terça-feira, 8 de agosto de 2017

Será o Fim do Regime Chavista do Interesse dos Nacionalistas?


«Destabilizing Venezuela: Exploring the Zionist Connection»


Do ponto de vista ideológico, é inegável que a queda de Nicolás Maduro e o consequente fim do Chavismo na Venezuela, constituiria uma vitória retumbante para todos os nacionalistas e opositores do Marxismo. No entanto, do ponto de vista geopolítico e puramente estratégico, não é do nosso interesse que acabe o regime de Maduro, enquanto não existir na Venezuela uma alternativa nacionalista anti-sistema, que seja credível e forte o suficiente para poder assumir o poder com a devida responsabilidade.

Historicamente, há exemplos de movimentos, partidos e regimes nacionalistas que têm colaborado pontualmente com a extrema-esquerda quando tal interessa do ponto de vista meramente estratégico e quando as condições determinam que é necessário unir forças para derrotar e/ou enfraquecer os nosso inimigos em comum, nomeadamente, as forças liberais, os defensores da "democracia" dos partidos à moda de Wall Street, a escumalha da maçonaria e a Igreja. O exemplo mais famoso desta colaboração estratégica entre forças nacionalistas e a esquerda marxista, será o Pacto Molotov-Ribbentrop que foi celebrado em 1939 entre a Alemanha Nacional-Socialista e a União Soviética. Hitler estendeu a mão a Estaline não por gostar de Estaline ou do Comunismo, mas porque do ponto de vista estratégico era isso que fazia todo o sentido, de forma a por um lado ganhar tempo e por outro, aliviar a pressão que o Comunismo Internacional exercia contra os regimes nacionalistas da Europa à época. Neste ponto, Hitler agiu correctamente e inteiramente de acordo com os melhores interesses tanto do povo alemão, como dos povos que viviam sob a bandeira soviética. 

Bem sei que muitos nacionalistas estão actualmente extremamente felizes por verem o regime chavista de rastos e desejam ardentemente que o mesmo colapse o mais depressa possível. Mas e depois? Quem é que vai assumir o poder na Venezuela? O golpista Juan "Miami" Caguaripano? Os escroques patrocinados pela judiaria sionista que manda em Washington? Sabujos e traidores que comem da mão de George Soros? Os mesmos sabujos e traidores que já em 2002 e a mando do Império Anglo-Sionista, tentaram levar a cabo um golpe de Estado na Venezuela? Quiçá algum liberalóide a mando do judeu Kushner e ligado ao Banco Rothschild? A sério? É isto, é este lixo de gente que têm para oferecer ao povo Venezuelano como alternativa ao Chavismo!?

Sejamos claros, a Venezuela está neste momento a viver um dos períodos mais negros da sua história e se realmente é verdade que o governo que ocupa actualmente a cadeira do poder por aquelas bandas, geriu extremamente mal a economia da Pátria de Simón Bolívar, também é verdade que há neste momento forças sinistras em jogo que desejam destruir o regime chavista para logo a seguir o substituir por um governo de lacaios a mando do Império Anglo-Sionista.

De forma a que se consiga compreender o que está hoje em causa na Venezuela e porque motivo os nacionalistas não devem de desejar (ainda) o fim do regime chavista, é preciso que se compreenda primeiro o plano geoestratégico global do cartel mundialista/globalista, inteiramente dirigido a partir dos bastidores por supremacistas judeus e que tem como fim último a construção de um governo mundial totalitário. 

No caso particular da Venezuela, o que está em causa são as maiores reservas de petróleo do Mundo. Para o Império Anglo-Sionista é de extrema importância manter o controlo das reservas de petróleo do Mundo. Qualquer Nação que seja rica em "ouro negro" e que não seja simultaneamente submissa ao Império Anglo-Sionista e aos "falcões" das multinacionais do mesmo, coloca-se em risco de vir a sofrer uma "revolução colorida" ou até mesmo a ser alvo de uma operação militar de "regime change", como ocorreu no Iraque em 2003 e na Líbia em 2011.

É precisamente por eu já saber "o que a casa gasta" e estar bem consciente da canalhice sem limites do inimigo que temos pela frente, que eu nem hesito hoje em conceder apoio moral ao regime chavista. No fundo, trata-se de ter de escolher entre o mal menor e o mal maior. Mandar abaixo o regime chavista neste momento, é atirar para as mãos do cartel mundialista/globalista o povo venezuelano e é colocar as maiores reservas de petróleo do Mundo inteiramente ao dispor do Sionismo Rothschild. É por este motivo e apenas por este motivo, que os nacionalistas devem de conceder hoje apoio estratégico ao regime chavista. Nicolás Maduro é um comunista, mas é um comunista que até prova em contrário combate Sião. Para mim, isto é a única coisa que verdadeiramente interessa. 

João José Horta Nobre
8 de Agosto de 2017

O video abaixo ajuda a perceber porque é que o regime chavista está desde o seu início "na mira" do Império Anglo-Sionista. Foi este mesmo Império que orquestrou secretamente em 1974 o golpe que derrubou o Estado Novo em Portugal e o motivo para isto foi exactamente o mesmo que hoje o leva a querer rebentar com o regime chavista na Venezuela: o desejo megalómano de controlar as nações, na senda de poder destruir as mesmas e abrir assim o caminho para um governo mundial totalitário.

40 comentários:

  1. "...se realmente é verdade que o governo que ocupa actualmente a cadeira do poder por aquelas bandas, geriu extremamente mal a economia da Pátria de Simón Bolívar"

    Caro JJHN

    Ainda não percebeu, o regime "chavista" não geriu mal a economia, geriu-a da forma que os venezuelanos livremente escolheram, ou seja, escolheram o caminho da pobreza, miséria e fome.

    Em Portugal também foi esse o caminho escolhido pelos eleitores, em 95 Guterres, depois Sócrates e agora Costa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lol, comparar Hugo Chávez e o seu regime aos socialistazinhos do nosso Portugal, pelo menos a mim, parece-me de uma insanidade total...

      Eliminar
    2. A República Bolivariana da Venezuela, considerado o país da América Latina com o mais alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) pela Organização das Nações Unidas (ONU).

      Um país com um governo eleito democraticamente, que encetou um combate à fome e desnutrição exemplar reduzindo a sua percentagem de 13,5% para 5% de acordo com o relatório do Projecto de Fortalecimento de Programas de Alimentação Escolar para a América Latina e Caraíbas; tendo inclusive sido premiado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) todo esse trabalho realizado pelo governo que permitiu atingir essa cifra espantosa, na redução da fome e desnutrição na República Bolivariana da Venezuela, conforme referido no relatório da ONU.

      Um país que segundo os dados oficiais e actualizados recolhidos por entidades venezuelanas e internacionais confirmam a redução da dívida pública da Venezuela de 32% para 21%, e a diminuição da taxa de desemprego para 6% estando actualmente nos 5%.

      Eliminar
    3. Caro Democrata, independentemente de todos esses "dados oficiais", o FACTO é que em termos de gerência económica o regime chavista tem sido até agora um desastre absoluto:

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2012/04/como-hugo-chavez-esta-destruir-economia.html

      Eliminar
  2. NÃO TEM MERDA NO MUNDO ONDE ESSES RACISTAS-TALMUDISTAS-HOLOCAU$TICOS-JUDEUS NÃO ENFIAM O SEU NARIZ!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Nisof, eles enfiam o nariz e vão continuar a tentar enfiá-lo enquanto as pessoas continuarem a votar em partidos que são inteiramente controlados e dirigidos a partir dos bastidores por agentes ao serviço desses tais "RACISTAS-TALMUDISTAS-HOLOCAU$TICOS-JUDEUS".

      Eliminar
    2. Entretanto li(num artigo do observador)que o Goldman Sacas comprou milhares de milhões de dívida da petroleira Venezuelana....e esta?

      Eliminar
    3. Caro Bilder, eu estou a par disso desde o dia em que a Goldman Sachs fez essa negociata às custas do desespero do actual governo Venezuelano.

      Eliminar
  3. A nós poderia interessar-nos se os milhares que se instalam em Portugal viessem vacinados contra o comunismo. O problema é que cairão mais depressa na órbita do PSD/PS do que outra coisa. E teria de ser um número significativo de portugueses a regressar para que as coisas por cá se agitassem de alguma forma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «A nós poderia interessar-nos se os milhares que se instalam em Portugal viessem vacinados contra o comunismo. O problema é que cairão mais depressa na órbita do PSD/PS do que outra coisa.»

      Como é óbvio e não tenha dúvidas de que a tal direitinha "moderna e arejada" que é o PSD/CDS, já está preparada para caçar os votos dos poucos que saíram da Venezuela.

      «E teria de ser um número significativo de portugueses a regressar para que as coisas por cá se agitassem de alguma forma.»

      Eu não sei de onde veio, ou onde começou essa ideia do "êxodo" de portugueses a fugir do regime chavista, pois a esmagadora maioria dos luso-descendentes venezuelanos com quem falei até hoje, dizem-me que se recusam a vir embora da Venezuela, essencialmente porque toda a sua vida viveram na Venezuela e apenas a genética é que os liga a Portugal. Mais nada. Essa gente mais facilmente vai para os EUA ou o Brasil ou até mesmo a Colômbia, do que vem para Portugal, um País europeu distante, que pouco lhes diz e onde não há o mais importante: emprego.

      Eliminar
  4. OS ESTADOS UNIDOS ESTÃO A FOMENTAR NA VENEZUELA MAIS UMA GLORIOSA "PRIMAVERA".

    Os largos de milhares de pessoas que vão ser mortas no processo, não interessam para nada.

    E DEPOIS TERRORISTAS SÃO OS OUTROS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «OS ESTADOS UNIDOS ESTÃO A FOMENTAR NA VENEZUELA MAIS UMA GLORIOSA "PRIMAVERA".»

      Caro César Neves, não são os Estados Unidos, nem o povo americano que têm a culpa. Aliás, eles são também vítimas. Os Estados Unidos são um País que tem a sua estrutura de comando e controlo totalmente infiltrada por sionistas e supremacistas judeus. Há muito que "a tribo" se apoderou dos corredores do poder em Washington e manipula a seu belo prazer o povo americano por via de constantes lavagens cerebrais feitas através dos media. Este video ilustra bem a grave situação que o povo americano e o Mundo enfrentam hoje:

      https://www.youtube.com/watch?v=Zw9EhjyU3JU

      Eliminar
    2. A propósito da "tribo" o Makow(aqui https://www.henrymakow.com/2017/08/putin-billionaire-gangster.html ) apresenta a tese de que o Putin(e por consequência a Russia actual) está também nas malhas da "tribo".

      Eliminar
    3. Caro Bilder, tenho sérias dificuldades em acreditar que Putin está nas malhas da "tribo", pois a política externa da Rússia vai directamente contra os interesses e objectivos do Império Anglo-Sionista. Basta ver-se a paranóia anti-russa e anti-putin nos media do sistema, para se perceber como eles odeiam Putin de uma forma bem visceral. Chegam mesmo a comparar Putin a Hitler e olhe que este tipo de comparação é algo que é reservado apenas aos inimigos que a tribo odeia de uma forma muito especial e intensa...

      Depois há a questão dos oligarcas - quase todos judeus - a quem Putin arrancou o tapete de debaixo dos pés:

      http://nationalvanguard.org/2012/05/the-silent-coup-putin-vs-the-oligarchs/

      Acredito que Putin no passado já teve ligações à "tribo" e foi forçado a trabalhar com a mesma em ocasiões pontuais, mas não acredito que ele neste momento seja controlado pela mesma. Nem pensar nisso. Nada do que ele faz é indicativo de estar a colaborar com o cartel mundialista/globalista liderado por supremacistas judeus, nem sequer de forma parcial e se assim não fosse, os media controlados pela "tribo" não atacariam Putin 24/7.

      Quanto ao Henry Makow, é como eu já lhe disse uma vez: o homem escreve coisas interessantes e que dão que pensar, mas por vezes deixa-se levar excessivamente para o campo da mera especulação conspiratória...

      Eliminar
  5. Ei JJHN, o que é que acha da opinião do sr. Francisco ?

    http://rr.sapo.pt/artigo/90632/a_esquerda_e_a_venezuela








    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele não diz mentira nenhuma. Só não concordo quando ele descreve a Coreia do Norte como sendo um "regime tresloucado", pois esse regime na verdade, é tudo menos tresloucado e sabe muito bem o que quer e para onde vai. Kim jong-un não é nenhum idiota.

      Agora não me peçam é para embarcar na diabolização do regime chavista, pois eu simplesmente não o vou fazer. Recuso-me a apoiar os media do sistema na sua guerra de desinformação contra a Venezuela e o povo venezuelano, pois hoje são eles e amanhã poderemos ser nós a ser vítimas do mesmo tratamento por parte da classe jornalixeira...

      Eliminar
  6. Embora concorde com a análise que o caro JJHN fez neste artigo, não posso concordar com a ideia de que o povo venezuelano continue a sofrer fome, violência, prisões arbitrárias e torturas às mãos do regime venezuelano só para que a Venezuela não acabe nas mãos da banca internacional.

    É evidente que preferia que houvesse um movimento nacionalista organizado na Venezuela mas, não havendo, prefiro optar pelo mal menor. Não podemos aspirar ao triunfo do Nacionalismo de qualquer forma e feitio. As pessoas têm de estar primeiro. A usura é mil vezes preferível àquilo que se está a passar na Venezuela. Qualquer venezuelano que possa escolher preferirá viver em Portugal ou até na Grécia sobre-endividada do que no inferno marxista em que vive actualmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «não posso concordar com a ideia de que o povo venezuelano continue a sofrer fome, violência, prisões arbitrárias e torturas às mãos do regime venezuelano só para que a Venezuela não acabe nas mãos da banca internacional.»

      Caro Afonso, os media que andam a espalhar essa imagem apocalíptica da Venezuela, são exactamente os mesmos media que passaram mais de um ano a atacar Trump de forma selvagem. São os mesmos media que difamam e atacam os nacionalistas de manhã à noite. São os mesmos media que mentem com todos os dentes que têm na boca sobre o que a imigração em massa está realmente a fazer à Europa. Enfim, são os media do sistema e estão exclusivamente ao serviço do sistema. Em 2011 eram os mesmos media que nos garantiam que era preciso derrubar Gaddafi porque o mesmo era um ditador "implacável" e posteriormente, foram os mesmos media que fomentaram em larga medida a tragédia que se passou na Ucrânia e na Síria. Agora, só porque atacam o comunista do Maduro, esses mesmos media já passam a ter toda a credibilidade??? Poupem-me! Os jornalistas que hoje atacam o regime chavista, são os mesmos porcos que atacaram Marine Le Pen e a FN nas últimas presidenciais em França, nada do que essa gente diz é minimamente credível ou pode ser levado a sério. Aliás, quando a canalha da CNN e companhia ltd. ladra muito contra alguém, é porque esse alguém deve realmente ser boa pessoa e está do lado certo. Era só o que faltava era eu agora ir na cantiga dos merdi@ e começar a desejar o derrube do regime chavista, só porque os media dizem que sim. Era só o que faltava!

      Há fome na Venezuela? Há. E garanto-lhe que também haveria em Portugal se os nacionalistas tomassem o poder e tentassem realmente limpar o lixo de uma vez por todas. Qualquer Nação que hoje deseje ser independente e afrontar a judiaria internacional, vai inevitávelmente acabar por ser alvo de um cerco económico absolutamente impiedoso. Até o católico do Salazar já sabia disto e por isso mesmo é que ele dizia que "um povo que saiba ser pobre, será invencível". O problema da Venezuela foi que ao cerco económico montado pelo Império Anglo-Sionista, somou-se a mais crassa incompetência no que diz respeito à gestão da economia.

      Eliminar
    2. «É evidente que preferia que houvesse um movimento nacionalista organizado na Venezuela mas, não havendo, prefiro optar pelo mal menor.»

      O mal menor é o regime chavista. Os candidatos da tal "oposição democrática" que quer açambarcar-se do poder, mais não são do que agentes pagos ao serviço do Império Anglo-Sionista.

      «A usura é mil vezes preferível àquilo que se está a passar na Venezuela.»

      O problema meu caro Afonso, é que o que está em causa não é "a usura", mas sim, uma tentativa de domínio da Venezuela por uma tribo estrangeira com tentáculos muito bem espalhados e infiltrados por todo o Ocidente e que quer tomar conta das reservas de petróleo da Venezuela para possivelmente poder forçar uma descida do preço do petróleo a nível mundial, o que por sua vez afectará directamente a economia russa e enfraquecerá ainda mais o regime de Putin. Isto está tudo interligado e o ataque hoje é contra o regime chavista, mas o objectivo secundário é atacar a Rússia e em última análise nós os nacionalistas, o Ocidente e a Europa. O Afonso que por favor não se deixe iludir por esta gente maligna, pois o alvo deles somos nós! Não entende isso? Atacar o regime chavista, é uma forma indirecta de atacar a Rússia e a Europa! A canalha sionista sabe-a toda...

      «Qualquer venezuelano que possa escolher preferirá viver em Portugal ou até na Grécia sobre-endividada do que no inferno marxista em que vive actualmente.»

      Bem, se realmente fosse assim já o regime de Maduro teria mesmo colapsado, pois nenhum regime sobrevive sem o mínimo de uma base sólida de apoio. Não há repressão alguma no Mundo que possa manter de pé um regime que carece por completo de uma base de apoio popular e no caso da Venezuela chavista, apesar de enfraquecida, essa base de apoio ainda existe e é até bastante forte e determinada:

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2017/04/o-silencio-ensurdecedor-do-professor.html

      Eliminar
    3. Correcção - a citação de Salazar que eu introduzi no comentário das 02:01 está parcialmente distorcida, a verdadeira citação no original é esta: “um povo que tenha a coragem de ser pobre é um povo invencível”.

      Eliminar
    4. "...não posso concordar com a ideia de que o povo venezuelano continue a sofrer fome"

      Caro AdP

      Como certamente deve saber, o problema da fome é de simples resolução, basta semear/plantar, criar gado, pescar, etc. e a Humanidade sabe disso desde o Neolítico há 12 mil anos, em relação à caça e pesca ainda há mais tempo (Paleolítico).

      Hoje em dia ainda é mais fácil, pois nem sequer precisas de produzir, basta trocares por uns papelitos coloridos em formato rectangular (ainda noutro dia troquei esses papelitos coloridos por arroz, massas, azeite, frango e bacalhau) e, se tiveres em consideração que o planeta tem mais de 7 biliões de pessoas, ou seja, as pessoas sabem produzir e/ou trocar papelitos coloridos, só passa fome quem realmente quer passar fome.

      Tens que acordar prá realidade pá.

      Eliminar
  7. check video https://www.youtube.com/watch?v=DHO1tDwWdk4&feature=share

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eis a resposta que obtive após a colocação do link desse video(video que relata judeus ortodoxos a falar contra o zionismo/Estado de Israel e que aponta aos promotores/financiadores do mesmo zionismo): Afonso Pereira9 de agosto de 2017 às 19:35
      Olá amigo,

      Esses indivíduos são um grupo anti-semita bem conhecido. Apoiam os terroristas islâmicos e odeiam Israel. Não olham a meios difamatórios para escoarem o seu ódio. Não sei se são judeus ou se se fazem passar por tal. Mas se o forem, tal não mancha os judeus como um todo, apenas acentua que não existe uma "ideologia judaica", antes pelo contrário, cada judeu é autónomo e milita nas causas que bem entenda.

      Israel causa destas paixões exacerbadas, tanto pelo lado do amor como pelo lado do ódio - o que parece dar razão ao modo como os judeus se vêem, por via da sua História, lavrada na Bíblia, desde logo.

      A minha opinião? Esses indivíduos, de há muito conhecidos, são traidores dementes. Há-os entre todos os povos, mas tudo o que é judaico causa turbulência.

      Porque é que Israel não há-de ter direito a existir, como eles postulam, se a nação Israelita é um Estado nativo? Eles vivem nos Estados Unidos, em terras roubadas aos nativos americanos, como outros odiadores de Israel vivem em países das Américas, na Austrália e Nova Zelândia, em países colonialistas ou que o foram, e argumentam que Israel deve desintegrar-se para satisfazer os colonos Árabes:

      http://amigodeisrael.blogspot.pt/2016/12/o-clube-dos-colonos-da-onu-enterra.html

      Como temos tantas vezes chamado a atenção, os judeus são a tela em branco onde cada um projecta os seus amores e os seus ódios. Os que odeiam, acusam os judeus de serem arrogantes e humildes, ricos e pobres, capitalistas e comunistas, de meterem o nariz em tudo e de viverem retirados, serem racistas e serem "misturadores raciais", etc., etc., etc..

      Não é por acaso que a extrema-direita e a extrema-esquerda odeiam Israel... por motivos opostos. Os judeus simplesmente nunca estão certos. Se resistem são violentos, se se entregam são cobardes; se dizem de sua justiça estão a armar-se em vítimas, e se se calam são omissos e mesquinhos :-)

      Os próprios judeus gostavam de saber a origem de tanta paixão, negativa e positiva. Como eu creio na reencarnação, faço votos de que em próximas vidas os odiadores de Israel nasçam judeus. Passando pela experiência de serem alvo da obsessão global, talvez fiquem vacinados...

      Afonso Pereira

      Eliminar
    2. Caro Bilder, o que é que esses delírios desse tal "Afonso Pereira" interessam para este blog ou este artigo???

      A sério, para propaganda sionista já chegam os chorrilhos de mentiras e falsidades que os doidinhos do "Amigo de Israel" publicam, não é necessário o Bilder andar a espalhar ainda mais lixo desse...

      Eliminar
    3. Oh meu caro João,longe de mim tal intenção(quem conhece meus blogs sabe que eu não sou veículo de nenhuma ideologia ou religião,aliás tenho vários posts onde denuncio quer o islamismo quer o sionismo ou o vaticanismo,para além das conections com o globalismo),acontece que por vezes,por falta de tempo que não permite sequer postar ultimamente nos meus blogs,não desenvolvo as minhas ideias e serei mal interpretado.No entanto pode crer(o meu historial de coments deve-o certamente confirmar)que nunca comento à "toa" e sempre(mesmo que não seja evidente)tem alguma ligação com o tema do post(neste caso o seu post que começa com um título sobre jewish bankers e o zionism conection),daí o link do video que coloquei,e por acréscimo a resposta (curiosa para não usar de outros adjectivos)que obti lá no "amigo de Israel" sobre o video citado.

      Eliminar
    4. por exemplo (quanto a posts meus sobre zionismo) http://oquedeusquer.blogspot.pt/2013/09/httpwww.html

      Eliminar
  8. “...O exemplo mais famoso desta colaboração estratégica entre forças nacionalistas e a esquerda marxista, será o Pacto Molotov-Ribbentrop que foi celebrado em 1939 entre a Alemanha Nacional-Socialista e a União Soviética. Hitler estendeu a mão a Estaline não por gostar de Estaline ou do Comunismo, mas porque do ponto de vista estratégico era isso que fazia todo o sentido, de forma a por um lado ganhar tempo e por outro, aliviar a pressão que o Comunismo Internacional exercia contra os regimes nacionalistas da Europa à época...”

    O Pacto Molotov – Ribbentrop foi assinado após a recusa do regime da Inglaterra e da República da França, em formar uma coligação internacional proposta por Estaline, com a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), para impedir e derrotar o exército nacional-socialista que começava a expandir-se para lá do território alemão, invadindo a Polónia e contando com o apoio da Inglaterra e da França, que daria a Checoslováquia à Alemanha nacional-socialista, com objectivo de começar o cerco junto das fronteiras da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

    A assinatura do Pacto de Não Agressão (Pacto Molotov – Ribbentrop) foi a forma encontrada pela União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), logo após a recusa da Inglaterra e da França em enfrentar a ameaça nacional-socialista, de ganhar tempo, e preparar as suas forças armadas, para a Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945).

    Por tanto, e conforme comprovam os documentos oficiais e a literatura disponível sobre o tema, não existiu nenhuma aliança entre a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e a Alemanha nacional-socialista e os seus aliados; existiu sim uma estratégia política, que permitiu que a URSS ao ver-se sozinha no esforço para deter a ameaça nacional-socialista, reunisse o tempo necessário para se proteger da agressão militar alemã e dos seus aliados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «Por tanto, e conforme comprovam os documentos oficiais e a literatura disponível sobre o tema, não existiu nenhuma aliança entre a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e a Alemanha nacional-socialista e os seus aliados;»

      A sério?! Não existiu nenhuma aliança?! Tem mesmo a certeza disso??? Então como é que designa a anexação e consequente repartição da Polónia entre soviéticos e nazis? Quer dizer, dois países juntam-se, qual arruaceiros no recreio, para invadir e anexar uma Nação soberana e independente e o "Democrata" não vê nisso uma aliança, mas sim, uma mera "estratégia política", loool. Mais realidade e menos Edições Avante por favor...

      A esquerda sempre sofreu de memória curta e adulterou a verdade conforme as suas conveniências. Esquecem-se que em tempos até o próprio Mussolini foi um fã incondicional de Lenine e um admirador da Revolução Bolchevique:

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2014/12/o-fascismo-e-memoria-curta-da-esquerda.html

      Eliminar
  9. VIVA A LA REPUBRICA BOLIVARIA MELHO Q ROBARIANA DO PMDB PSDB PT ETC

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Miro Fernandes, convenhamos que também não é preciso muito esforço para se conseguir ser melhor que os escroques do PMDB, PSDB e PT...

      Eliminar
  10. SÓ O SEPARATISMO É QUE VAIS PERMITIR SALVAR, QUER A PROPRIEDADE PÚBLICA, QUER A PROPRIEDADE PRIVADA TRADICIONAL
    .
    .
    Existem dois tipos de bandos de mercenários camuflados:
    - 1- os bandos de mercenários camuflados de LONGO PRAZO: estes mercenários camuflados [bom, no início até que existiriam dirigentes, naïfs, bem intencionados] já há muitos anos que sabem qual é o 'trabalhinho' que andam a fazer:
    i) não gostam de, em nome da igualdade, premiar o mérito - acham que quem não gosta de trabalhar deve ter acesso ao passatempo de andar a ridicularizar aqueles que se esforçam/trabalham;
    ii) mais, não gostam de austeridade, querem mais deficit (leia-se, quem vier a seguir que pague);
    iii) Resultado: a longo prazo é implementado o caos... e depois, as riquezas do país são vendidas ao desbarato à alta finança (exemplos: ex-URSS, ex- RDA, etc).
    - 2 - os bandos de mercenários camuflados de CURTO PRAZO (exemplo: os mais variados países da União Europeia):
    i) vão vendendo tudo aquilo que puderem a multinacionais;
    ii) vão desviando dinheiro dos contribuintes para a alta finança para... tapar buracos cavados pela alta finança (exemplo: veja-se o dinheiro enterrado pelos contribuintes nos buracos da banca);
    iii) criam uma variada panóplia de leis que visam complicar a vida às micro, pequenas e médias empresas;
    iv) ameaçam os pequenos e médios proprietários com uma variada panóplia de multas (e ameaças de expropriações) impelindo-os a venderem os seus bens, ao desbarato, às multinacionais;
    v) Resultado (na União Europeia, e não só): analisando a evolução estatística, vê-se o óbvio -» a propriedade pública e a propriedade privada tradicional estão a desaparecer, em oposição, a propriedade das multinacionais (capital sem rosto) está a crescer avassaladoramente.
    .
    .
    Só o separatismo é que vai permitir salvar, quer a propriedade pública, quer a propriedade privada tradicional!
    .
    Leia-se:
    - Democracia sim, todavia, há que mobilizar aquela minoria de autóctones que se interessa pela sobrevivência da sua Identidade... para dizer NÃO ao nazismo-democrático, leia-se: é preciso dizer não àqueles que pretendem democraticamente determinar o Direito (ou não) à Sobrevivência de outros.
    -» ver BLOG http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
    { nota: nazi não é ser alto e louro, blá, blá, blá... mas sim, a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros }
    .
    Leia-se:
    - TODOS DIFERENTES, TODOS IGUAIS... ou seja, todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta.
    [nota: Inclusive as de rendimento demográfico mais baixo... Inclusive as economicamente menos rentáveis... Inclusive as que procuram sobreviver pacatamente e prosperar ao seu ritmo]
    Dito de outra maneira: os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.


    ResponderEliminar
  11. Outro esquerdume que está com os dias contados:

    https://www.epochtimes.com.br/estados-unidos-anunciam-sancoes-maduro/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O caro Anónimo pode-me explicar como é que do ponto de vista geoestratégico a queda de Maduro irá beneficiar os nacionalistas e o regime de Putin que é, de longe, o nosso maior e mais poderoso aliado a nível mundial?

      É que isto de andar a berrar contra o esquerdume é tudo muito bonito e lindo, mas de nada serve e é até contraproducente quando acaba por nos prejudicar no plano da geoestratégia. Nunca esquecer o velho provérbio que diz que "o inimigo do meu inimigo meu amigo é"...

      Eliminar
  12. Oposição terrorista da Venezuela é ligada e paga pelos EUA, seu cordão umbilical continua fazendo a ligação a toda a corja de de mafiosos Yankees e pitiyankees em Miami! Maduro deve pôr Capriles atrás das grades passando férias!

    ResponderEliminar
  13. Texto nada fácil, bem sei, choca alguns que não entendem do que se fala aqui.
    Às vezes é necessário pensar além do muro do nosso quintal...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vida é mesmo assim cara Helena BC, por vezes é preciso tomar decisões difíceis e que parecem algo contraditórias à primeira vista. É preciso saber dar-se humildemente um passo atrás, para depois poder dar-se dois em frente...

      Eliminar
  14. Conversas sobre Portugal no Mundo - Análise Geopolítica da Política Externa Portuguesa. ANTÓNIO MARQUES BESSA
    https://www.youtube.com/watch?v=TASVbCQbPrc

    ResponderEliminar
  15. Conversas sobre Portugal no Mundo - Introdução à Geopolítica e Geoestratégia Portuguesas. ANTÓNIA MARQUES BESSA

    https://www.youtube.com/watch?v=SoUTkLNCLZ8

    ResponderEliminar
  16. Conversas sobre Portugal no Mundo - Análise da crise do Euro e o Federalismo Europeu ANTÓNIO MARQUES BESSA
    https://www.youtube.com/watch?v=6T4mPt8j3dM

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...