sexta-feira, 24 de novembro de 2017

O Único "Crime" Cometido Pelo General Ratko Mladic Foi Ter Defendido a Sua Nação e o Seu Povo

Ratko Mladic (1943 - )


 "Uma boa causa não teme nenhum juiz." - Públio Siro

O General Ratko Mladic foi esta semana condenado pelo Tribunal Penal Internacional a prisão perpétua, por alegadamente ter cometido "crimes contra a humanidade" e "genocídio". Os media do "sistema" e ao serviço do Império Anglo-Sionista celebraram a condenação, como já seria de esperar. Na miserável imprensa portuguesa não consegui encontrar um único artigo que falasse a verdade sobre a mais do que injusta condenação do General Ratko Mladic e por isso, mais uma vez sou aqui forçado a fazer o trabalho que os jornalistas deviam de fazer, mas não fazem porque hoje já não existem praticamente quaisquer jornalistas nas redacções portuguesas, mas sim, prostitutas amestradas e pagas para escreverem aquilo que os seus donos querem que elas escrevam.

Para começar, o Império Anglo-Sionista encontrou no General Ratko Mladic o bode expiatório perfeito. Sérvio, eslavo, patriota e nacionalista, Ratko Mladic representa tudo aquilo que os carniceiros da Nova Ordem Mundial odeiam, detestam e pretendem destruir. Quanto ao tribunal de Haia, esse, não passa de um tribunal fantoche, criado de raiz pelo "sistema" e onde labutam juízes que não passam de marionetas.

O desmembramento da Jugoslávia e as consequentes guerras nos Balcãs, foram desde o início impulsionadas por agentes ao serviço do Império Anglo-Sionista que, à semelhança do que tentaram fazer sem sucesso ao longo dos últimos anos na Síria, pretendiam não só destruir de vez a Jugoslávia, mas também enfraquecer os estados-nação que consequentemente resultassem do desmembramento da mesma. O Império Anglo-Sionista conseguiu atingir estes objectivos e ainda forçou a criação do furúnculo que dá pelo nome de "Kosovo", um Estado inteiramente artificial e cuja existência visa apenas enfraquecer e humilhar o povo sérvio.

Desde o julgamento de Nuremberga que se criou esta "moda" de julgar aqueles que perdem as guerras contra as forças do Império Anglo-Sionista e as sentenças, essas, já foram decididas muito antes dos próprios julgamentos começarem. Pior ainda do que isto, os vencedores, por mais crimes de guerra que cometam, nunca se sentam no banco dos réus e justificam todas as barbaridades por si praticadas com o argumento estafado dos "direitos humanos" e da "democracia". É neste contexto que se encontram actualmente a ser julgados 161 indivíduos acusados de cometerem crimes de guerra nos conflitos que grassaram nos Balcãs durante a década de 1990, porém, nem um único militar ou político do lado vencedor foi forçado a sentar-se no banco dos réus e a responder pelos crimes da NATO e seus aliados!
  
Outro bom exemplo desta farsa, desta apócrifa "justiça dos vencedores" e que ilustra bem o tipo de canalhas com que estamos aqui a lidar, foi o que se passou em consequência da invasão ilegal do Iraque em 2003, a qual resultou no rápido julgamento e execução de Saddam Hussein e muitos membros do seu governo, no entanto, nem Bush, Blair ou Aznar foram julgados pelos mais de 500,000 mortos que resultaram da sua guerra em nome da "democracia" e dos "direitos humanos".

Na caso da Sérvia, o que se passou foi que os corajosos sérvios foram confrontados com uma incursão planeada de antemão e liderada pelo Império Anglo-Sionista, que forneceu desde o início apoio aos seus lacaios bósnios e albaneses para atacarem e cometerem toda a espécie de crimes contra a população etnicamente sérvia. Ora, em lugar de se renderem ou fugirem apavorados como decerto a NATO esperava, os sérvios, liderados em grande parte pelo agora condenado General Ratko Mladic, resistiram e deram início àquilo que devia de ficar para a história como uma das mais corajosas e tenazes campanhas militares de sempre!

Atacada em várias frentes, bombardeada dia e noite pelos "cães danados" da NATO e difamada 24/7 nos media do "sistema", a pequena Sérvia foi obrigada a basicamente enfrentar o Mundo sozinha e mesmo assim, manteve-se firmemente de pé e orgulhosa até ao fim.

O general judeu Wesley Clark e a judia psicopata Madeleine Albright, que transformaram o suposto "Massacre de Srebrenica" na desculpa perfeita para justificar a criação do Kosovo e humilhar o povo sérvio, foram os mesmos criminosos que apoiaram o "bombardeamento humanitário" da Sérvia com bombas de urânio empobrecido em 1999.


A grande "defensora dos direitos humanos", a judia psicopata Madeleine Albright, a justificar a morte  de 500,000 crianças iraquianas devido às sanções impostas pelo Império Anglo-Sionista contra o Iraque na década de 1990.


O que aconteceu em Srebrenica e aquilo de que os "lying media" (como lhes chama Trump...) não falam, é que em 1995 a NATO deu início ao bombardeamento das forças sérvias naquilo que designou de "Operation Deliberate Force". As Nações Unidas exigiam na frente diplomática que os sérvios rendessem as suas armas pesadas em Sarajevo e os sérvios, como é óbvio, recusaram-se a fazê-lo. Em resposta a NATO passou à ofensiva. 

O que o General Ratko Mladic fez então em consequência desta agressão injustificada da NATO e das Nações Unidas, foi conduzir o seu exército rumo a Srebrenica e pura e simplesmente expulsar de lá os capacetes azuis. Esta acção era perfeitamente legítima, uma vez que as próprias Nações Unidas estavam em conluio com a NATO na agressão em curso contra os sérvios. A NATO e o próprio Império Anglo-Sionista foram completamente apanhados de surpresa com esta acção da parte dos sérvios e foi então, quando perceberam que os sérvios não se iriam deixar intimidar tão facilmente, que começou a gigantesca campanha internacional sobre uns supostos "massacres de civis" e "violações em massa" que alegadamente estariam a ser cometidas em Srebrenica pelos militares sérvios.

O objectivo do Império Anglo-Sionista com a mentira do "Massacre de Srebrenica" era simplesmente fazer o mesmo que tentaram fazer na Síria ao longo dos últimos anos, ou seja, utilizar supostos "massacres de civis" como um pretexto para intensificar a agressão diplomática e militar contra um determinado alvo, neste caso a Sérvia. 

Há vários antigos observadores militares das Nações Unidas que corroboram a tese sérvia dos acontecimentos e tudo em torno do suposto "Massacre de Srebrenica", aponta para uma farsa muito bem elaborada e facilmente disseminada numa época em que ao contrário de hoje, a internet ainda estava a dar os seus primeiros passos e não tinha ainda poder de alcance para contrariar em força a falsa narrativa do "sistema". Aquando da reconquista de Alepo na Síria em Dezembro de 2016, o "sistema" bem tentou fazer exactamente o mesmo que fez em Srebrenica, inventado "massacres" e "crimes contra a humanidade", desta vez alegadamente cometidos pelo Exército Sírio e os seus aliados russos, no entanto, desta vez a internet "abafou" em grande medida o ruído da lügenpresse e em consequência a narrativa do "sistema" caiu por terra como um castelo de cartas. 

A única verdade sobre o "Massacre de Srebrenica" é que o mesmo simplesmente não passou de uma gigantesca fraude política inventada pelo Império Anglo-Sionista, com o objectivo de diabolizar o povo sérvio e abrir assim o pretexto não só para a ofensiva da NATO contra o mesmo, mas também para a consequente criação do Estado artificial que dá pelo nome de Kosovo. É exactamente por isto tudo que eu expliquei e descrevi acima, que o agora condenado Ratko Mladic disse na cara dos juízes minutos antes do veredicto do tribunal fantoche de Haia ser lido, que as acusações contra si dirigidas são "tudo mentira" e que os juízes do Tribunal de Haia "são todos uns mentirosos"!

A ofensiva contra a Sérvia deve-se principalmente ao facto do Império Anglo-Sionista saber que a Sérvia é um País que se encontra na órbita de influência russa e ser por isso mesmo um obstáculo ao alargamento da influência da NATO e da UE a Leste. O ódio insano e a obsessão que o Sionismo Rothschild nutre contra a Rússia, foi o que levou em primeiro lugar as sinistras forças da NATO a atacar a Sérvia e inventar uma miríade de "massacres" e "crimes", tudo com o objectivo de criar mais uma base da NATO em território roubado à Sérvia, nomeadamente no Kosovo e neutralizar assim ao máximo a influência russa na região. 

Algo me diz que a guerra nos Balcãs está apenas dormente e que mais tarde, ou mais cedo, a Sérvia acabará por recuperar o Kosovo. É preciso não esquecer que a Sérvia é uma Nação que está habituada a combater e resistir com sucesso a inimigos muito mais poderosos do que a mesma em termos tecnológicos e numéricos. A luta dos sérvios contra o Império Otomano na Guerra de 1876-1878 é disto mesmo uma testemunha. Algumas décadas depois, a pequena Sérvia foi forçada a enfrentar sozinha o Império Austro-húngaro que possuía uma Forças Armadas muito maiores e tecnologicamente mais avançadas do que as suas. Apesar disto e mesmo assim, os sérvios conseguiram travar a ofensiva austro-húngara, forçando em consequência a intervenção da Alemanha, que foi em socorro do Império Austro-húngaro, o que por sua vez acabou por gerar um efeito "bola de neve" que deu origem à Primeira Guerra Mundial. 

Por fim, a "cereja no topo do bolo" das glórias militares sérvias terá ocorrido muito provavelmente a 27 de Março de 1999, quando os sérvios, utilizando um sistema soviético de defesa anti-aérea concebido na década de 1960 (o S-125 Neva/Pechora), abateram um caça stealth F-117A, que alegadamente e segundo os militares da NATO, deveria de ser "invisível" aos radares inimigos. Para além disto, sabe-se hoje que os militares sérvios conseguiram interceptar e decifrar uma grande parte das comunicações da NATO durante a campanha de bombardeamento lançada pela mesma em 1999, o que explica na perfeição porque motivo ao fim de 78 dias de bombardeamento contínuo, os militares sérvios e o seu respectivo equipamento, para grande choque da NATO, saíram praticamente ilesos dos bombardeamentos...

João José Horta Nobre
24 de Novembro de 2017


18 comentários:

  1. Quem escreve assim não é gago ;)

    ResponderEliminar
  2. E de facto impõe-se a pergunta: algum general ou presidente americano foi julgado pelo Vietname, Iraque, Hiroshima e Nagazaki e restantes ataques e "operações" por todo o mundo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca foram, nem nunca serão julgados. Infelizmente é assim. Não esquecer que isto depois reflecte-se também nas ciências sociais, onde a história oficial é sempre a narrativa do lado que venceu. Não esquecer que foi o próprio George Orwell que disse uma vez que "a história é escrita pelos vencedores"...

      Eliminar
  3. Mladic, Karadzic... noutro registo Saddam, Khadafi, tudo ditadores e criminosos muito maus. Felizmente foram depostos, depois deles veio a nova ordem e tudo ficou maravilhoso. O Iraque e a Líbia são hoje oásis de progresso (sobretudo jihadista), o Kosovo é um farol de desenvolvimento para os balcãs (sobretudo em termos de jihadismo, também , e criminalidade organizada). Os senhores da nova ordem põem e dispõem, vamos ver por quanto tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sintético e na mouche! Nada tenho por isso a acrescentar ao seu comentário.

      Eliminar
  4. https://www.publico.pt/2017/11/22/mundo/noticia/ha-punicao-suficiente-para-o-mal-absoluto-1793565?page=/&pos=31&b=feature_d

    segundo o pasquim "Publico" o Mladic é o 1 representante do mal absoluto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse artigo do "Público" é absolutamente ridículo, no entanto, não seria de esperar outra coisa da parte desse pasquim miseravel.

      Os suínos da Nova Ordem Mundial bem tentam difamar e sujar o nome do grande General Ratko Mladic, mas em vão. Aqui fica mais um contributo para a reposição da verdade histórica sobre o que se passou realmente nos Balcãs na década de 1990:

      https://www.globalresearch.ca/srebrenica-ratko-mladics-sham-trial-and-conviction/5619617?utm_campaign=magnet&utm_source=article_page&utm_medium=related_articles

      Eliminar
    2. Esses nojentos são de um cinismo inqualificável. Eles próprios ao serviço do mal que a nova ordem representa, qualificam os outros como sendo o mal absoluto. Incrível como se pode descer tanto.

      Eliminar
    3. My Lai. Dresden. Colônia.Falaise. Iraque. Afeganistão. Quando pescoço Yanque vai ser quebrado na forca?

      Eliminar
    4. «Eles próprios ao serviço do mal que a nova ordem representa, qualificam os outros como sendo o mal absoluto.»

      Caro João, isso é uma velha estratégia política muito utilizada pelos supremacistas judeus. Eles passam a vida a acusar os outros de fazer aquilo que eles próprios fazem. No fundo, trata-se de uma estratégia que visa desviar as atenções do público em geral, ao passo que desinforma esse mesmo púbico por via de mentiras fabricadas. O David Duke e o David Icke têm abordado isto muitas vezes e têm exposto muito bem a forma como o "sistema" constantemente inventa "inimigos" e "massacres de civis", de forma a ter pretextos para atacar novos alvos. Foi isto que fizeram na Sérvia na década de 1990, no Iraque em 2003, na Líbia em 2011 e posteriormente na Síria, país este, onde já está mais do que provado e demonstrado que a CIA e a Mossad têm fornecido amplo apoio a grupos islâmicos radicais como a Frente Al-Nusra e até o próprio Estado Islâmico ao qual os caças norte-americanos fazem "vista grossa" quando este está a a atacar tropas do governo sírio. É realmente incrível como se pode descer tanto, mas lá está, é também preciso ter em conta que estamos aqui a lidar com uma elite de psicopatas que ao longo dos últimos séculos se tem andado progressivamente a infiltrar em tudo o que é lugar estratégico de poder no Ocidente. Neste momento, esta gente possui o controlo quase total nos territórios sob o controlo do "politburo" de Bruxelas e controlam também os Estados Unidos que não passam, na prática, de um Estado vassalo de Israel e dos interesses sionistas. Agora só lhes falta conseguirem impor a censura na forma descarada e o controlo total da informação à qual temos acesso. Estamos muito mais próximos do 1984 de George Orwell do que a maioria das pessoas julga. Aliás, muito pouca gente tem neste momento noção do quão perigoso é o momento histórico que estamos actualmente a viver no Ocidente...

      Eliminar
    5. «Quando pescoço Yanque vai ser quebrado na forca?»

      Caro Jurandir Ramos da Silva, você está acometer um erro clássico que é o de confundir o povo americano, com a "Zio Matrix" que controla esse mesmo povo:

      https://www.youtube.com/watch?v=Zw9EhjyU3JU&t=27s&bpctr=1511965820

      A pergunta que se deve fazer não é a que o caro Jurandir fez, mas sim, quando é que vai aparecer no Ocidente um líder político que quebre de vez a estrutura de controlo sionista? Eu acredito muito sinceramente que Trump tentou inicialmente fazer mesmo frente à máfia sionista e por isso mesmo é que os media o difamaram como difamaram. Aliás, arrisco mesmo dizer que a única pessoa que possivelmente até hoje foi mais difamada do que Trump pelos "ZioMedia", terá sido Adolf Hitler... No entanto, a estrutura de controlo sionista acabou por conseguir quebrar Trump, tal como já tinham quebrado Richard Nixon e John F. Kennedy. A situação em que nos encontramos neste momento é que Donald Trump está hoje reduzido a uma marioneta do lobby israelita que controla a Casa Branca e nada indica que ele se vá conseguir mais libertar desta influência absolutamente tóxica e destrutiva, não só para ele, mas também e acima de tudo para o seu próprio País.

      Eliminar
  5. Ótima publicação, não acompanhei o acontecido na época mas estava suspeitando da história. Torço muito pelo bloco da Russia/China contra esses fdps

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Klaus, em primeiro lugar e antes de mais quero-lhe agradecer o elogio que me fez. Quanto ao bloco Rússia/China, basta ele se manter unido e em coordenação constante para travar e posteriormente poder derrotar o Império Anglo-Sionista. No Médio Oriente já ninguém leva os ianques a sério, precisamente por causa da política desastrosa que têm por lá praticado. Este artigo de Robert Fisk explica bem aquilo de que estou aqui a falar:

      http://www.independent.co.uk/voices/us-foreign-policy-middle-east-russia-syria-doesnt-exist-anymore-a8072056.html

      O bloco Rússia/China só precisa de se manter unido para vencer. É apenas uma questão de tempo até o resto do Mundo, ou pelo menos grande parte do mesmo, se afastar do Império Anglo-Sionista e da NATO. Esta gente não honra compromissos, não cumpre a palavra dada e são falsos que nem cobras. Por causa dito, a diplomacia americana no Médio Oriente já está reduzida a um cadáver e não há-de faltar muitos anos para o mesmo acontecer em relação a muitos outros países por todo o Mundo.

      Eliminar
  6. https://www.publico.pt/2017/11/29/mundo/noticia/condenado-ingere-veneno-durante-audiencia-no-tpi-1794318

    "Criminoso de guerra" suicida-se durante julgamento

    ResponderEliminar
  7. O tribunal penal internacional só condena dum lado da trincheira, do outro,as atrocidades cometidas ficam convenientemente guardadas na última gaveta e a chave na mão de europeus e americanos....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade! O criminoso Naser Oric que massacrou 3 mil Sérvios, foi ilibado pelo mesmo tribunal

      Eliminar
  8. Obrigado. Ajudou-me a juntar umas pontas soltas. Só me interessei retrospectivamente, depois de me ter apercebido da burla juidiária em que o Tribunal se tinha transformado. Como por exemplo condenar pelo crime de "genocidio" incidencias de guerra quer vitimam homens em idade militar e em que as crianças e as mulheres, em especial as em idade fertil, são poupadas.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...