segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Be Careful What You Wish For Because You Just Might Get it...



Desde que Fidel Castro "bateu a bota" há dez dias atrás, que eu tenho visto por aí muita simpatia da parte dos jornalistas da nossa praça, para com a ditadura cubana. Duvido é de que esta gente tenha sequer parado para pensar por um momento, que ao defenderem a ditadura cubana e um ditador do calibre de Fidel Castro, estejam simultaneamente a legitimar a anti-democracia, a repressão política, o assassinato de opositores políticos e a censura a todos os níveis.

Os jornalistas e a esquerda portuguesa deviam de ter mais cuidado com o que desejam, é que no futuro o seu desejo pode mesmo vir a concretizar-se. Be careful what you wish for because you just might get it...


João José Horta Nobre 
5 de Novembro de 2016
 

7 comentários:

  1. Será mesmo o comandante bateu mesmo a bota ou é só um "armanço" para ver como se comportam as fileiras e está a gozar via televisão? É que assim clarificam-se muitas coisas. Alguém viu o cadáver no caixão? Todos vimos os de Salazar, de Chavez, de Franco, até o do Allende foi desenterrado e confirmado. Agora alguém acredita que um gajo daquele tamanho caiba num caixotinho tão pequeno? Eles dizem que são as "cenizas", por mim até podem ser de folhas de tabaco ou do restolho das "açucareras"! Mas que "no creo em meigas, pero que las hay, hay" O mesmo se passa com estas tão divertidas pompas funerárias a atravessar a coutada dos Castros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro aguerreiro, também já pensei exactamente nisso mesmo várias vezes. Outra teoria que existe, é de que Fidel Castro, na realidade, já terá morrido há vários anos atrás e que o regime por medo de perder o controlo da situação, preferiu esconder a notícia da morte, de forma a ter tempo para preparar o povo.

      Há coisas muito suspeitas no meio disto tudo e talvez eu ainda escreva alguma coisa sobre isto aqui no meu História Maximus, pois isto tudo dá que pensar e não é pouco. Por exemplo, a morte de Fidel Castro foi alegadamente a 25 de Novembro, uma data profundamente simbólica para o regime cubano. Não deixa de ser suspeito que por "mera coincidência" El Comandante tenha calhado a morrer (se é que morreu sequer...) numa data histórica para a Revolução Cubana. Por outro lado, é como diz, ninguém viu o cadáver, algo que levanta ainda mais suspeitas.

      Talvez um dia, quando o regime castrista terminar definitivamente, se venha a saber a verdade sobre a morte de Fidel Castro, se é que realmente isto é tudo um "armanço" e há ainda alguma coisa por descobrir.

      Quanto à possibilidade das cinzas caberem naquela pequena caixa, isso garanto-lhe que é possível e até já vi pessoas tão grandes ou maiores ainda que Fidel Castro, serem metidas em vasos funerários ainda mais pequenas do que aquela caixa onde alegadamente terão enfiado o El Comandante. Tudo depende apenas se o corpo é cremado com caixão ou sem caixão. Há corpos que são cremados com o caixão de madeira e isso gera muita cinza como é natural. Mas se o corpo for enfiado no forno crematório enrolado apenas numa mortalha, a cinza que resulta desse processo de cremação é muito pouca. É necessário ter em conta que cerca de 65% do corpo humano é composto por água. Essa água evapora toda durante o processo de cremação e dos 35% de outros compostos químicos que sobram, uma parte significativa também evapora. Portanto, quando um cadáver é cremado, apenas cerca de 20%-25% do corpo original é que sobra e fica reduzido a cinzas. O resto é tudo transformado em gases e vai pela chaminé acima do crematório.

      Eliminar
  2. Não me admira nada disso tendo em conta isto http://visaopanoramica.net/2015/01/11/os-terroristas-islamicos-e-o-apoio-silencioso-da-esquerda/

    ResponderEliminar
  3. Caro João José
    Eu sei, até por ofício que até um elefante bem churrascado caberia no dito caixote. O problema não é isso, mas sim se meteram no dito um feixe de restolho queimado da campanha açucareira e lhe chamaram "Fidel Castro Ruiz". Nem a igreja católica tem tais desplantes, pois a s relíquias dos santos têm que mais não seja um pêlo ou um dente do santificado. Até os sarracenos têm dessas coisas, pois eu vi há mais de 40 anos no museu do serralho Topkaki em Constantinopla (Istambul) uns pêlos ou pintelhos do profeta Mafamede e os crentes marravam duro no chão a louvar o dito artefacto. Voltei lá há cinco anos e já estavam retirados da vista ao museu. Devem ter ido em peregrinação pela mourama.... Cumprimentos para si

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto no que toca a religiões, histórias desse género é o que não falta. Durante muito tempo a Igreja Católica exibiu e reconheceu um pedaço de madeira como sendo da cruz onde Jesus alegadamente terá sido crucificado. Entretanto, já se veio a descobrir que tal era uma falsificação e do pedaço de madeira nunca mais se ouviu falar...

      Cumprimentos ;)

      Eliminar
  4. E há ainda o dito "santo sudário" de Turim,que já foi datado (pelo carbono) como sendo da idade média e não de há dois mil anos( e no entanto continua a ser apresentado como o sudário do Cristo),mesmo que o cristianismo original tenha sido algo de bom nada como uma igreja corrupta e mentirosa(como é a igreja romana)para o denegrir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já vi um documentário sobre isso. A Igreja já foi apanhada em tanta mentira e tanta fraude ao longo dos séculos, que é difícil acreditar em seja o que for que o Vaticano diga.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...