domingo, 14 de agosto de 2016

Uma Pequena Nótula Sóbre a "Fúria dos Fogos"




"Nada mais assustador que a ignorância em acção." - Johann Goethe (1749 - 1832)

Durante os últimos dias tenho ouvido e até lido por aí certos comentários, que são de uma violência extrema contra os incendiários que ateiam fogos florestais. Decidi chamei a este fenómeno curioso a "fúria dos fogos" e não posso deixar de notar que o mesmo revela apenas ou uma grande ignorância da parte do povo em geral, ou então uma profunda cobardia. Isto é, Portugal está há mais de quarenta anos a ser progressivamente desmantelado e destruído pela actual elite política, que está instalada no poder desde 1974 e de lá não quer arredar pé (e eu que julgava que só o Salazar é que era viciado em poder...), no entanto, o grande inimigo a abater na óptica do  povo não é a classe política, mas sim, uns incendiários quaisqueres.

Ora, passa-se que eu nos últimos dias vi e li por aí apelos públicos a que se matassem e esquartejassem os incendiários e há até quem apele a que os mesmos sejam abatidos no local quando apanhados em flagrante e alguns consideram mesmo que "deviam de ser regados com gasolina e mortos assim"! Bem, eu só pergunto é porque é que o povo não diz o mesmo sobre os políticos? Porque é que também não demonstram o mesmo nível de fúria contra os responsáveis pelo actual estado do País? Os mesmos que roubam os nossos impostos, apenas para andarem a gozar com as nossas caras. Então? Em relação a estes já não se fala em "abate no local" e "regar com gasolina"? Vejam bem, que até já trataram de ir vandalizar a casa de um dos alegados incendiários, mas digam-me lá quantas casas de políticos corruptos é que já foram vandalizadas em Portugal? Quantos traidores à Pátria é que já ameaçaram com o linchamento popular, tal como têm feito inúmeras vezes aos incendiários?

A mim isto parece-me cobardia, desculpem, mas é a verdade. Os incendiários são criminosos sim, que não restem dúvidas sobre isso e nem eu estou aqui a tentar defendê-los de forma alguma. Simplesmente gosto é de colocar as coisas em perspectiva e focar o essencial, por isso me parece que quem ataca incendiários desta forma, enquanto simultaneamente nem abre a boca sobre a autêntica canalhice que é a actual elite portuguesa, ou é cobarde ou é ignorante. Muitos ameaçam assim os incendiários, porque sabem que os mesmos em muitos casos são meros remediados que não têm dinheiro para lhes meter um processo em cima por ameaça, mas com os políticosa conversa é outra porque os mesmos têm dinheiro para processos e contam com a protecção do sistema judicial, que se fosse um sistema judicial a sério e não uma charada controlada pela maçonaria, já teriam sido detidos mais de 90% dos políticos deste País. 

Que isto fique bem claro: os piores e mais perigosos incendiários de Portugal vestem fato e gravata e trabalham no Palácio de São Bento e no Palácio de Belém. Estes é que são os verdadeiros incendiários de Portugal, os verdadeiros terroristas que em qualquer País decente já estariam quase todos há muito na prisão ou a arrumar cadeiras num café, em lugar de andarem a chular o erário público.

João José Horta Nobre
14 de Agosto de 2016
 

9 comentários:

  1. os piores e mais perigosos incendiários de Portugal vestem fato e gravata e trabalham no Palácio de São Bento e no Palácio de Belém. Estes é que são os verdadeiros incendiários de Portugal, os verdadeiros terroristas que em qualquer País decente já estariam quase todos há muito na prisão ou a arrumar cadeiras num café, em lugar de andarem a chular o erário público."-----Completamente de acordo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. como o governo britanico sob o comando de tony blair mentiu para deus e o mundo com o objetivo de desestabelizar o iraque em benificio de Israel :

      http://newobserveronline.com/mi6-iraq-war-inextricably-tied-israel/

      Eliminar
  2. Caro JJHN


    Os incêndios que todos os anos assolam as florestas são apenas consequência da falta de povoamento do interior e das zonas rurais e florestais.

    Isto acontece porque as actividades agrícolas, pecuárias e silvícolas não geram rendimentos suficientes para centenas de milhar ou mesmo milhões de pessoas que assim vêem-se obrigados a procurar ocupação noutros sectores e a migrar para o litoral ou emigrar para o estrangeiro.

    A melhor para não dizer única maneira de rentabilizar legalmente a agricultura, pecuária e silvicultura (sem ser para os mais competitivos) gerando muitos postos de trabalho é através da implementação de reformas estruturais nomeadamente a abolição do salário mínimo, liberalização dos despedimentos e abolição dos descontos.

    Com estas reformas estruturais, rapidamente haveria um crescimento exponencial do número de cabritos e borregos (haveriam mesmo centenas de milhares de cabeças) que fariam a limpeza dos matos da floresta, muito melhor e mais barato que qualquer pessoa.


    Aproveito para relembro a minha lista actualizada de reformas estruturais que irão contribuir para o desmantelamento das bases de sustentação da esquerda e também para o fim dos incêndios florestais.


    Abolição do salário mínimo
    Liberalização dos despedimentos
    Abolição dos descontos
    Pagamento do verdadeiro custo da água e energia pelo utilizador
    Pagamento do verdadeiro custo de educação e saúde pelo utilizador
    Liberalização (facilitação, desregulamentação) do acesso às profissões liberais
    Liberalização das rendas
    Sujeição a IRC a todas as pessoas colectivas
    Simplificação do IRS com sujeição individual, taxa única, sem deduções e abatimentos
    Taxa única no Iva
    Desmantelar o sistema escolar com o e-learning
    Varrer a função pública
    Extinção das juntas de freguesia
    Redução do número de deputados
    ...
    ...
    ...

    ...

    ResponderEliminar
  3. Receita para acabar com a maioria dos fogos florestais.

    1º Fazer cumprir alguns conceitos do que está regulamento e acabar outros que são autênticos abortos introduzidos por urbanos ignorantes.
    2º - Legislar no sentido que os incendiários presos em flagrante sejam julgados num prazo de 48 horas. Sendo condenados, seja qual for o grau de gravidade do incêndio, o arguido será condenado a uma pena de prisão de 6 meses que deve ser cumprida de Maio a Outubro.
    Nos dias sombrios e de temperatura inferior a 20º ficará na prisão.Nos outros deverá ir para a a praça pública do concelho de residência sendo lhe facultado um garrafão de água, um balde para as s/necessidades e uma árvore queimada cuja espessura não poderá ser superior à cabo de vassoura.Deverão ser lhe facultadas as refeições normais e assistência caso necessite. Por último fazer o máximo de publicidade nomeadamente através das TV´s.
    Simples, barato e e que fará pensar os candidatos a incendiários.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não chega. É preciso aprovar a pena a pena de morte para essa gente e ponto final no assunto.

      Eliminar
  4. João, excelente nota. Mas acho que na falta de senso das proporções vocês não ganham de nós brasileiros. Aqui uma onça (morta em cerimônia das olimpíadas) vale mais que 60 mil seres humanos (assassinados por ano).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas vale mesmo ! favelados o brasil tem aos milhoes ,já onças estao em processo de extinçao.

      Eliminar
  5. Como madeirense directamente afectado, embora de forma pouco grave em comparação com outros, senti-me particularmente REVOLTADO com dois fenómenos:

    - Em primeiro lugar, o peditório vergonhoso em que andaram as autoridades "competentes" para alimentar os desalojados pela tragédia. Com tanta despesa supérflua, não se arranjam uns míseros milhares de euros para alimentar as vítimas de uma catástrofe? Para que servem os impostos que pagamos então? São de agradecer as inúmeras iniciativas solidárias, mas estas não se devem substituir ao papel do Estado, cujos representantes parecem já estar viciados na pedincha;

    - Em segundo lugar, a postura hipócrita de um PM que foi titular da pasta da Administração Interna, participou em negócios ruinosos no domínio da protecção civil e aparece qual salvador da pátria que nunca teve nada com o assunto.

    Se esta malta abrisse os olhos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «Para que servem os impostos que pagamos então?»

      Caro Raghnar, o que muita gente não percebe, é que a despesa do Estado actualmente é tão elevada, que mesmo com todos os nossos impostos o Estado não consegue mesmo assim cobrir a despesa. Isto vai agravar-se porque como a classe política destruiu a nossa estrutura produtiva e cada vez há mais reformados e menos jovens para sustentar tanta despesa, isto vai ter de colapsar mais dia, menos dia.

      Quanto ao PM, de que adianta falar desse palhaço?...

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...