagin.C3.A1rio_da_esquerda

    ResponderEliminar
  5. CURIOSO QUE OS CUCKS SE DIGAM A FAVOR DE SEGREGAR POR SEXUALIDADE (O QUE SERIA ALGO POSITIVO PRA AMBOS OS LADOS POIS FACILITARIA A AZARAÇÃO DE AMBOS OS LADOS) MAS QUANDO SE TRATA DE SEGREGAR EM JUDEUS E GOYINS NEGROS E NÃO NEGROS DAI JA VEM O DRAMA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JA OS MUSLOS IRIAM QUERER POR GENERO TAMBEM ASSIM SUAS ESPOSAS E OVULOS ESTARIAM A SALVO DE ESTUPRADORES

      Eliminar
  6. "Eu se fosse o dono do hotel faria neste momento uma coisa muito simples: Fechava o negócio, pegava no meu dinheiro todo e deslocava-me para outro País onde pudesse ser livre de escolher como quero gerir o meu estabelecimento."

    Onde???
    Só num país árabe :)
    A Europa já era e os EUA são precisamente a fonte de toda esta trampa marxista que corrói o mundo ocidental.
    Até a pressão para a entrada da Turquia na UE vem de lá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No Japão é possível ter-se um negócio aberto só a um determinado grupo específico. O Japão neste aspecto permite mais liberdade, do que Portugal. Um colega meu esteve um ano a trabalhar no Japão e disse-me que lá os japoneses têm clubes onde a entrada é vedada a estrangeiros.

      Eliminar
  7. Infelizmente o anónimo das 05:16 está certo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No Japão é possível ter-se um negócio aberto só a um determinado grupo específico. O Japão neste aspecto permite mais liberdade, do que Portugal. Um colega meu esteve um ano a trabalhar no Japão e disse-me que lá os japoneses têm clubes onde a entrada é vedada a estrangeiros.

      Já agora veja isto:

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2012/07/asianomics-as-licoes-do-capitalismo.html

      Eliminar
  8. Infelizmente isto é o verdadeiro fascismo dos nossos dias, os donos não seguiram a cartilha levam com o estado em cima e multas avultadas.
    O fascismo de hoje ou seja menos liberdade é exercido com multas, ao contrário de antigamente com prisão.
    Todos temos de ser iguais e quem sair fora do padrão leva com actual polícia política e com a multa correspondente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «O fascismo de hoje ou seja menos liberdade é exercido com multas, ao contrário de antigamente com prisão.»

      Também é exercido com prisão sim. Há países na Europa em que negar o holocausto é um crime punível com pena de prisão:

      https://en.wikipedia.org/wiki/Laws_against_Holocaust_denial

      Eu pessoalmente não nego o holocausto, no entanto, defendo que ninguém deve ser perseguido, multado ou preso apenas por ter uma opinião diferente, por mais errada ou absurda que a mesma possa ser.

      É um facto que no que diz respeito ao holocausto, existem certamente histórias exageradas e muitas invenções fabricadas pelo meio, nomeadamente já se descobriu que vários "sobreviventes do holocausto", eram na realidade impostores que nunca estiveram sequer em nenhum campo de concentração nazi, mas mesmo assim andaram a enganar muita gente com mentiras:

      http://www.dailymail.co.uk/news/article-2346193/Could-twisted-holocaust-fantasists-How-people-making-memoirs-witnessing-Nazi-crimes.html

      Eliminar
  9. Telefonema do terrorista para o 112 lá do sítio Segundo o politicamente correcto, deve ter sido assim: - 911, qual a emergência? - Daqui Mateem. Sou do ISIS e estou no Pulse a chacinar em nome do Islão! - Está a fazer confusão. O Islão é uma religião de paz. Essa ideia de Islão é a caricatura racista que os nossos media transmitem. Se calhar está aborrecido porque lhe serviram um daiquiri aguado? - Não bebo. Vim cá só para matar maricas, como Alá manda. - Isso cheira a homofobia, tão presente na sociedade ocidental. O patriarcado, que é heteronormativo, oprime a comunidade LGBT. O Mateem está em negação e, para reprimir a sua vontade de penetrar outros homens com o pénis, fá-lo simbolicamente, com balas, não é? - Não! O profeta diz que os larilas são uma abominação! - Já agora, como é que teve acesso a armas? Maldito NRA!

    Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/opiniao/colunistas/jose_diogo_quintela/detalhe/cheira_mal_cheira_a_turista.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que esse José Diogo Quintela deve ser o único humorista de direita e politicamente incorrecto que eu conheço em Portugal. Seguramente será o único com grande destaque nos media.

      Eliminar
  10. Agora pasme-se,fui dar uma vista de olhos no publico(ou al publico como lhe chamam em outro blog)e hoje tem uma entrevista com dois muçulmanos gay(sim senhor,verdade,apenas não se identificam com seus nomes reais nem permitiram fotos de rosto)e um deles paquistanês em Lisboa desde 2014 disse o seguinte entre outras coisas "o islamismo não é mau,as pessoas(muçulmanas)é que não fazem perguntas".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é gay, não pode ser muçulmano. Esses dois "muçulmanos" como lhes chamam, são na realidade apenas dos "muçulmanos" do faz de conta.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...