quinta-feira, 22 de junho de 2017

O Incêndio Florestal de Pedrógão Grande, o Deus Sumano e o Colapso do Ocidente

Summanus por raindance168.


"As grandes tempestades não duram muito, assim como as grandes felicidades não são eternas." - Pensamento rabínico

A tragédia bateu à porta do Concelho de Pedrógão Grande durante a última semana e sobre o horror, já praticamente tudo se publicou e escreveu nos media. Oficialmente, a causa do incêndio florestal que massacrou Pedrógão Grande terá sido uma "trovoada seca". Ora, pouquíssima gente saberá que outrora era nesta mesma semana, mais precisamente a 20 de Junho, que os seguidores da religião nacional greco-romana celebravam Sumano, o Deus do Trovão Nocturno e lhe faziam oferendas de "bolos redondos chamados de sumanália, feitos de farinha, leite e mel e em forma de rodas."

Cada um que conclua o que quiser a partir do exposto acima, no entanto, o que ninguém pode negar é que não deixa de ser uma estranha "coincidência" o facto de o mais mortífero incêndio florestal da história de Portugal, nos atingir precisamente na mesma semana em que outrora se celebrava aquilo que se poderá designar como a Sumanália. Mais estranha e suspeita ainda fica a "coisa" se tivermos em conta que Sumano era o Deus da Trovoada Nocturna e o incêndio em Pedrógão Grande terá tido origem precisamente numa trovoada seca. Registe-se ainda que Sumano não é um Deus de menor importância ou relevo no altar greco-romano e o próprio adorador do Deus de Israel que comummente dá pelo nome de Santo Agostinho, chegou a escrever que Sumano em épocas anteriores era mais adorado até do que Júpiter. 

Como diz o velho provérbio castelhano e aparentemente de origem galega: "yo no creo en las brujas, pero que las hay, las hay." O que aconteceu em Pedrógão Grande foi um castigo divino? Não sei. Talvez tenha sido. Talvez não tenha sido. Agora o que eu sei e do qual tenho a certeza absoluta é de que a nossa Civilização está a começar a cair aos bocados e qualquer pessoa com meio palmo de testa já pode antever claramente o colapso estrutural que se avizinha. É provável que após mais de meio século de Marxismo Cultural e doutrinação ideológica baseada nas teses doentias da Escola de Frankfurt, nos estejamos finalmente a aproximar do end game. A loucura que tomou conta da nossa sociedade vai ter de acabar mais dia, menos dia. É inevitável. Não há nenhuma Civilização que possa florescer ou sequer permanecer de pé, com base nos actuais padrões de imoralidade e amnésia histórico-identitária que tomaram conta do Ocidente. É por isso de crer que o fim se aproxima e no fundo, nós só temos a ganhar em acelerar a chegada do mesmo, pois quanto mais depressa se der o grande colapso, mais rapidamente poderemos começar a apanhar os cacos do que sobrar e a reconstruir o que inevitavelmente terá de ser reconstruido.

João José Horta Nobre
22 de Junho de 2017


22 comentários:

  1. Obrigada. Sempre a aprender. Saudações.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bons olhos a vejam por aqui cara Helena BC!

      Já há algum tempo que não a via a comentar cá por esta tasca blogosférica muito sui generis. Seja portanto bem-vinda de volta ao História Maximus e não tem nada que agradecer pelo meu escrito, pois eu escrevo por gosto e são vocês os leitores que fazem deste blog aquilo que ele é. A verdade é que sem suas excelências isto não teria graça nenhuma...

      Saudações para si também e um grande abraço ;)

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Só continuo é a não entender esta mania que a cara Helena BC tem de escrever comentários e depois apagá-los ao fim de poucas horas...

      Eliminar
    4. Aqui está o "apagado" na íntegra :
      Não tenho deixado de ler, embora com algumas pausas, confesso que há dias que me assusto com tamanha verdade... há alturas que prefiro pensar em formato cor-de-rosa, muito amor e cabanas.
      Acredite que em relação ao incêndio, depois de andar a ler e a ouvir n coisas resolvi vir ver o dizia acerca do assunto, se é que dizia alguma coisa. Fiquei esmagada, mais uma vez, por tamanha verdade e/ou sabedoria.
      Saudações.

      Nota :
      Alguns são apagados por mim, é verdade, passados uns tempos. Outros, como o último foi qualquer coisa mal feita no tablet.

      Eliminar
  2. Em relação a estes trágicos incêndios, que enlutaram o país, pode ter havido, pontualmente, culpados institucionais e singulares, por negligência, desleixo, descuido ou incompetência. Mas a grande culpa tem de ser encontrada a montante. E essa grande culpa é política e tem de ser encontrada em todos os governos anteriores, que menosprezaram a defesa da floresta e que tomaram opções erradas (e algumas a levantarem muitas suspeitas de favorecimento pessoal), em relação à prevenção e ao combate dos incêndios florestais e em relação à elaboração de um plano nacional, integrado e coerente, da gestão da floresta.
    Pior do que a anarquia do ordenamento florestal, só os seus incêndios. E é por aqui que o problema tem de ser equacionado. Caso contrário, tudo se vai repetir, ciclicamente, todos os anos, com mais ou menos tragédias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/08/uma-pequena-notula-sobre-furia-dos-fogos.html

      Eliminar
  3. Caro Alexandre de Castro

    Os incêndios desta dimensão são consequência do despovoamento do interior e o despovoamento do interior deve-se a ser cada vez mais difícil para milhões de pessoas de ganhar o sustento em actividades rurais e silvícolas, caso contrário, haveria em todo o país a criação de alguns milhões de ovinos e caprinos que manteriam limpas as florestas e as pessoas ainda aproveitariam para ir recolhendo o excesso de madeira para aquecimento no Inverno e para grelhar carne de borrego e de cabrito.

    Este problema é de fácil resolução e apenas depende da vontade política de implementar reformas estruturais.


    Eis a lista actualizada:

    Abolição do salário mínimo
    Liberalização dos despedimentos
    Abolição dos descontos
    Pagamento do verdadeiro custo da água e energia pelo utilizador
    Pagamento do verdadeiro custo de educação e saúde pelo utilizador
    Liberalização (facilitação, desregulamentação) do acesso às profissões liberais
    Liberalização das rendas
    Sujeição a IRC a todas as pessoas colectivas
    Simplificação do IRS com sujeição individual, taxa única, sem deduções e abatimentos
    Taxa única no Iva
    Desmantelar o sistema escolar com o e-learning
    Varrer a função pública
    Extinção das juntas de freguesia
    Redução do número de deputados
    ...
    ...
    ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Arquivista há-de me explicar é como é que as suas "reformas estruturais" afectariam as florestas portuguesas?

      Quais as medidas concretas que propõe para acabar de vez com este dilema dos fogos florestais que anualmente massacra Portugal?

      Eliminar
    2. Caro JJHN

      Porque uma das consequências das reformas estruturais seria o repovoamento do interior, não só das vilas como também das aldeias, inclusivamente em sítios onde ainda nem existem pessoas a viver.

      Tudo isto facilitaria a utilização dos recursos florestais (madeira, biomassa, resina, mel, cogumelos, turismo rural, etc.) a criação de gado (ovinos, caprinos), espaços para a agricultura familiar, etc

      Ora havendo milhares de pessoas a viver dos recursos florestais, seria muito mais fácil a gestão das florestas e a prevenção dos fogos seria imediatamente o primeiro passo com o gado a fazer a limpeza e utilização de madeiras pelas pessoas.

      Na floresta existe muita riqueza a ser aproveitada e criada, apenas necessita que os custos sejam os mais baixos possíveis e isso só mesmo com as reformas estruturais.

      Eliminar
  4. Não imaginava que o caro Mestre Nobre fosse tão religoso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre adorei mitologia. Pessoalmente, penso que a magia da mitologia greco-romana e celta é inigualável.

      Mais aqui:

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/12/reflexoes-sobre-religiao-parte-i.html

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2017/02/reflexoes-sobre-religiao-parte-ii.html

      Eliminar
  5. Caro João, acompanho o que escreves. mas no entanto, há quem pense que outros "deuses" se escondem por detrás destes trágicos acontecimentos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro VM, antes de mais obrigado pelas suas palavras simpáticas. Quanto aos tais «outros "deuses"» a que se refere, disso já eu falei no verão passado:

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/08/uma-pequena-notula-sobre-furia-dos-fogos.html

      Eliminar
  6. A propósito do "end game" https://www.henrymakow.com/2017/06/war-between-old-and-new.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Henry Makow é interessante, mas por vezes simplesmente não se consegue perceber onde é que ele pretende chegar, tal é a confusão de ideias e conceitos. A mim parece-me que ele nesse artigo mistura alhos com bugalhos e isso raramente dá bom resultado...

      Eliminar
    2. Esse post do Makow é um daqueles posts em que ele dá a "voz"(ou o texto) a outros autores,acontece que desta vez ele não fez a análise/resumo no fim do post(como faz muitas vezes).

      Eliminar
  7. O caos!! Claramente Portugal não está preparado para cenários de catástrofe!! Quando vier um terramoto de grande intensidade e dizem os entendidos que é uma questão de tempo, a impotência, inoperância e incapacidade de resposta mostrará a crua realidade!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O caro Francisco Pinto nem me diga nada! Se voltar a haver um terramoto de Lisboa igual ao de 1755 e tudo indica que haverá, iremos assistir a um autêntico massacre que poderá na pior das hipóteses terminar com dezenas de milhares de mortos soterrados debaixo de prédios e a infraestrutura civil da capital largamente arruinada. E no fundo, se pensarmos bem, isto seria a melhor coisa que podia acontecer à classe política portuguesa, pois passariam a usar a desculpa do terramoto para justificar o estado miserável a que conduziram o País.

      Durante muitos anos a desculpa dos "democratas" reinantes foi o Salazar. Para a politicagem de merda da Terceira República, tudo tinha sido culpa do Salazar. Agora, como o Salazar já bateu a colher vai daqui a nada para meio século, essa desculpa já não pega e por isso eles têm de arranjar um novo bode expiatório. Por este mesmo motivo é que eu acredito que um terramoto desastroso seria "ouro sobre azul" para a "nossa" classe política.

      Abraço ;)

      Eliminar
  8. https://www.liveleak.com/view?i=458_1498331708

    Israel se une a al qaeda para atacar as forcas sírias .

    ResponderEliminar
  9. http://www.newsweek.com/israel-secretly-paying-salaries-syrian-rebels-golan-heights-627155


    https://www.wsj.com/articles/israel-gives-secret-aid-to-syrian-rebels-1497813430


    Israel alimenta,médica,abastece e ,já agora, também PAGA pelos serviços do ÍSIS na síria.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...