segunda-feira, 12 de março de 2018

Xi Jinping, a Vitória do Autoritarismo e a Derrota do "Fim da História" de Francis Fukuyama

Xi Jinping (1953 - )


"Não interessa se o gato é branco ou preto, o que interessa é que ele consiga caçar os ratos." - Deng Xiaoping (1904 - 1997)

"O Congresso Nacional Popular (CNP) chinês votou ontem, por esmagadora maioria, a remoção da cláusula que impunha apenas dois mandatos ao chefe de Estado" da China. Simultaneamente, foi aprovada "a integração no preâmbulo da Constituição de uma referência ao «pensamento de Xi Jinping sobre o socialismo com características chinesas para uma nova era»." Esta retumbante vitória para o Presidente Xi Jinping é também uma vitória para todos os nacionalistas do Ocidente e eu vou já explicar de seguida o porquê desta minha posição, que à primeira vista admito que possa parecer algo aberrante.

Para começar, o Presidente Xi Jinping é também ele um nacionalista de facto. A China desde há muito que se encontra em rota de colisão com o modelo ideológico demo-liberal que o Ocidente lhe tenta impor há décadas. Este modelo demo-liberal, o tal que Francis Fukuyama ingenuamente afirmou representar "o Fim da História", é um dos principais culpados pela actual crise civilizacional do Ocidente e é em última análise um das causas de quase todas as nossas desgraças. A decadência moral e social que lentamente está a corroer os alicerces civilizacionais do Ocidente, a "democracia" dos partidos que leva na prática a uma anarquia política e as "modernices" do Ocidente que se expressam em aberrações da natureza como a adopção de crianças por pares de invertidos, são tudo elementos que de certo farão a conservadora e ainda muito tradicional sociedade chinesa repudiar o Ocidente, pelo menos no que diz respeito à importação de mais modelos político-ideológicos. Xi Jinping sem dúvida alguma que representa o inverso de toda esta podridão ocidental, trata-se, na essência, de um homem conservador, socialista à maneira chinesa, mas acima de tudo patriótico e defensor do seu povo e da sua Pátria.

Sim, é verdade que Xi Jinping preside a um regime autoritário e eu pessoalmente não vejo nada de mal em tal facto, antes pelo contrário! Desde há muito que a estrutura de controlo sionista que manda no Ocidente quer exportar a "democracia" para a China. Conseguiram numa primeira fase exportar para lá o Marxismo, numa vã tentativa para destruir a sociedade tradicional chinesa e consequentemente a própria Civilização Chinesa, porém, a judiaria internacional acabou por falhar miseravelmente na sua empresa e quando os chineses começaram a converter o Comunismo numa espécie de Nacional-Socialismo à moda chinesa, os supremacistas judeus que ladram propaganda 24/7 no jornalixo por si controlado, passaram a clamar logo pela imposição da "Deusa Democracia" na China. A judiaria internacional adora a democracia pelo simples motivo de que a "democracia" é o mais corrupto de todos os sistemas políticos. A "democracia" como nós a temos no Ocidente conseguiu mesmo eivar a corrupção a um nível de perfeição e fê-lo ao passo que simultaneamente convencia as massas de que estas tinham algum poder de decisão política.

Uma Nação quando se deixa picar pela "tarântula democrática" como lhe chamava Auguste Émile Faguet, não tarda a cair na mais profunda e miserável decadência civilizacional. Venenos ideológicos mortais como o Feminismo, a homossexualidade militante, os "direitos humanos", a "igualdade" e a "liberdade", são ingredientes indispensáveis desta "salada ideológica" pré-feita e prontamente dada de comer às massas que ingenuamente engolem toda a porcaria que os media lhes dão de comer. 

No entanto, a China não é o Ocidente e Xi Jinping certamente que não tem a sua cabeça contaminada pelo lixo ideológico demo-liberal que eu acabei de referir. A China é um País com um modelo político autoritário há milhares de anos e está mais do que provado e demonstrado que este modelo político é o que funciona melhor não só na China, mas em todo o Mundo. O principal motivo pelo qual os supremacistas judeus que controlam os media se sentem tão incomodados com o Autoritarismo, deve-se ao facto do Autoritarismo levar inevitavelmente à construção de estados-nação fortes e onde, por norma, predomina verdadeiramente a ordem e o progresso no bom sentido. Ora, os supremacistas judeus não querem isto, pois o que esta gente, o que esta diabólica clique internacional pretende, são estados-nação fracos e de preferência socialmente divididos e em guerra civil permanente por vai da tal "democracia" dos partidos políticos. Há que "dividir para reinar" e Sião há milénios que sabe fazer uso desta estratégia com particular mestria.

As elites chinesas tiveram as suas experiências com o Comunismo e desde o tempo de Deng Xiaoping que aprenderam a colocar de lado a ideologia, dando preferência ao que realmente funciona e serve os melhores interesses do povo chinês. Xi Jinping é um produto directo desta mudança política radical inaugurada por Deng Xiaoping e mais ainda do que isto, é o homem que (a par de Vladimir Putin...) está progressivamente a demonstrar ao Mundo a falibilidade inevitável das teses de Francis Fukuyama sobre o tal "Fim da História" que nunca o foi. Não se iludam mais com as balelas sobre as falsas "virtudes" da "democracia" dos partidos, o Autoritarismo veio para ficar e cada vez mais estados-nação irão abraçar o mesmo à medida que os modelos demo-liberais forem inevitavelmente falhando e caindo de podres. 

João José Horta Nobre
12 de Março de 2018


9 comentários:

  1. Não sei é se vamos a tempo(a Europa em geral e os países mais a oeste,como o nosso,em particular)de inverter a sabotagem globalista,ainda para mais estando convertidos numa espécie de "fiambre e queijo" metidos entre "duas fatias de pão"(a fatia zio-americana e a fatia oriental/nacional-socialista ou nacionalista/neo-imperialista no caso russo).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A propósito da luta entre as "fatias" https://informacaoincorrecta.blogspot.pt/2018/03/theresa-e-o-agente-duplo-uma-historia.html

      Eliminar
  2. Interessante artigo(de um site evangélico assumidamente pró Israel/judaísmo) http://www.chamada.com.br/mensagens/ultimos_judeus_china.html

    ResponderEliminar
  3. Cuidado com os chinos, eles estão em todo o lado, até as vespas asiáticas já são o problema, agora quando eles tomarem conta da economia dos países cheguinhos (caso do nosso), vamos ter que trabalhar para eles nas condiçoes que eles quiserem e não serão muito favoráveis.

    ResponderEliminar
  4. Uma abordagem correcta e lúcida do que nos espera ...
    A ser aplicada na Europa, impedia a sua invasão por "refugiados", que o próprio sistema criou, como meio de acelerar a nossa decadência e submissão ao corrupto poder financeiro dominante ...

    ResponderEliminar
  5. Os chineses essencialmente são frustrados, têm falta de mulheres como consequência da política do filho único implementada há décadas.

    Ora, uma sociedade assim com falta de mulheres não passa duma grande merda.

    ResponderEliminar
  6. Olha onde està a China, japão, India, indonésia, singapura etc etc sem o Jesus do ocidente!! E olhem a àfrica com este Jesus de ocidente!! Também comparem o dono do Jesus (ocidente) com a àfrica.
    O resultado: o ocidente com seu Jesus e a sua democracia de exploração, e de escravizar, vão mendigando à China que não tem Jesus e, também segundo ocidentais nem hà democracia na China.!!

    ResponderEliminar
  7. É preciso o mundo e as pessoas entenderem que esta questão de democracia, socialismo, direita, esquerda, já está muito ultrapassado. Quem fica falando mal da esquerda e quem denigre a direita, perdeu-se no tempo em atraso mental e provavelmente terá dificuldade de encontrar o caminho correto. A democracia no mundo já acabou faz décadas e não existe mais o comunismo e ainda vejo alienados defendendo paises comandados por décadas por grupos que nem ligados a politica são.
    Outros entendem o comunismo como o supra sumo das ideologias. Nada disto mais importa em um mundo multipolar hoje.
    O que importa, é a seriedade e o nacionalismo dos governantes, se eles fazem bem às suas nacões, se são honestos e coerentes com o que dizem e com as açoes que praticam.
    O que importa, é a seriedade e o nacionalismo dos governantes, se eles fazem bem às suas nacões, se são honestos e coerentes com o que dizem e com as açoes que praticam.
    Jiping e Putin são nacionalistas e com eles as suas naçoes e seu povo são beneficiados. Isto é o que importa. A russia não é mais comunista ha tempos e a china que se diz comunista, tem uma estrutura capitalista instalada extremamente forte.
    Donald Trump enfrenta uma fortissima oposiçao e um Estado Profundo porque tenta quebrar a estrutura de poder instalada nos EUA desde o governo Ronald Reagan, onde as oligarquias e os grupos economicos por décadas, mandam e os políticos não detem o poder, ou seja, não decidem o destino de suas naçoes. Há uma falsa democracia nos EUA, hoje os EUA são governados por decretos administrativos sem passar pelo crivo do senado. Trump ainda corre risco de impedimento, e sofre para conseguir comandar os EUA em uma guerra com os democratas que ao longo de décadas no poder, promoveram enormes prejuizos à economia americana e entreguismo que levarão décadas para serem revertidos - vejam o tamanho da dívida e como a economia americana está em franca queda. Mesmo o Trump ainda não consegiu o total controle político como presidente.
    Na Alemanha, a Angela Merkel está ha 16 anos no poder parecendo uma ditadura forcada pela máquina do estado que ela mesma utiliza para se perpetuar no comando. Mas a Alemanha é a ancora da UE, é quem segura o tranco financeiro de muitos outros países quebrados e isolventes como a italia, a grécia, a espanha, e muitos outros. Porque mudar?
    Aqui, em terras tupiniquins, o PT teve a oportunidade secular de promover o nacionalismo e a distribuicao de renda com honestidade e perdeu-se nas açoes desonestas e idealismo tolo que levou-nos ao atraso de décadas. A
    direita assumiu mas alem de ser desonesta e também pouco nacionalista, promove à luz do dia o entreguismo absurdo da naçao brasileira aos estrangeiros, como por exemplo entregando o pré sal a empresas extrangeiras e concedendo isençao fiscal na ordem de mais de um trilhão de reais e a nacao brasileira morrendo nas mãos do tráfico, nas filas dos hospitais e no desemprego. Isso sem contar que os EUA já estão dentro da Amazonia.
    Se houvesse nacionalismo por parte do da esquerda e da direita brasileiras, não teríamos o IDH que temos hoje e seríamos respeitados no mundo.
    REPITO, NÃO INTERESSA A IDEOLOGIA OU A FORMA DE GOVERNO. O QUE INTERESSA AO POVO, À NAÇAO E AO CIDADÃO DE QUALQUER PAÍS, É A HONESTIDADE E A SERIEDADE DO SEU GOVERNO QUE ANTES DE TUDO, PRECISA TER SOBERANIA E DECENCIA, PRESERVANDO SEU POVO.
    Felicito ao povo chines por manter o Jiping como seu líder. Com ele, a china cresceu mais do que qualquer outro país no mundo e tende a tornar-se a primeira economia mundial até 2050.
    Quisera nós tivéssemos um líder que fosse nacionalista, honesto,sério e cuja missão fosse tornar o Brasil um país que promovesse o bem estar para os Brasileiros. Pouco me importaria se ele fosse de direita, de esquerda, branco ou negro, feio ou bonito, homem ou mulher.
    No mundo moderno, as ideologias tendem a se perder e a se dissipar. O que está em alta, são valores corretos, ainda muito rasos aos governantes dos países no mundo todo.

    ResponderEliminar
  8. Gostei do artigo, dá uma perspectiva diversa daquela a que o politicamente nos permite, subscrevo, mais uma vez meu caro amigo, creio estarmos em sintonia, abraço.

    Alexandre Sarmento

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...